Vida e morte do Mito Bandeirante

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2022.192758

Palavras-chave:

História de São Paulo, Bandeirantes, Kátia Abud

Resumo

Resena de O sangue intimorato e as nobilíssimas tradições: a construção de um símbolo paulista, o bandeirante. Cuiabá, EdUFMT, 2019, de Kátia Maria Abud.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helga da Cunha Gahyva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora do departamento de sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS/UFRJ).

Referências

Abud, Kátia Maria. (2019), O sangue intimorato e as nobilíssimas tradições: a construção de um símbolo paulista, o bandeirante. Cuiabá, EDUFMT.

Ferreira, Antonio Celso. (2002), A epopeia bandeirante: letrados, instituições, invenção histórica (1870-1940). São Paulo, Unesp, pp. 78-87.

Ferretti, Danilo Zioni. (2008), “O uso político do passado bandeirante: o debate entre Oliveira Vianna e Alfredo Ellis Jr.”. Estudos Históricos, 21 (41): 59-78, jan.-jun.

Mello e Souza, Laura de. (2000), “Vícios, virtudes e sentimento regional: São Paulo, da lenda negra à lenda áurea”. Revista de História, 142-143: 261-276.

Monteiro, John Manuel. (1994), Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo, Companhia das Letras.

Nora, Pierre. (1993), “Entre memória e história: a problemática dos lugares”. Projeto História, puc, 10: 7-28, dez.

Queiroz, Maria Isaura de. (1992), “Ufanismo paulista: vicissitudes de um imaginário”. Revista USP, 13: 79-87.

Saint-Hilaire, Auguste de. (1940), Viagem à Província de São Paulo e resumo das viagens ao Brasil, Província Cisplatina e Missões do Paraguai. São Paulo, Martins.

Weber, Max. (1993), “A ciência como vocação”. In: Weber, Max. Ciência e Política: duas vocações. São Paulo, Cultrix.

Downloads

Publicado

2022-04-16

Como Citar

Gahyva, H. da C. (2022). Vida e morte do Mito Bandeirante. Tempo Social, 34(1), 181-186. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2022.192758

Edição

Seção

Resenhas