Um diplomata em defesa do princípio universal dos direitos humanos

Entrevista com José Augusto Lindgren Alves

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2020.166581

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Diplomacia brasileira, José Augusto Lindgren Alves

Resumo

Entrevista com o embaixador brasileiro José Augusto Lindgren Alves. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Mesquita, Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Doutor em história social pela Universidade de São Paulo com pós-doutorado pela Escola de Ciências Sociais/CPDOC da FGV. Em 2020, é professor visitante da University of Birmingham, Inglaterra, onde desenvolve estudos sobre o papel do Brasil na descolonização africana. É também autor de artigos e livros, sendo o mais recente, em coautoria com Elizabeth Cancelli e Wanderson Chaves, Guerra Fria e Brasil: para a agenda de integração do negro na sociedade de classes (Alameda, 2020).

Referências

Arendt, Hannah. (2007), Origens do totalitarismo. São Paulo, Companhia das Letras.
Foucault, Michel. (1979), Microfísica do poder. Rio de Janeiro, Graal.
Freyre, Gilberto. (2006), Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime de economia patriarcal. 1ª edição 1933. São Paulo, Global.
Levitsky, Steven & Ziblatt, Daniel. (2018), How Democracies Die. New York, Broadway Books.
Lilla, Mark. (2017), The Once and Future Liberal: After Identity Politics. New York, Harper.
Lindgren Alves, José Augusto. (1994), Os direitos humanos como tema global. São Paulo, Perspectiva.
Lindgren Alves, José Augusto. (2018a), É preciso salvar os direitos humanos. São Paulo, Perspectiva.
Lindgren Alves, José Augusto. (2018b), A década das conferências (1990-1999). 2ª ed. Brasília, Funag.
Marshall, T. H. (1967), Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro, Zahar.
Munanga, Kabengele. (2006), “Algumas considerações sobre ‘raça’, ação afirmativa e identidade negra no Brasil: fundamentos antropológicos”. Revista USP, 68: 46-57.
N’Diaye, Tidiane. (2009), Le génocide violé: enquête historique. Paris, Gallimard.
Organization Of American States. (1948), American Declaration of the Rights and Duties of Man. http://www.oas.org/en/sla/. Consultado em 13/02/2020.
Pierucci, Antônio Flávio. (1990), “Ciladas da diferença”. Tempo Social, 2 (2): 7-33.
Taylor, Charles et al. (1994), Multiculturalism: Examining the Politics of Recognition. Princeton, Princeton University Press.
United Nations. (1948), Universal Declaration of Human Rights. New York, UN. https://www.un.org/en/universal-declaration-human-rights/. Consultado em 13/02/2020.
United Nations. (1965), International Convention on the Elimination of All Forms of Racial Discrimination. New York, un. https://www.ohchr.org/EN/ProfessionalInterest/Pages/CERD.aspx. Consultado em 13/02/2020.
United Nations. (1993), Vienna Declaration and Program of Action. New York, un. https://
www.ohchr.org/EN/ProfessionalInterest/Pages/Vienna.aspx. Consultado em 13/02/2020.
United Nations. (2002), Durban Declaration and Program of Action. New York, un. Disponível em https://www.ohchr.org/EN/ProfessionalInterest/Pages/UniversalHumanRightsInstruments.aspx. Consultado em 13/02/2020

Downloads

Publicado

2020-08-05

Como Citar

Mesquita, G. (2020). Um diplomata em defesa do princípio universal dos direitos humanos: Entrevista com José Augusto Lindgren Alves. Tempo Social, 32(2), 307-327. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2020.166581

Edição

Seção

Entrevista

Dados de financiamento