O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição deverá ser original e inédita e não deverá estar em processo de avaliação para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar utilizando o campo "Comentários ao editor".
  • A BJLAS não aceita contribuições com Similaridade, Plágio, Autoplágio e/ou Texto Reciclado, para o que utiliza ferramentas especializadas de checagem: iThenticate-SimilarityCheck.

    A BJLAS segue os seguintes procedimentos de avaliação de Similaridade:

    Análise da originalidade dos manuscritos em três etapas:
    . No momento anterior a designação de avaliadora(e)s;
    . No momento anterior a aprovação final do artigo.
    . Buscas manuais de trechos aleatórios e do título do manuscrito nos principais buscadores de internet, tais quais: Google, Yahoo, MSN e outros.

    Quando identificados indícios de similaridade, a BJLAS comunicará a(o)s autora(e)s a fim de que sejam providenciadas justificativas plausíveis para as similaridades.

    Durante a análise das similaridades, a BJLAS não publicará o manuscrito, assim como em caso positivo de plágio ou de alto índice de similaridade.
  • Os textos devem seguir os critérios de identificação de autora(e)s da BJLAS:

    No ato da submissão do texto a(o) autora(e)s segue(m) os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos nas Diretrizes para Autores os autores devem postar o manuscrito em duas versões:

    Primeira versão: a) Nome e sobrenome dos autores; b) identificador ORCID.; c) instituição de origem; d) grau de formação (nível mínimo permitido de mestrando para autores e coautores); e) fontes de financiamento que contribuíram para a condução da pesquisa apresentada no manuscrito

    Segunda versão: Junto à primeira versão, a segunda versão deve retirar todos os elementos de identificação, para a etapa da avaliação por critério Double-blind.
  • A(O)s autora(e)s devem informar que estão cientes das Políticas da BJLAS de Conflito de Interesses e Controle de endogenia.

    A(O)s autores deverão comunicar através do campo “Comentários ao Editor” qualquer conflito de interesse conforme as Políticas da BJLAS, bem como deverão informar se a(o)s autora(o)s é(são) aluna(o)s ou ex-aluna(o)s do Programa de Pós-graduação em Integração da América Latina (PROLAM), se é docente ou se forma parte do corpo de editores da Revista.
  • Os textos serão submetidos no formato Microsoft Word e deverão seguir as normas técnicas da ABNT NBR 6023/2018.
  • Inserir obrigatoriamente o identificador DOI de cada referência bibliográfica informada, quando possível. Na ausência do DOI informar a URL.
  • Informar o identificador ORCID do autor e do(s) coautor(es).
  • O prazo médio entre a submissão e a aprovação do manuscrito é de seis meses.

Diretrizes para Autores

Recomendamos a consulta das normas ABNT NBR 6023/2018 disponibilizada pela Universidade de São Paulo neste LINK

  1. O arquivo da submissão deverá estar em formato editável (em Word ou LibreOffice).
  2. Os autores deverão submeter duas versões do artigo ou da resenha. A primeira deverá conter todos os dados de identificação pessoal: nome, e-mail, filiação institucional, metadados, dentre outros. A segunda versão deverá ser submetida sem nenhum dado de identificação pessoal (retirar o nome, e-mail, filiação institucional, e outros dados).
    1. Enviar propostas de dossiês para prolamjournal@usp.br. Consulte o roteiro para submissão de propostas de dossiês AQUI.
  3. Os autores deverão ser pós-graduandos, ou seja, pesquisadores mestrandos ou de formação superior. Exceções serão analisadas pelo Comitê Editorial.
  4.  Os artigos, críticas de arte e ensaios deverão ter, no máximo, 20 laudas, e as resenhas bibliográficas deverão estar dimensionadas entre  três e nove laudas
  5. Os artigos poderão ser escritos em português, espanhol ou inglês de acordo com ABNT NBR 6023:2018.
  6. O título, o resumo e as palavras chave devem ser apresentados em três línguas: português, espanhol e inglês.
  7. O resumo do artigo deve ter espaçamento simples e entre 150 até 200 palavras. O resumo deve oferecer uma visão sumária dos objetivos, campo teórico, metodologia empregada e dos principais resultados alcançados.
  8.  Deverá haver até cinco palavras-chaves
  9. O texto deverá ser digitado em fonte o tipo Times New Roman de corpo 12, e terá uma extensão entre 15 e 20 laudas.
  10. Todo o texto deve ser digitado em espaço 1,5 cm, exceto: as citações de mais de três linhas, as notas de rodapé, as referências, as legendas das ilustrações, quadros e das tabelas, a natureza do trabalho, o nome da instituição a que é submetido, que devem ser digitados em espaço simples.
  11. Margens: folhas devem apresentar margens esquerda e superior de 3 cm; direita e inferior de 2 cm.
  12. Recuar um TAB na primeira linha de cada parágrafo.
  13. Os títulos das seções devem começar na margem superior da folha separados do texto que os sucede por dois espaços de 1,5 cm e, da mesma forma, os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede, ou que os sucede, por dois espaços de 1,5 cm.
    1. Título na língua original do artigo (ver item 20) sempre em negrito, centralizado  em caixa alta. Título nas demais línguas deverão estar itálico, centralizado em caixa alta..
  14. Para a identificação da autoria, os autores devem apenas se identificar com o nome completo, seguido na próxima linha a universidade que é afiliado. Estes dados devem estar no canto superior direito da primeira lauda, logo abaixo do título. Em nota de rodapé, indicar apenas a titulação do autor, a instituição a que pertence e seu endereço de e-mail.
  15. A numeração em algarismo arábico das seções do artigo (ex.: 1 INTRODUÇÃO). Usar negrito e não colocar ponto após o numeral. O indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado por um espaço.
  16. No caso de citações com mais de três linhas, devem ser feitas ao final do parágrafo e com o recuo de 4 cm da margem esquerda, usando-se fonte 10, sem itálico e sem aspas. Indicar claramente se a citação começa na primeira letra da frase do autor citado e termina na última letra da frase ou do trecho citado. Quando a citação começa ou termina em meio da frases, sempre usar o sinal [...] para indicar tal ocorrência. Ao final da citação, se for o caso, deve se colocar ponto final e, a seguir, entre parênteses sobrenome do autor citado em letras maiúsculas, vírgula, ano da obra e, se for o caso, página.
  17. A citação com menos de três linhas deve ser feita no corpo de um parágrafo, em ITÁLICO e com ASPAS. Indicar claramente se a citação começa na primeira letra da oração do autor citado e termina na última letra da oração ou do trecho citado e, se a citação começar ou terminar em meio a frases, sempre usar o sinal [...] para indicar tal ocorrência. Ao final da citação, se for o caso, colocar ponto final e, a seguir, entre parênteses sobrenome do autor citado em letras maiúsculas, vírgula, ano da obra e, se  for o caso, página.
  18. Se um autor da ideia objeto da referência for identificado por sobrenome, este deverá ter apenas a primeira letra maiúscula e, a seguir, entre parênteses, deve ser indicado o ano da obra referida, informando também a página quando for o caso. Ex. Furtado (1989). 
  19. Ao enumerar Quadros ou Tabelas, as cifras de 1 a 9 nunca devem ser precedidas pelo dígito 0. Ex. Tabela 1 - Características da Atual Estratégia de Reestruturação Capitalista. Os números deverão ser digitados no tipo Arial de corpo 9, com espaçamento 1 entre linhas.
    1.  O título deve ser precedido pela palavra Tabela (apenas com a inicial T maiúscula) com o número (em algarismos arábicos) de ordem de ocorrência no texto, seguido de um hífen
    2. As colunas não devem ser delimitadas por traços verticais e os traços horizontais superior e inferior ao cabeçalho
    3. Observar que a fonte de onde foram obtidos os dados ou informações deve ser indicada ao final do Quadro ou Tabela.  As fontes consultadas para a construção da tabela e outras notas devem ser identificadas após o traço inferior.
  20. Os gráficos, mapas e outros elementos gráficos deverão ser apresentados na forma de arte-final, sendo sua nitidez requisito indispensável para eventual aceitação do artigo para publicação.

