Reimaginando a dinâmica capitalista: expectativas ficcionais e o caráter aberto dos futuros econômicos

Autores

  • Jens Beckert Max Planck Institute for the Study of Societies

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2017.119003

Palavras-chave:

Expectativas, Incerteza, Capitalismo, Ficção, Futuros

Resumo

Este artigo procura contribuir com a explicação sobre o incansável dinamismo do capitalismo que temos observado desde a Revolução Industrial. Ao tomar decisões, atores criam expectativas sobre seus resultados. Como o futuro é aberto, atores têm de confrontar a incerteza sobre o resultado de suas ações. Quais são as expectativas possíveis em condições de incerteza? Para responder a essa pergunta, o artigo introduz a noção de expectativas ficcionais, que podem ser utilizadas para descrever decisões realizadas sob condições de um futuro aberto e incerto. O artigo aplica o conceito de expectativas ficcionais para a análise de quatro processos cruciais do capitalismo: dinheiro e crédito, investimentos, inovação e consumo. O principal impulso do artigo é argumentar que, para compreender a ação econômica no capitalismo e o sentido que atores atribuem a suas decisões, é necessário centrar a atenção nas percepções dos atores a respeito do futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jens Beckert, Max Planck Institute for the Study of Societies

Diretor do Max Planck Institute for the Study of Societies e professor de sociologia

Downloads

Publicado

2017-04-15

Como Citar

Beckert, J. (2017). Reimaginando a dinâmica capitalista: expectativas ficcionais e o caráter aberto dos futuros econômicos. Tempo Social, 29(1), 165-189. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2017.119003

Edição

Seção

Dossiê - Os sentidos sociais da economia