Marcelo Pombo: condições de formação de um artista improvável

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2017.111319

Palavras-chave:

Campo artístico argentino, Transição democrática, Trajetória social, Homossexualidades, Sociologia da cultura

Resumo

O artigo revisa a trajetória social do artista Marcelo Pombo, referência na renovação estética na Argentina pós-ditadura. Seu caso é tomado como paradigma de um tipo de artista que, carente de capital intelectual ou econômico, ingressa no campo artístico durante os anos iniciais da democracia, apresentando um universo estético plebeu que confronta os estilos legítimos. Por meio da análise de distintas etapas de seu itinerário – origem familiar, formação, trajetória laboral, relações pessoais e, sobretudo, sua experiência homossexual e posterior participação no ativismo gay – o artigo analisa as bases sociais de uma estratégia artística dissidente cujo traço central é a reivindicação da autonomia perdida

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Eva Cerviño, Universidad de Buenos Aires (UBA). Instituto de investigaciones Gino Germani

Professora da Facultad de Ciencias Sociales da Universidad de Buenos Aires (UBA). Licenciada em Artes Visuais e em Sociologia, mestre em Investigação em Ciências Sociais,
doutora em Ciências Sociais pela UBA. É investigadora assistente do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Tecnológicas (Conicet), radicada no Instituto Gino Germani (UBA)

Publicado

2017-12-12

Como Citar

Cerviño, M. E. (2017). Marcelo Pombo: condições de formação de um artista improvável. Tempo Social, 29(3), 287-311. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2017.111319

Edição

Seção

Artigos