Bourdieu e a nova sociologia econômica

Autores

  • Cécile Raud Universidade Federal de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-20702007000200008

Palavras-chave:

Mercado, Habitus, Campo econômico, Pierre Bourdieu, Sociologia Econômica

Resumo

Este artigo objetiva analisar a sociologia do mercado de Pierre Bourdieu, a fim de avaliar os alcances e os limites do pensamento de um dos autores mais representativos da Nova Sociologia Econômica francesa Com base na leitura crítica de alguns textos selecionados, chegamos à conclusão de que se trata de uma análise genuinamente sociológica dos fenômenos econômicos, uma vez que o sociólogo francês aplica seu quadro analítico, articulado ao redor dos conceitos-chave de campo e habitus, à esfera econômica, mostrando que o mercado é o produto de uma construção social Além de destacar a gênese social das disposições econômicas e de caracterizar o mercado como um campo de lutas onde se enfrentam agentes dotados de recursos diferentes, Bourdieu insiste no papel do Estado na regulação desse mercado, mobilizando dessa maneira, ao mesmo tempo, uma sociologia do conhecimento e uma sociologia política na sua análise da esfera econômica. No entanto, apesar de uma reflexão pioneira em termos de crenças econômicas, a abordagem de Bourdieu apresenta uma série de limitações que dizem respeito, entre outras, a certa ambigüidade no que tange às motivações do agente econômico moderno e à delimitação da esfera econômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-11-01

Como Citar

Raud, C. (2007). Bourdieu e a nova sociologia econômica . Tempo Social, 19(2), 203-232. https://doi.org/10.1590/S0103-20702007000200008

Edição

Seção

Artigos