Antropologias do imaginário, subjetividades ou loucuras: um mergulho no feminismo do livro A Menina Submersa

Autores

  • Michele Teresinha Philomena Bohnenberger Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Muriel Rodrigues de Freitas Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i39.181117

Palavras-chave:

A Menina Submersa, Loucura, Literatura de gênero, História

Resumo

O texto discute o livro A Menina Submersa, de Caitlín R. Kiernan (1969), lançado em 2012, nos EUA, destacando as temáticas de gênero e loucura. Relacionamos os tempos das personagens em relação às concepções vigentes de suas diferentes épocas, no que diz respeito às imagens e comportamentos definidos para as mulheres, assim como algumas consequências para àquelas que não se adequam a eles. Evidenciamos algumas interpretações acerca da abordagem da autora. conforme sua formação em paleontologia, mergulhando na mente de Imp, a personagem que nos conduz pelos labirintos das múltiplas feminilidades, sentimentos de culpas e perdas a partir dos elementos antropológicos e históricos da narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Teresinha Philomena Bohnenberger, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em História (Pontifícia Universidade Católica - RS), mestra em História, Teoria e Crítica da Arte, Bacharela em Artes Plásticas (2002) e Licenciada em Ed. Artística (2006) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pintora, muralista e arte-educadora. Atualmente, desenvolve pesquisa acadêmica relacionada a produção muralista na América Latina, em especial sobre a produção das muralistas da Argentina e do México.

Muriel Rodrigues de Freitas, Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Professora de história da educação básica, graduada em história pela Unisinos (2006), mestra em ensino de história pela UFRGS (2018) e doutoranda em história pela PUCRS (2019 – 2023). Pesquisa história da loucura, gênero e cinema de horror. Produziu e dirigiu o documentário Condenadas pela razão em 2018.

Referências

ALMEIDA, Flávia. Transfeminismo: a pauta que nos ensina ir além do binarismo homem e mulher. Disponível em: <https://www.justificando.com/2017/11/29/transfeminismo-pauta-que-nos-ensina-ir-alem-do-binarismo-homem-e-mulher/>. Acesso em 19 jan 2021.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. O espelho do mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

DURAND, Gilberto. As estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

EGEL, Magali. Psiquiatria e feminilidade. In: DEL PRIORE, Mary (org.) & BASSANEZI, Carla (Org.). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto; Ed. UNESP, 1997.

EGGERT, Edla. Recortar, costurar, colar e narrar: a produção do conhecimento no contexto de formadoras de Promotoras Legais Populares. Revista Ártemis, vol. 9, p. 48-59, dez. 2008.

FOUCAULT, Michel. História da loucura na Idade Clássica. São Paulo: Perspectiva, 1991.

KIERNAN, Catlín R. A menina submersa: memórias. São Paulo: Darkside Books, 2014.

LERNER, Gerda. A criação do patriarcado: história da opressão das mulheres pelos homens. São Paulo: Cultrix, 2019. Tradução de Luiza Sellera.

LOURO, Guacira. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

MARTINS, Ana Paula Vosne. Um sistema instável: as teorias ginecológicas sobre o corpo feminino e a clínica psiquiátrica entre os séculos XIX e XX. In: WADI, Yonissa Marmitt, SANTOS, Nádia Maria Weber (Orgs). História e loucura: saberes, práticas e narrativas. Uberlândia: Edufu, 2010.

PEREIRA, Melissa de Oliveira; PASSOS, Rachel Gouveia (orgs.). Luta antimanicomial e feminismos: discussões de gênero, raça e classe para a reforma psiquiátrica brasileira. Rio de Janeiro: Autografia, 2017.

SANTOS, Jair F. O que é o pós-moderno. 22 ª ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 2004. Coleção Primeiros Passos.

SANTOS, Nádia Weber. (Orgs.) História e Loucura: saberes, práticas e narrativas. Uberlândia: Edufu, 2010.

WADI, Yonissa Marmitt. A história de Pierina: subjetividade, crime e loucura. Uberlândia: Edufu, 2009.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

Bohnenberger, M. T. P. ., & Freitas, M. R. de . (2021). Antropologias do imaginário, subjetividades ou loucuras: um mergulho no feminismo do livro A Menina Submersa. Via Atlântica, (39), 195-213. https://doi.org/10.11606/va.i39.181117

Edição

Seção

Dossiê 39: Literatura, feminismos e história: imbricações possíveis