A Tropicália: cultura e política nos anos 60

  • Cláudio N.P. Coelho Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Sociologia
Palavras-chave: "Tropicália", movimento artístico, ideologia, o arcaico e o moderno, revolução e comportamento individual

Resumo

A Tropicália foi um dos movimentos artísticos mais importantes dos anos 60, tendo sido interpretada como uma contestação radical às posições da esquerda, que neste período exercia forte influência sobre a produção cultural. A tese redefinida por este artigo é a de que a Tropicália compartilhava a posição defendida pela esquerda de que a obra de arte deve ter por objeto a realidade brasileira e estar associada às lutas por mudanças revolucionárias, tendo construído, no entanto, uma versão própria desta posição. A Tropicália apresentava uma visão mais complexa da realidade brasileira do que a da esquerda, indicando a presença de uma combinação entre o arcaico e o moderno, enquanto a esquerda só enxergava o arcaico. A noção de Revolução defendida pela esquerda foi ampliada, com a incorporação da revolução nos comportamentos individuais às mudanças sociais. Do enraizamento na realidade que marcou o tropicalismo resultaram obras ainda hoje atuais como "Geléia Real" de Gilberto Gil e "Tropicália" de Caetano Veloso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudio N.P. Coelho, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Sociologia
Doutorando do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Sociologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo
Publicado
1989-12-01
Como Citar
Coelho, C. (1989). A Tropicália: cultura e política nos anos 60. Tempo Social, 1(2), 159-176. https://doi.org/10.1590/ts.v1i2.84780
Seção
Artigos