[1]
M. C. Carlotto, “ Nikolas Rose, A política da própria vida: biomedicina, poder e subjetividade no Século XXI ”, Tempo Soc., vol. 26, nº 2, p. 242-248, dez. 2014.