CRÍTICA DA RAZÃO CULTURAL GUINEENSE: UM ESTUDO SOBRE A REPRESENTAÇÃO DA CULTURA EM KIKIA MATCHO, TEXTO FICCIONAL DE FILINTO DE BARROS

  • Sebastião Marques Cardoso Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: teoria literária, estudos pós-coloniais, literaturas africanas de língua portuguesa, Filinto de Barros

Resumo

Kikia Matcho (1997), obra de ficção de Filinto de Barros [1942-2011], merece uma releitura por vários motivos: a)- porque, em face de sua historicidade, o livro é publicado num momento delicado da vida política nacional guineense; b)- porque a sua existência é também reveladora dentro do cânone da literatura pós-colonial de língua portuguesa; c)- porque ainda o livro, enquanto artefato puramente estético, apresenta características peculiares e d)- porque, fundamentalmente, a obra traz de maneira tensa e contraditória vários modos de representação da cultura guineense. Pensando nisso, vamos, neste artigo, tratar, numa primeira etapa, dos três primeiros elementos, conscientes, entretanto, da brevidade da análise e de que os respectivos assuntos poderiam ser ampliados e desenvolvidos em análises separadas. Mesmo assim, justificamos a presença da primeira etapa em nosso texto como, sobretudo, introdução e contextualização da obra de Filinto de Barros para que, na segunda etapa, momento este em que vamos discutir a questão da representação cultural guineense, não percamos de vista o tempo e a complexidade literária da obra deste autor negro-africano. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sebastião Marques Cardoso, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Sebastião Marques Cardoso, pós-doutorado em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP, Brasil), Doutorado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, Brasil), Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP, Brasil). É professor universitário, pesquisador e crítico literário, autor de Poéticas da Mestiçagem: textos sobre culturas literárias e crítica cultural (Curitiba, CRV, 2014), Oswald de Andrade: anti-heroísmo, literatura e crítica (Curitiba, CRV, 2010), João do Rio: espaço, técnica e imaginação literária (Curitiba, CRV, 2011) e do ensaio “Horizontes da crítica literária brasileira contemporânea: Roberto Schwarz e Luiz Costa Lima” de Crítica Literária Contemporânea (VIOLA, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2013). No ano de 2009, foi Leitor brasileiro na Embaixada do Brasil em Guiné-Bissau, sob a missão do Embaixador Jorge Geraldo Kadri. Em Bissau, Sebastião Cardoso auxiliou, também, na docência e na administração da Universidade Amílcar Cabral/ Universidade Lusófona da Guiné como Assessor Científico. Trabalha, hoje, como professor Adjunto em Teoria da Literatura do Departamento de Letras Estrangeiras e como pesquisador permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras, mestrado e doutorado, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN, Brasil). CV: http://lattes.cnpq.br/7160975510328626
Publicado
2017-12-21
Como Citar
Cardoso, S. (2017). CRÍTICA DA RAZÃO CULTURAL GUINEENSE: UM ESTUDO SOBRE A REPRESENTAÇÃO DA CULTURA EM KIKIA MATCHO, TEXTO FICCIONAL DE FILINTO DE BARROS. Via Atlântica, (32), 357-375. https://doi.org/10.11606/va.v0i32.133753
Seção
Outros Textos