A queda e o crescimento da análise de classes na sociologia britânica, 1950-2016

  • Mike Savage London School of Economics
Palavras-chave: Análise de classes, Pierre Bourdieu, Capitais

Resumo

Este artigo considera a natureza mutável da análise de classes na Grã-Bretanha, focalizando três gerações e com particular interesse nas razões para o ressurgimento da análise de classes nos últi-mos quinze anos. Mostro como a abordagem “heroica” de classe na Grã-Bretanha, que foi muito forte entre os anos 1950 e 1975, precisava destacar o papel da classe trabalhadora como agentes da mudança social progressiva. Embora isso tenha sido uma força poderosa durante esse período, ela confinou a análise de classe a um momento histórico que já estava quase sendo eclipsado, dada a escala de desindustrialização na Grã-Bretanha durante tal período. Entre 1975 e 2000, a análise de classe perdeu força na Grã-Bretanha, pois a classe trabalhadora industrial, branca e masculina parecia muito menos significante na formação da sociedade britânica. O período mais recente, desde 2000, viu um notável ressurgimento da “análise de classe cultural”, fortemente associada à influência de Pierre Bourdieu, e na parte final deste artigo esbocei o seu apelo e o seu potencial para fortalecer o estudo de classe de forma mais ampla.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mike Savage, London School of Economics
Professor de sociologia na London School of Economics.
Publicado
2016-09-06
Como Citar
Savage, M. (2016). A queda e o crescimento da análise de classes na sociologia britânica, 1950-2016. Tempo Social, 28(2), 57-72. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2016.110570
Seção
Dossiê - Classes Sociais e Desigualdades: sociabilidade, cultura, política