Os significados de caipira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2022.194654

Palavras-chave:

Cultura caipira, Mundo rural, Migração, Identidade

Resumo

O presente artigo investiga a consolidação histórica da civilização caipira, o seu desmantelamento a partir de mudanças estruturais da sociedade brasileira e a resiliência de características de uma antiga cultura rural. O objetivo é acompanhar as mudanças nos usos do termo “caipira” para compreender o significado atribuído a ele hoje por aqueles que se identificam com tal cultura. Conclui-se que o conceito analisado sofreu um expressivo deslocamento semântico, devido às profundas transformações materiais e sociais pelas quais passou a população rural do centro-sul do Brasil tal como descrita pela Sociologia Rural  paulista. Hoje, em vez do tipo humano característico dos bairros rurais, os elementos  simbólicos e as referências identitárias tornam-se centrais para designar os indivíduos que se consideram herdeiros da matriz cultural caipira, ampliando-se, assim, os seus significados para tempos, espaços e experiências diversos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Antonio Guerra, Universidade de São Paulo

Doutor em Sociologia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP

Referências

Amaral, Amadeu. (1976), O dialeto caipira. São Paulo, Hucitec.

Candido, Antonio. ([1964] 2001), Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo, Editora 34.

Candido, Antonio. Os caipiras por Antonio Candido. (2001), Direção: Isa Grinspum Ferraz. Série Intérpretes do Brasil / tv Cultura e Arte. São Paulo, Cinematográfica Superfilmes.

Dória, Carlos Alberto & Bastos, Marcelo Corrêa. (2018), A culinária caipira da Paulistânia: a história e as receitas de um modo antigo de comer. São Paulo, Três Estrelas.

Durham, Eunice. (1978), A caminho da cidade. São Paulo, Perspectiva.

Elias, Denise. (2011), “Agronegócio e novas regionalizações no Brasil”. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais. Belo Horizonte, 13 (2): 153-167, novembro.

Ferreira, Antonio Celso. (2002), A epopeia bandeirante: letrados, instituições, invenção histórica (1870-1940). São Paulo, Editora Unesp.

Franco, Maria Sylvia de Carvalho. ([1969] 1997), Homens livres na ordem escravocrata. São Paulo, Editora da Unesp.

Graziano da Silva, José. (2002), O novo rural brasileiro. Campinas, Unicamp.

Guerra, Luiz Antonio. (2021), Mestres de ontem e de hoje: uma sociologia da viola caipira. 297 p. São Paulo, tese de doutorado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Jackson, Luiz Carlos. (2001), “A tradição esquecida: estudo sobre a sociologia de Antonio Candido”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, 16 (47): 82-98, outubro.

Lima, Nísia Trindade. (1997), “Jeca Tatu e a representação do caipira brasileiro”. xxiv Encontro Anual da anpocs. Caxambu, outubro.

Martins, José de Souza. (2001), “O futuro da Sociologia Rural e sua contribuição para a qualidade de vida rural”. Estudos Avançados, São Paulo, 15 (43): 31-36, setembro/dezembro.

Monteiro Lobato, José Bento Renato. ([1918] 2004), Urupês. São Paulo, Brasiliense.

Queiroz, Maria Isaura Pereira. (1973), Bairros rurais paulistas: dinâmica das relações bairro-rural-cidade. São Paulo, Duas Cidades.

Santos, Milton. (1993), A urbanização brasileira. São Paulo, Hucitec.

Vilela, Ivan. (2013), Cantando a própria história: música caipira e enraizamento. São Paulo, Edusp.

Willems, Emilio. ([1944] 2009), “O problema rural brasileiro do ponto de vista antropológico”. Tempo Social. 1a edição 1944. São Paulo, 21 (1): 187-210, junho.

Downloads

Publicado

2022-08-29

Como Citar

Guerra, L. A. (2022). Os significados de caipira. Tempo Social, 34(2), 239-256. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2022.194654

Edição

Seção

Artigos