O moderno e o contemporâneo: reflexões sobre os conceitos de indivíduo, tempo e morte

  • Maria Helena Oliva Augusto Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: Indivíduo, Tempo, Modernidade, Liberdade

Resumo

As relações que os homens compartilham na sociedade, entre elas a própria forma como percebem o tempo, permitem-lhes atribuir significados a várias dimensões de sua existência. O que se pretende nesta comunicação é refletir sobre o sentido que a morte adquire para os indivíduos na socidade contemporânea e, através dessa reflexão, discutir o próprio significado que atribuem à vida. Com essa finalidade, discorrer-se à sobre alguns traços da vida social na modernidade, principalmente sobre a emergência do indivíduo livre e sobre as alterações que se fizeram sentir na noção de tempo. Em seguida, os memso traços serão identificados no mundo contemporâneo. A percepção das alterações de significado que a vida e a morte sofreram na vivência contemporânea das pessoas emergirá, espera-se, da comparação entre os dois momentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Helena Oliva Augusto, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Professora do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo
Como Citar
Augusto, M. H. (1). O moderno e o contemporâneo: reflexões sobre os conceitos de indivíduo, tempo e morte. Tempo Social, 6(1/2), 91-105. https://doi.org/10.1590/ts.v6i1/2.85113
Seção
Artigos