O Brasil sob Cardoso: neoliberalismo e desenvolvimentismo

Autores

  • Brasilio Sallum Jr Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Sociologia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-20701999000200003

Palavras-chave:

Estado, governo, crise política, transição política, hegemonia, política econômica, desenvolvimento, neoliberalismo, Fernando Henrique Cardoso

Resumo

Este artigo tem três partes. Na primeira, faz-se o exame dos processos de conquista do poder de Estado que culminaram na eleição de FHC usando o conceito de hegemonia e a idéia de momento maquiaveliano, derivada de Pocock. Na segunda parte, mostra-se que o novo bloco político no poder, para além de sua orientação liberal e internacionalizante, polariza-se entre duas versões contrapostas de liberalismo, o fundamentalismo neoliberal e o liberal-desenvolvimentismo. Discute-se os efeitos socioeconômicos da adoção pelo governo do neoliberalismo como eixo de sua política macroeconômica. Na terceira parte, analisam-se as razões políticas que levaram a Presidência reiteradamente a essa escolha. A hipótese explicativa sugerida é de que a Presidência da República interpretou a manutenção do fundamentalismo neoliberal como um meio decisivo para assegurar o necessário controle sobre o sistema político. Sugere-se, ao final, que as mudanças macroeconômicas iniciadas em janeiro de 1999 dão as bases para uma reorientação liberal-desenvolvimentista do governo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOZA FILHO, Rubens. (1995) FHC: Os paulistas no poder. In: AMARAL, Roberto (org.). FHC: Os paulistas no Poder. Niterói, Casa Jorge Editorial, p. 93-155.

BOBBIO, Norberto et alli.(1994) Dicionário de Política. 6a edição, Vol. 1. Brasília, Editora UnB.

BIERSTEKER, Thomas J. (1995) The “triumph”of liberal economic ideias. In: STALLINGS, Barbara (org.). Global change, regional response. Cambridge, Cambridge University Press, p. 174-196.

CHESNAIS, François. (1998a) A fisionomia das crises no capitalismo mundializado. Novos Estudos, 52: 21-54, novembro.

CHESNAIS, François. (org.). (1998b) A mundialização financeira – gênese, custos e riscos. São Paulo, Xamã.

DINIZ, Eli (org.). (1993) Empresários e Modernização Econômica: Brasil anos 90. Florianópolis, Ed. UFSC/IDACON.

FIGUEIREDO, Argelina C. & LIMONGI, Fernando. (1998) Reforma da Previdência e Instituições Políticas. Novos Estudos, 51: 63-90, julho.

FIORI, José Luiz. (1995) Em Busca do Dissenso Perdido. Rio de Janeiro, Insight.

FLANAGAN, Scott. (1973) Models and methods of analysis. In: ALMOND, G. et alli (orgs.). Crisis, choice and change. Boston, Little Broen, p. 43-101.

FREIFUSS, René. (1989) O Jogo da Direita – Na Nova República. Petrópolis, Vozes, p. 181-294.

GARRETÓN, Manuel. (1993) Las transiciones en su contexto. In: Cambio XXI Fundación Mexicana (org.). Las transiciones a la democracia. Mexico, D.F., Miguel Porrua Ed.

MALLOY, James & CONNAGHAN, C. (1996) Unsettling Statecraft, democracy and neo-liberalism in Central Andes. Pittsburg, Pittsburg University Press.

MENDONÇA DE BARROS, José Roberto (org.). (1998) Agricultura e Estabilização no Brasil (1995-1998). Brasília-DF, Embrapa-SPI/Ministério da Fazenda.

NOBRE, Marcos & FREIRE, Vinícius Torres. (1998) Política difícil, estabilização imperfeita: os anos FHC. Novos Estudos, 51: 123-147.

OLIVEIRA, Francisco de. (1996) O primeiro ano do governo Fernando Henrique Cardoso (Debate). Novos Estudos, 44: 47-72, março.

PAULA, Luiz Fernando Rodrigues de & ALVES JR., Antônio José. (1999) Fragilidade financeira externa e os limites da política cambial no Real. Revista de Economia Política, 19(1): 72-93, janeiro-março.

POCOCK, J.G.A. (1975) The Machiavellian Moment. Princeton, Princeton Univerty Press.

SALLUM JR., Brasilio. (1996) Labirintos – Dos generais à Nova República. São Paulo, Hucitec/Sociologia-USP.

SALLUM JR., Brasilio. (1997) Estamos reorganizando o capitalismo brasileiro (entrevista de Fernando Henrique Cardoso). Lua Nova, São Paulo, 39: 11-31.

SALLUM JR., Brasilio. (1998) Globalização e Estratégia para o Desenvolvimento: o Brasil nos anos 90. In: DINES, Alberto et alii. Sociedade e Estado: Superando Fronteiras. São Paulo, Edições Fundap, p. 243-280.

SCHWARTSMAN, Alexandre. (1999) A crise cambial e o ajuste fiscal. Revista de Economia Política, 19(1): 5-29, janeiro-março.

SOLA, Lourdes & KUGELMAS, Eduardo. (1996) Statecraft, instabilidade econômica e incerteza política: o Brasil em perspectiva comparada. In: DINIZ, Eli (org.). Anais do Seminário Internacional: O desafio da democracia na América Latina.Rio de Janeiro, Iuperj, p. 398-414.

TAVARES DOS SANTOS, José Vicente. (1998) Relatório Final do Projeto “Conflitos Sociais Agrários”. Convênio FAO-INCRA/IFLCHUFURGS, dezembro.

UNGER, Roberto Mangabeira. (1998) Democracy Realized – The progressive alternative. London/NewYork, Verso.

VIANA, Luiz Werneck. (1995) O Coroamento da Era Vargas e o Fim da História do Brasil. Dados, Rio de Janeiro, 38(1): 163-170.

Downloads

Publicado

1999-10-01

Como Citar

Sallum Jr, B. (1999). O Brasil sob Cardoso: neoliberalismo e desenvolvimentismo . Tempo Social, 11(2), 23-47. https://doi.org/10.1590/S0103-20701999000200003

Edição

Seção

Dossiê FHC - 1º Governo