A reescrita da memória imperial na poesia de Patrícia Lino

Autores

  • Leonardo von Pfeil Rommel Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i42.193752

Palavras-chave:

império, memória, pós-colonialismo, poesia

Resumo

Em O kit de sobrevivência do descobridor português no mundo anticolonial (2020), a poeta Patrícia Lino, através de uma série de poemas verbo-visuais, satiriza e promove uma reescrita da memória imperial portuguesa. O Kit poético de Patrícia Lino é composto por uma coleção/catálogo de pequenos objetos cotidianos, bibelôs, manuais e imagens ironicamente destinados a aplacar os sentimentos de saudade e nostalgia dos portugueses em relação ao seu passado histórico marcado pelas Grandes Navegações, pelo colonialismo e pelo Estado Novo. A poesia do Kit, enquanto discurso pós-colonial, revela as contradições e as faces obscuras do tempo imperial que foram herdadas e ainda assombram a sociedade portuguesa contemporânea.  

.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo von Pfeil Rommel, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Graduado em Letras pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Doutorando em Estudos de Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Referências

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Org. Liv Sofik; Trad. Adelaide La Guardia Resende. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história/teoria/ficção. Trad. Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1991.

JERÓNIMO, Miguel Bandeira. Revisitando os lutos inacabados do império. In: RIBEIRO, António Sousa; RIBEIRO, Margarida Calafate (orgs). Geometrias da memória: configurações pós-coloniais. Edições Afrontamento: Portugal, 2016, p. 61-94.

LINO, Patrícia. O Kit de sobrevivência do descobridor português no mundo anticolonial. Juiz de Fora: Edições Macondo, 2020.

LOURENÇO, Eduardo. Do colonialismo como nosso impensado. Org. e prefácio Margarida Calafate Ribeiro; Roberto Vecchi. Lisboa: Gradiva, 2016.

LOURENÇO, Eduardo. O labirinto da saudade. Lisboa: Gradiva, 2013.

LOURENÇO, Eduardo. Os girassóis do império. In: RIBEIRO, Margarida Calafate; FERREIRA, Ana Paula. Fantasmas e fantasias imperiais no imaginário português contemporâneo. Porto: Campo das Letras, 2003, p. 29-41.

LOURENÇO, Eduardo. A nau de Ícaro. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

LOURENÇO, Eduardo. Mitologia da saudade. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

PASSOS, José Luiz. A literatura-kit em estado de graça. In: LINO, Patrícia. O Kit de sobrevivência do descobridor português no mundo anticolonial. Juiz de Fora: Edições Macondo, 2020, p. 197-201.

RIBEIRO, Margarida Calafate. A Casa da Nave Europa - miragens ou projeções pós-coloniais? IN: RIBEIRO, António Sousa; RIBEIRO, Margarida Calafate (orgs). Geometrias da memória: configurações pós-coloniais. Edições Afrontamento: Portugal, 2016, p.15-42.

RIBEIRO, Margarida Calafate. Uma história de regressos: império, Guerra Colonial e pós-colonialismo. Porto: Edições Afrontamento, 2004.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Trad. Alain François et al. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

ROSAS, Fernando. O Estado Novo. In: MATTOSO, José. História de Portugal. Lisboa: Editorial Estampa, 1998.

SAID, Edward W. Cultura e imperialismo. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2010.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

Rommel, L. von P. (2022). A reescrita da memória imperial na poesia de Patrícia Lino. Via Atlântica, 1(42), 438-456. https://doi.org/10.11606/va.i42.193752

Edição

Seção

Outros Textos