O lugar da poesia de Violeta Branca na produção literária amazonense do século XX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i41.189315

Palavras-chave:

Violeta Branca, Poesia, Gênero, Pioneirismo

Resumo

A literatura amazonense possui uma produção literária significativa, mas os poucos escritos científicos sobre ela mostram-na como uma literatura tímida e desconhecida. As obras de maior destaque são aquelas escritas por homens, e as mulheres, que também contribuíram para esse reconhecimento, são silenciadas e esquecidas. O presente artigo visa apresentar Violeta Branca, a primeira poeta a inaugurar a escrita literária feminina neste estado. Ela enfrentou os preconceitos, correu riscos sociais, quebrou tabus, inovou e com seus sonhos de liberdade fez história. Violeta tornou-se a primeira mulher a ingressar na Academia Amazonense de Letras em 1937.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACHELARD, Gaston. O direito de sonhar. Trad. José Américo Costa Pessanha. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: Entrevista a Benedetto Vecchi/ Zygmunt Bauman. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. 6. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kuhner. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BRAGA, Genésio. Palavras o caminho do reencontro. In: BRANCA, Violeta. Reencontro: poemas de ontem e de hoje. Manaus: s.d., 1982.

BRANCA, Violeta. Ritmos de Inquieta alegria. 3.ed. Manaus: Editora Valer, 2014.

BRANCA, Violeta. Reencontro: poemas de ontem e de hoje. Manaus: s.d, 1982.

BRANCA, Violeta; BELLO, Andrade. Concerto a quatro mãos. Rio de Janeiro: Editora Arte Moderna LTDA, 1981

CAMPOS, Luciane Maria Dantas de. Trabalho e emancipação: Um olhar sobre as mulheres de Manaus (19890-1940). Dissertação de Mestrado em História. Universidade Federal do Amazonas, Manaus. Dezembro de 2010. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/3742/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-%20Luciane.pdf. Acessado em 03 nov. 2019.

CORDEIRO, Elcione Sousa da Silva. O lugar da poesia de Violeta Branca na produção literária amazonense do século XX. / Elcione Sousa da Silva Cordeiro. – Tefé, AM: UEA, 2021. Disponível em: https://pos.uea.edu.br/data/area/dissertacao/download/45-14.pdf

DINIZ, Almir. Acadêmicos: Imortais do Amazonas; Dicionário Biográfico. Manaus: Editora Uirapuru, 2002.

FARIAS, Elson. A poesia na paisagem. Revista da Academia Amazonense de Letras, Manaus, ano 100, n. 37, 2018. Issn 2236-9643 268p. Revista da Academia Amazonense de Letras. Online. Disponível em: https://academiaamazonensedeletras.com/pdf/revistas/REVISTA%20AAL%20N%2037.pdf. Acessado em: 04 mar.2020.

KRÜGER, Marcos Frederico. A sensibilidade dos punhais. Manaus: Edições Muiraquitã, 2011.

PAULA, Jolene da Silva. A poesia no Amazonas - autoria feminina: voz e silenciamento. 2016. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação. Manaus, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/6266/5/Dissertacao-Jolene.S.P.Cunha.pdf. Acessado em 10/09/2018.

PAULA, Sideny Pereira de. A poesia amazonense de Violeta Branca e seus anseios por mares nunca dantes navegados. Revista Decifrar: Uma Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas em Literaturas de Língua Portuguesa da UFAM, Manaus, v. 2, n. 03, Jan/Jun-2014. (ISSN 2318-2229). Disponível em: https://www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/Decifrar/article/view/1039. Acessado em 18/04/2019.

PERROT, Michelle. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2019.

RIBEIRO, Djamila. Lugar de fala. São Paulo: Editora Jandaíra, 2020.

PAZ, Octavio. O Arco e a Lira. Trad. Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982. (Coleção Logos).

SILVA, Alberto Souza. Quando Meu Barco Emergir do Profundo Lago do Desconhecido: Literatura e Sociedade na obra de Benjamin Sanches. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016. Online. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/6125/5/Disserta%C3%A7%C3%A3o_Alberto%20S.%20Silva.pdf Acessado em: 03 set. 2019.

SILVA, Carmen Novoa. Violeta Branca (O pioneirismo de vanguarda). Manaus: Ampla 2010.

SOUZA, Marcio. A expressão amazonense-do colonialismo ao neocolonialismo. 3. ed. Manaus: Editora Valer, 2010.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar?1. ed. Trad. Sandra Regina Goulart Almeida; Marcos Pereira Feitosa; André Pereira. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.

WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. Trad. Bia Nunes de Sousa; Glauco Mitoso. São Paulo: Tordesilhas, 2014.

ZINANI, Cecil Jeanine Albert; POLESSO, Natália Borges. Da margem: a mulher escritora e a história da literatura. MÉTIS: história & cultura, v. 9, n. 18, p. 99-112, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/metis/article/view/998/1054. Acesso em: 19/03/2020.

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

Cordeiro, E. S. da S., Costa, V. P. ., & Wankler, C. M. (2022). O lugar da poesia de Violeta Branca na produção literária amazonense do século XX. Via Atlântica, 23(1), 319-344. https://doi.org/10.11606/va.i41.189315

Edição

Seção

Dossiê 41: Margens do Atlântico em Português