Travessias: romance e experiência em Mia Couto e Guimarães Rosa

Autores

  • Naira Almeida Nascimento UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i27.85465

Palavras-chave:

Guimarães Rosa, Mia Couto, literatura comparada, alteridade

Resumo

A aproximação entre a escrita do consagrado autor moçambicano Mia Couto (1955- ) e a do brasileiro Guimarães Rosa (1908-1967), já mereceu a consideração de numerosos estudos críticos. O presente artigo volta-se para a produção romanesca de ambos, procurando evidenciar uma outra questão, em geral relegada pela crítica que aborda a interação entre eles: a figura do mediador. Objetiva-se averiguar de que forma a inserção de uma figura mediadora no plano literário, localizada entre as culturas tradicionais rurais e as culturas letradas urbanas, tenta colmatar problemas da tradução linguística, da verossimilhança ficcional no contexto dessas obras e, ainda assim, perspectiva uma espécie de alter-ego narrativo.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naira Almeida Nascimento, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professora Adjunta de Literatura da UTPFR, Campus Curitiba, com mestrado e doutorado em Estudos Literários pela UFPR.

Downloads

Publicado

2015-06-21

Como Citar

Nascimento, N. A. (2015). Travessias: romance e experiência em Mia Couto e Guimarães Rosa. Via Atlântica, (27), 215-231. https://doi.org/10.11606/va.v0i27.85465

Edição

Seção

Dossiê 27: Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e o Pós-Independência