A reprodução do capital na frente pioneira e o renascimento da escravidão no Brasil

  • José de Souza Martins Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: Peonagem, Trabalho escravo, Superexploração, Amazônia

Resumo

A acelerada expansão territorial do capital, sobretudo na região amazônica, a partir de meados dos anos sessenta, revigorou ali, mas também em outras regiões do país, a escravidão por dívida ou peonagem. Diversa da escravidão clássica, que no Brasil e firmou no cativeiro do negro, a peonagem recente entre nós é marcada por extrema violência física contra os trabalhadores, em alta proporção culminando com o assassinato daqueles que procuram fugir. A tese do autor é a de que a escravidão por dívida é variação extrema do trabalho assalariado em condições de superexploração, isto é, em condições de mercado em que a exploração do trabalhador é levada ao limite de comprometer sua própria sobrevivência. E de que se dá especialmente quando mecanismos de acumulação primitiva são incorporados no processo de reprodução ampliada do capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José de Souza Martins, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Professor do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo
Como Citar
Martins, J. (1). A reprodução do capital na frente pioneira e o renascimento da escravidão no Brasil. Tempo Social, 6(1/2), 1-25. https://doi.org/10.1590/ts.v6i1/2.84955
Seção
Artigos