AS HUMANIDADES: ENTRE A PERMANÊNCIA E A FINITUDE OU ENTRE DESASSOSSEGOS E DESAFIOS

Autores

  • Francisco Noa Universidade Eduardo Mondlane

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i21.51031

Palavras-chave:

filosofia, ciências sociais, crise mundial, humanismo, literatura

Resumo

“O QUE SIGNIFICA SER HUMANO NUM TEMPO EM QUE O MENOS IMPORTANTE PARECE SER O PRÓPRIO HOMEM?”. PARTINDO DESTE QUESTIONAMENTO, O TEXTO PERCORE OS CAMINHOS QUE CONDUZEM À CRISE DE PRESTÍGIO QUE PERCORE AS CIÊNCIAS HUMANAS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. COMO LUGAR DE COEXISTÊNCIA DO MUNDO E DO POSÍVEL, A LITERATURA ABRE HOJE, COMO NO PASSADO, OS ESPAÇOS DE LIBERDADE E CRIATIVIDADE, NOS QUAIS A HUMANIDADE SE PODE RENCONTRAR E QUE URGE SEREM CULTIVADOS.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2012-06-20

Edição

Seção

Dossiê 21: história, cultura e revolução

Como Citar

NOA, Francisco. AS HUMANIDADES: ENTRE A PERMANÊNCIA E A FINITUDE OU ENTRE DESASSOSSEGOS E DESAFIOS. Via Atlântica, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 119–130, 2012. DOI: 10.11606/va.v0i21.51031. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/51031.. Acesso em: 16 jul. 2024.