Trabalho em call centers em Portugal e no Brasil: a precarização vista pelos operadores

  • Hermes Augusto Costa Universidade de Coimbra - Faculdade de Economia
  • Elizardo Scarpati Costa Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - Instituto de Ciências Humanas e da Informação
Palavras-chave: Call centers, Precarização, Percepções de operadores, Portugal, Brasil

Resumo

 

Um retrato contemporâneo do mercado de trabalho em países como Portugal e Brasil permite identificar várias modalidades de precarização. Depois de uma breve reflexão teórica sobre a precariedade, as modalidades de precarização e os mecanismos regulatórios adotados nos dois países, o texto sintetiza alguns resultados de uma pesquisa empírica realizada em dois call centers no setor das telecomunicações situados em cidades (portuguesa e brasileira) de média dimensão. Analisam-se as percepções dos operadores de atendimento telefônico sobre o processo de trabalho e argumenta-se que, apesar das diferenças de performance econômica dos dois países nos últimos anos, as relações de trabalho instáveis e precárias têm-se tornado a norma nos call centers estudados.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hermes Augusto Costa, Universidade de Coimbra - Faculdade de Economia

Doutor em sociologia pela Universidade de Coimbra, professor
da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e pesquisador do Centro de Estudos Sociais

Elizardo Scarpati Costa, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - Instituto de Ciências Humanas e da Informação

Doutor em sociologia pela Universidade de Coimbra e professor
do Instituto de Ciências Humanas e da Informação da Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Publicado
2018-04-26
Como Citar
Costa, H., & Costa, E. (2018). Trabalho em call centers em Portugal e no Brasil: a precarização vista pelos operadores. Tempo Social, 30(1), 105-127. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2018.123181
Seção
Dossiê: Sociedade, trabalho e sindicalismo na contemporaneidade