A antropologia urbana e os desafios da metrópole

Autores

  • José Guilherme Cantor Magnani Universidade de São Paulo. Departamento de Antropologia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-20702003000100005

Palavras-chave:

Antropologia urbana, Etnografia, Metrópole, Pesquisa de campo

Resumo

O texto analisa a situação da disciplina antropologia urbana no campo das ciências sociais e sua contribuição para o estudo e a compreensão do fenômeno urbano, principalmente no caso das grandes metrópoles contemporâneas. O eixo da argumentação é o de que, para realizar essa tarefa, a antropologia urbana tem à sua disposição o método etnográfico, porém o desafio é aplicar essa abordagem sem cair na "tentação da aldeia", isto é, a de buscar na heterogênea realidade das grandes cidades as condições da aldeia - pequenos grupos, contextos limitados - supostamente identificadas com o enfoque etnográfico. Vários exemplos de pesquisas recentes sobre a cidade de São Paulo, realizados no Núcleo de Antropologia Urbana (NAU) e no Departamento de Antropologia da USP são apresentados para mostrar as potencialidades da aplicação de conceitos, técnicas e métodos desenvolvidos na antropologia e, em particular, na antropologia urbana, para o estudo de formas de sociabilidade e práticas culturais na escala da metrópole.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DA MATTA, Roberto. (1979), Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro, Zahar.

GEERTZ, Clifford. (1978), Interpretação das culturas. Rio de Janeiro, Zahar.

HANNERZ, Ulf. (1986), Exploración de la ciudad. México, Fondo de Cultura Económica.

HERTZ, Robert. ([1909]1980), “A preeminência da mão direita: um estudo sobre a polaridade religiosa”. Religião e Sociedade, 6, Rio de Janeiro.

LÉVI-STRAUSS, Claude. (1991), Antropologia estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro.

MAGNANI, J. Guilherme. (1998), Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. 2. ed., São Paulo, Hucitec.

MAGNANI, J. Guilherme. (2002), “De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 17 (49), jun., São Paulo.

MAGNANI, J. Guilherme & TORRES, Lilian. (2000), Na metrópole: textos de antropologia urbana. São Paulo, Edusp/Fapesp.

MALINOWSKI, Bronislaw. ([1922] 1978), Argonautas do Pacífico ocidental. São Paulo, Abril Cultural (coleção “Os Pensadores”).

MARCUS, George. (1991), “Identidades passadas, presentes e emergentes: requisitos para etnografias sobre a modernidade no final do século XX no nível mundial. Revista de Antropologia, 34, São Paulo.

MERLEAU-PONTY, Maurice. (1984), “De Mauss a Claude Lévi-Strauss”. In: Textos selecionados, São Paulo, Abril Cultural (coleção “Os Pensadores”).

RIGAMONTE, Rosani. (2001), Sertanejos contemporâneos: entre a metrópole e o sertão. São Paulo, Humanitas/Fapesp.

SAHLINS, Marshall. (1997), “O ‘pessimismo sentimental’ e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um ‘objeto’ em via de extinção”. Mana, 3 (1 e 2), Rio de Janeiro.

VELHO, Otávio (org.). (1987), O fenômeno urbano. Rio de Janeiro, Guanabara.

Downloads

Publicado

2003-04-01

Como Citar

Magnani, J. G. C. (2003). A antropologia urbana e os desafios da metrópole . Tempo Social, 15(1), 81-95. https://doi.org/10.1590/S0103-20702003000100005

Edição

Seção

Aula Inaugural