A subjetividade no trabalho em questão

  • Laerte Idal Sznelwar USP; Escola Politécnica; Departamento de Engenharia de Produção
  • Seiji Uchida Fundação Getulio Vargas
  • Selma Lancman FMUSP; Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional
Palavras-chave: Subjetividade e trabalho, Psicodinâmica do trabalho, Organização do trabalho, Saúde mental, Sofrimento

Resumo

Neste artigo a subjetividade no trabalho e a centralidade do trabalho na construção do sujeito, da sua saúde mental e sua identidade são tratadas à luz da psicodinâmica do trabalho. Destaca-se, a partir de pesquisas e ações desenvolvidas, a invisibilidade, decorrente do que não é reconhecido pelos outros e pela hierarquia nas organizações. Diferentes maneiras de organizar o trabalho privilegiaram visões distintas e parciais das pessoas, desconsiderando a existência do sujeito. O conceito da racionalidade pathica distingue o sujeito de um operador, sendo a vivência, neste caso, central. O sujeito busca o sentido num processo de realização de si no interior de um coletivo, é aquele que zela para que os resultados do trabalho sejam os melhores possíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-01-01
Como Citar
Sznelwar, L., Uchida, S., & Lancman, S. (2011). A subjetividade no trabalho em questão . Tempo Social, 23(1), 11-30. https://doi.org/10.1590/S0103-20702011000100002
Seção
Dossiê - Subjetividade e Cultura: O sofrimento no social