Cidade flutuante: Manaus em três autores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2022.184347

Palavras-chave:

Literatura, Cidade, Amazônia, Manaus

Resumo

A partir de uma análise de alguns dos contos de Alberto Rangel em Inferno verde, de Márcio Souza em A caligrafia de Deus, e de Milton Hatoum em A cidade ilhada, o artigo objetiva articular os diferentes modos de figuração da cidade de Manaus e relacionar o texto literário com a problemática urbana. A análise dos contos aponta tanto para as questões relativas ao trabalho intelectual e literário a partir da cidade quanto para as novas representações da Amazônia fabuladas pelos autores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Aurélio Coelho Paiva, Universidade Federal do Amazonas

Doutor em sociologia e professor associado III do Departamento de Ciências Sociais da UFAM.

Referências

Amaral, Vinícius Alves do. (2015), “Ou a revolta ou a obediência estúpida”: Aldísio Filgueiras frente à ditadura civil-militar (1964-1968). Manaus, dissertação de mestrado em História, Universidade Federal do Amazonas.

Arruda, Maria Arminda do Nascimento. (2015), Metrópole e cultura: São Paulo no meio do século XX. 2 ed. São Paulo, Edusp.

Benjamin, Walter. (2015), Baudelaire e a modernidade. Tradução de João Barrento. Belo Horizonte, Autêntica Editora.

Candido, Antonio. (2000), A educação pela noite & outros ensaios. 3 ed. São Paulo, Ed. Ática.

Chevalier, Jean & Gheerbrant, Alain. (2012), Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Tradução de Vera da Costa e Silva. 26 ed. Rio de Janeiro, José Olympio.

Clark, T. J. (2004), A pintura da vida moderna; Paris na arte de Manet e de seus seguidores. Tradução de José Geraldo Couto. São Paulo, Companhia das Letras.

Cristo, Maria da Luz Pinheiro de (org.). (2007), Arquitetura da memória: ensaios sobre os romances Relato de um certo Oriente, Dois irmãos e Cinzas do Norte de Milton Hatoum. Manaus, Ed. da Universidade Federal do Amazonas/Uninorte.

Galvão, Walnice & Galotti, Oswaldo. (org.). (1997), Correspondência de Euclides da Cunha. São Paulo, Edusp.

Hardman, Francisco Foot. (2005), “Revolta; na planície do esquecimento: a grande falha amazônica”. Cadernos de Literatura Brasileira. São Paulo, n. 19, p. 96-117.

Hatoum, Milton. (2009), A cidade ilhada; contos. São Paulo, Companhia das Letras.

Hatoum, Milton. (2019), Pontos de fuga. São Paulo, Companhia das Letras.

Leão, Allison & Krüger, Frederico (orgs.). (2013), O mostrador da derrota: estudos sobre o teatro a e ficção de Márcio Souza. Manaus, uea.

Leenhardt, Jacques. (1996), “Uma poética da fronteira”. Literatura e Sociedade, 1 (1). Disponível em https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i1p15-21.

Mesquita, Otoni. (2009), La Belle Vitrine: Manaus entre dois tempos (1890-1900). Manaus, Edua.

Paiva, Marco Aurélio C. de. (2010), O papagaio e o fonógrafo; os prosadores de ficção na Amazônia. Manaus, Edua.

Paiva, Marco Aurélio C. de. (2011), “O sertão amazônico: o inferno de Alberto Rangel”. Sociologias. Porto Alegre, 26 (13).

Rama, Ángel. (2015), A cidade das letras. Tradução de Emir Sader. São Paulo, Boitempo.

Rangel, Alberto. (2001), Inferno verde; cenas e cenários do Amazonas. 5 ed. Manaus, Ed. Valer/Edições Governo do Estado.

Ridenti, Marcelo. (2014), Em busca do povo brasileiro; artistas da revolução, do cpc à era da TV. 2 ed. São Paulo, Ed. Unesp.

Schama, Simon. (1996), Paisagem e memória. Tradução de Hildergard Feist. São Paulo, Companhia das Letras.

Schorske, Carl. (1988), Viena fin-de-siècle; política e cultura. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo, Companhia das Letras.

Seráfico, Marcelo. (2011), Globalização e empresariado: estudo sobre a Zona Franca de Manaus. São Paulo, Annablume.

Sevcenko, Nicolau. (1995), Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 4 ed. São Paulo, Brasiliense.

Simas, L. G. de. (1949), Elucidário do Inferno verde, de Alberto Rangel. Revista do Arquivo. São Paulo, CXXVII.

Simmel, Georg. (2013), “As grandes cidades e a vida do espírito”. Tradução de Leopoldo Waizbort. In: Botelho, André (org.). Essencial sociologia. São Paulo, Penguin Classics/Companhia das Letras, pp. 311-329.

Souza, Márcio. (1994), A caligrafia de Deus. São Paulo, Marco Zero.

Souza, Márcio. (2005), “Ofício de escritor (entrevista)”. Cadernos de Literatura Brasileira. São Paulo, n. 19, pp. 23-49.

Süssekind, Flora. (1987), Cinematógrafo de letras; literatura, técnica e modernização no Brasil. São Paulo, Companhia das Letras.

Williams, Raymond. (1989), O campo e a cidade; na história e na literatura. Tradução de Paulo Henriques Britto. São Paulo, Companhia das Letras.

Williams, Raymond. (2005), “Ideas of nature”. In: Culture and materialism. Londres, Verso, pp. 67-85.

Downloads

Publicado

2022-04-16

Como Citar

Paiva, M. A. C. (2022). Cidade flutuante: Manaus em três autores. Tempo Social, 34(1), 131-151. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2022.184347

Edição

Seção

Artigos