AS CRÔNICAS DE JÚLIO GONÇALVES NA REVISTA ILlUSTRAÇÃO GOANA (1864-1866)

Palavras-chave: literatura goesa, crônica, periodismo, Júlio Gonçalves, século XIX

Resumo

O presente artigo faz uma breve apresentação sobre as crônicas produzidas por Júlio Gonçalves no periódico goês Ilustração Goana no século XIX. Conhecido como o primeiro contista em língua portuguesa em Goa, o autor também contribuiu muito com o periodismo literário local, pois criou e dirigiu esta que foi a revista literária com maior duração, assim como escreveu nela a mais importante parte de sua obra. As crônicas, gênero ligeiro que se estabelece entre o conteúdo literário e a velocidade jornalística têm também importância ainda pouco explorada na produção desse autor. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Antonio Pires de Oliveira Filho, Universidade de São Paulo

É doutor da área de Literaturas Comparadas de Língua Portuguesa (2018) na Universidade de São Paulo, mesma instituição em que é mestre (2012). Possui graduação em Letras (bacharelado e licenciatura em português) pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/ USP(2008). Atualmente faz parte do Projeto Pensando Goa- FAPESP/USP, e  pesquisa nas áreas de literaturas comparadas de língua portuguesa, literatura goesa de língua portuguesa e  literatura africana de língua portuguesa.

Referências

ASSIS, Machado. “Crônica de 3 de outubro de 1859”. In: ASSIS, M. Obra completa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1962.
BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 6ª ed. São Paulo: Perspectiva,2005.
BRAYNER, Sonia. “Metamorfoses machadianas”. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982.
CANDIDO, Antonio. A vida ao rés do chão. Campinas: Unicamp, 1992.
DEVI, Vimala; SEABRA, Manuel de. A literatura indo-portuguesa. Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, 1971.
FARIA, João Roberto. Crônicas escolhidas: José de Alencar. Prefácio. São Paulo: Ática; Folha de S. Paulo, 1995.
GARMES, Hélder. A convenção formadora: uma contribuição para a história do periodismo literário nas colônias portuguesas. 1999. Dissertação (Doutorado) – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
GONÇALVES, Chronica do Mez. Illustração Goana, Margão, n. 1, p. 6-7, nov. 1864.
______.n. 2, p. 16-17, dez. 1864.
______.n. 8, p. 17-20, jun. 1865.
______.n. 9, p. 20, jul. 1865
KERBAUY, Ana Cristina. Ilustração Goana e Minerva Brasiliense: a sedimentação do romantismo em Goa e no Brasil. 2008. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
LOBO, Sandra Maria Calvino Ataíde. O desassossego goês: Cultura e política em Goa do Liberalismo ao Acto Colonial. 2013. 613 f. Tese (Doutorado em História das ideias) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa. Lisboa, 2013.
MEYER, A.; CARPEAUX, O. M. “Apresentação”. In: Contos machadianos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1956.
NEVES, Margarida de Souza. Uma escrita no tempo: memória, ordem e progresso nas crônicas cariocas. Campinas: Unicamp, 1992.
REIS, Carlos. Dicionário de narratologia. Coimbra: Almedina, 2002.
Publicado
2019-11-28
Como Citar
Oliveira Filho, J. A. (2019). AS CRÔNICAS DE JÚLIO GONÇALVES NA REVISTA ILlUSTRAÇÃO GOANA (1864-1866). Via Atlântica, (36), 101-119. https://doi.org/10.11606/va.v0i36.160332
Seção
Dossiê 36: Conflitos e convergências - vida literária e intelectual em Goa