Apresentação

Autonomia e heteronomia no estudo das trajetórias artísticas e intelectuais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2020.169987

Palavras-chave:

Trajetórias, Consagração, Intelectuais, Artistas, Biografia

Resumo

Apresentação ao dossiê - Trajetórias de consagração cultural: entre a autonomia e a heteronomia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Garson, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professor do Departamento de Comunicação da UFPR e doutor em sociologia pela Universidade de São Paulo

Andrea Borges Leão, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Professora do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFC

Rodrigo Czajka, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professor do Departamento de Sociologia e do Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFPR

Fernando Pinheiro, Universidade de São Paulo (USP)

Professor do Departamento de Sociologia e do Programa de Pós-graduação em Sociologia da USP

Referências

Boschetti, Anna. (2010), L’espace culturel transnational (Sous la direction). Paris, Nouveau Monde Éditions, 2010.
Bourdieu, Pierre. (1986), “L’illusion biographique”. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, 62-63: 62-72. Ed. bras.: Bourdieu, Pierre. (1996), “A ilusão biográfica”. In: Amado, Janaina & Ferreira, Marieta de Moraes. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro, Editora da Fundação Getúlio Vargas.
Bourdieu, Pierre. (2004), “Da regra às estratégias”. In: Coisas ditas. São Paulo, Brasiliense.
Bourdieu, Pierre. (2005), As regras da arte. São Paulo, Companhia das Letras.
Becker, Howard. (1963), Outsiders: Studies on the sociology of deviance. Nova York, The Free Press.
Becker, Howard. (1982), Art worlds. Berkeley/Los Angeles, University of California Press.
Becker, Howard. (1986), “Biographie et mosaique scientifique”. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, 62-63: 105-110.
Chartier, Roger. (1990), A história cultural entre práticas e representações. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil.
Dosse, François. (2009), O desafio biográfico: escrever uma vida. Tradução de Gilson César Cardoso de Souza. São Paulo, Edusp.
Denora, Tia. (1995), Beethoven and the construction of genius. Londres, University of California Press.
Elias, Norbert. (1995), Mozart, sociologia de um gênio. Rio de Janeiro, Jorge Zahar.
Ginzburg, Carlo (1987), O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo, Companhia das Letras.
Heinich, Nathalie. (2010), “Pour en finir avec l’ ‘illusion biographique’”. L’Homme, 195-196: 421-430. Disponível em <https://www.cairn.info/revue-l-homme-2010-3-page- 421.htm#re3no3>, consultado em 12/2015.
Kant, Immanuel. ([1785] 1974), Fundamentação da metafísica dos costumes. São Paulo, Abril Cultural, col. Os Pensadores.
Kant, Immanuel. (1995), Duas introduções à crítica do juízo. Organização de Ricardo Ribeiro Terra. São Paulo, Iluminuras.
Kant, Immanuel. (1996a), Crítica da razão pura. São Paulo, Nova Cultural.
Kant, Immanuel. (1996b), Sobre a pedagogia. Piracicaba, Unimep.
Konder, Leandro. (1991), Hegel ou a razão quase enlouquecida. Rio de Janeiro, Campus.
Le Guerne, Philippe. “Presentation”. (2003), Réseaux, 1 (117): 9-44.
Levi, Giovanni. ([1989] 2014), “The uses of biography”. In: Renders, Hans & De Haan, Binne (eds.). Theoretical discussions of biography: approaches from history, microhistory, and life writing. Leyden, Brill Academic Publishing
Lizé, Wenceslas. (2016), “Cultural consecration and legitimation: Modes, agents and processes”. Poetics, 59: 1-4.
Loriga, Sabina. (2011), O pequeno x: da biografia à história. Belo Horizonte, Autêntica.
Löwy, Michael & Sayre, Robert. (1995), Revolta e melancolia: o romantismo na contramão da modernidade.
Petrópolis, Vozes.
Marx, Karl. (1976), Miséria da filosofia. São Paulo, Grijalbo.
Marx, Karl & Engels, Frederich. (1974), Escritos sobre literatura e arte. Lisboa, Estampa.
Miceli, Sérgio. (2005), A noite da madrinha. São Paulo, Companhia das Letras.
Ortiz, Renato. (1988), A moderna tradição brasileira. São Paulo, Ática.
Passeron, Jean Claude. (1995), “Biografia, fluxos, itinerários e trajetórias”. In: O raciocínio sociológico: o espaço não-popperiano de raciocínio natural. Rio de Janeiro, Vozes.
Renders, Hans & DeHaan, Binne (eds.) (2014), Theoretical discussions of biography: approaches from history, microhistory, and life writing. Leyden, Brill Academic Publishing.
Rohden, Valério. (2016), “Gênese da Crítica da razão prática”. In: Kant, Immanuel. Crítica da razão prática. São Paulo, Martins Fontes.
Sapiro, Gisèle. (2004), “Elementos para uma história do processo de autonomização”. Tempo Social, 16 (1): 93-105. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702004000100005&lng=en&nrm=iso>, consultado em 14/4/2020.
Schiller, Friedrich. (2002), Educação estética do homem numa série de cartas. São Paulo, Iluminuras.
Shaw, Clifford R. ([1930] 2013), The Jack Roller: A delinquent boy’s own story. Chicago, University of Chicago Press.
Terra, Ricardo. (1995), “Reflexão e sistema: as duas introduções à Crítica do juízo”. In: Kant, Immanuel. Duas introduções à Crítica do juízo. São Paulo, Iluminuras.
Thomas, William Isaac & Znaniecki, Florian. (1918), The Polish peasant in Europe and America. Boston, Gorham Press.
Weber, Max. (2003), Economia e sociedade, vol. i. Brasília, Editora da UnB.
Williams, Raymond. (2011), “Base e superestrutura na teoria da cultura marxista”. In: Cultura e materialismo. São Paulo, Edunesp.

Downloads

Publicado

2020-08-05

Como Citar

Garson, M., Leão, A. B., Czajka, R., & Pinheiro, F. (2020). Apresentação: Autonomia e heteronomia no estudo das trajetórias artísticas e intelectuais. Tempo Social, 32(2), 1-20. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2020.169987

Edição

Seção

Dossiê - Trajetórias de consagração cultural: entre a autonomia e a heteronomia