A Confissão de Lúcio ou o dandismo como educação às avessas

Autores

  • Rafael Santana Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i28.98631

Palavras-chave:

dandismo, decadentismo, modernismo, literatura e educação

Resumo

Este artigo propõe uma leitura de A Confissão de Lúcio de Mário de Sá-Carneiro a partir do conceito de dandismo como educação às avessas. Para tanto, apoia-se na teoria do desejo mimético de René Girard, além de recuperar algumas diretrizes platônicas acerca do tema Literatura e Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Santana, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor Adjunto de Literatura Portuguesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Doutor em Literatura Portuguesa pela mesma universidade, onde defendeu a tese intitulada Lições do Esfinge Gorda, sobre a prosa e a correspondência literária de Mário de Sá-Carneiro. Atua principalmente nos seguintes temas: Decadentismo, Modernismo e ecos do fim de século na literatura contemporânea. Tem artigos publicados no Brasil e no exterior. CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3361786514654494

Downloads

Publicado

2015-12-22

Como Citar

Santana, R. (2015). A Confissão de Lúcio ou o dandismo como educação às avessas. Via Atlântica, (28), 365-380. https://doi.org/10.11606/va.v0i28.98631

Edição

Seção

Outros Textos