“Se tem uma coisa que me deixa muito feliz é poder acordar de manhã e saber que o feminismo existe e ele está sendo debatido e falado”: entrevista com Natália Borges Polesso

Autores

  • Jorge Vicente Valentim Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i39.178500

Palavras-chave:

Feminismo, Produção literária, Ficção brasileira, Natália Borges Polesso

Resumo

Entrevista com a escritora brasileira Natália Borges Polesso, sobre temas específicos do seu projeto de criação e das suas principais linhas de reflexão. Concedida no momento em que concluía a escrita do seu mais recente romance (Controle, 2020), a conversa constitui uma oportunidade singular para pensar alguns assuntos pontuais da atualidade, sobretudo, o feminismo e como a autora o absorve no seu exercício ficcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Vicente Valentim, Universidade Federal de São Carlos

Professor Adjunto de Literaturas de Língua Portuguesa (Sub-áreas: Literatura Portuguesa e Literaturas Africanas de Língua Portuguesa), do Departamento de Letras da UFSCar. Professor credenciado no PPGLit/UFSCar (Programa de Pós-Graduação em Estudos de Literatura) e colaborador no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da UNESP/Araraquara

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

Valentim, J. V. (2021). “Se tem uma coisa que me deixa muito feliz é poder acordar de manhã e saber que o feminismo existe e ele está sendo debatido e falado”: entrevista com Natália Borges Polesso. Via Atlântica, (39), 419-437. https://doi.org/10.11606/va.i39.178500