Escravidão do Atlântico Sul: repensando a diáspora negra no ultramar português

Autores

  • Roberto Vecchi Università di Bologna

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i13.50253

Palavras-chave:

atlântico Sul, escravidão, império português, subalternidade

Resumo

A partir de uma reflexão sobre a categoria filosófico-política da exceção - que não se deve confundir com o "excepcionalismo" luso-tropicalista da mitologização do "destino" imperial de Portugal - o artigo procura aprofundar alguns aspectos do projeto colonial português e dos seus re-usos ideológicos, sobretudo no século do Último Imp´ério. Emergem traços analíticos interessantes, que revelam a modernidade do projeto colonizador, inclusive em épocas aparentes de intervalo da história imperial (como depois da independência do Brasil), sobretudo relacionados com tecnologias jurídicas que se tornam legíveis a partir de uma reflexão sobre a conexão entre colônias e biopoder.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2008-06-21

Edição

Seção

Dossiê 13: Literatura, História e Política

Como Citar

VECCHI, Roberto. Escravidão do Atlântico Sul: repensando a diáspora negra no ultramar português. Via Atlântica, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 57–71, 2008. DOI: 10.11606/va.v0i13.50253. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/50253.. Acesso em: 18 jun. 2024.