Mal-estar, sofrimento e sintoma: releitura da diagnóstica lacaniana a partir do perspectivismo animista

  • Christian Ingo Lenz Dunker
Palavras-chave: Diagnóstico, Psicanálise, Perspectivismo

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a noção de forma de vida como conceito útil para a recontextualização da diagnóstica psicanalítica, decorrente dos trabalhos de Jacques Lacan, no quadro da metadiagnóstica da modernidade, desenvolvida pelas teorias sociais, especialmente as de extração crítica. Para justificar a utilidade clínica e crítica do conceito de forma de vida vamos realizar uma redescrição das oposições fundamentais da diagnóstica psicanalítica (falta e excesso, produção e improdução, determinação e indeterminação), consideradas, respectivamente, como derivativos da esfera do desejo, da linguagem e do trabalho. Para tanto, propomos uma homologia entre a psicopatologia psicanalítica e a noção de perspectivismo ameríndio, desenvolvida por Viveiros de Castro (2002), que adquire neste trabalho uma dupla finalidade: 1) responder a críticas dirigidas ao estruturalismo lacaniano em psicopatologia; e 2) justificar a distinção entre sintoma, sofrimento e mal-estar.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-01-01
Como Citar
Dunker, C. (2011). Mal-estar, sofrimento e sintoma: releitura da diagnóstica lacaniana a partir do perspectivismo animista . Tempo Social, 23(1), 115-136. https://doi.org/10.1590/S0103-20702011000100006
Seção
Dossiê - Subjetividade e Cultura: O sofrimento no social