  21. Equações matemáticas deverão ser alinhadas à esquerda e numeradas sequencialmente à direita. Deverão ser digitadas no próprio texto com o uso do processador de equações do editor Word ou compatível. Deverá ser utilizada a convenção-padrão daquele programa para formatação dos diferentes tipos de entidades que aparecem na equações (símbolos matemáticos, texto, vetores etc.). Quando a derivação delas for apresentada de modo sintético, o autor fornecerá a derivação completa anexa, para facilitar as atividades dos consultores ad hoc e do Corpo Editorial.

  22. As notas de rodapé deverão ser numeradas sequencialmente, digitadas em tipo Times New Roman de corpo 10, com espaçamento 1 entre linhas. O uso deste recurso deve limitar-se a prestar esclarecimentos ou inserir no trabalho considerações complementares, cujas inclusões no texto interrompem a seqüência lógica da leitura.

  23.  Os autores deverão informar obrigatóriamente o identificador DOI para todas as referências possíveis. Na ausência do mesmo, as referentes URLs deverão ser informadas. 
  24. Referência bibliográfica completa de todos os textos citados deverá ser apresentada no fim do artigo, em ordem alfabética, conforme as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas— ABNT por meio da NBR 6023/2018, contendo: no caso de livros — nome completo do autor, título completo, nome e número da série ou coleção (se houver), edição, local, editora, ano da publicação; e, no caso de artigos de periódicos — nome completo do autor, título completo do artigo, título completo do periódico, local, número das páginas, mês e ano da publicação.
    1. Título de livro em negrito. 
    2. Título de revista: negrito ou itálico. 
    3. Anais de eventos: negrito ou itálico. 
    1. Colocar em destaque :

Exemplos:

HICKS, John Richard. Value and capital. Oxford: Clarendon Press, 1974.

HICKS, John Richard. Mr. Keynes and the “classics”: a suggested interpretation. Econométrica, v. 5, n. 3, p. 147-155, abr. 1937.

HICKS, John Richard. Ricardo’s theory of distribution. In: PESTON, MAURICE HARRY; CORRY, BERNARD (Eds.). Essays in honour of Lord Robbins. London: Weidelfeld, 1972.

ANTUNES, Ricardo. O continente do labor. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

BAKEWELL, Peter. A mineração na América espanhola colonial. In: BETHELL, Leslie (Org.). História da América Latina: a América latina colonial. v. II, 1. ed. São Paulo: EDUSP; Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2008, p. 99-150. 

BRAGA, José Luiz, e CALAZANS, Regina. Comunicação e Educação: questões delicadas na interface. São Paulo: Hacker, 2001.

CHIBÁS ORTIZ, Felipe; CASTRO ORTIZ, Mileidy. Complejidad y creatividad sostenible a través de herramientas de internet en proyectos culturales y educativos. In: Anales del Congreso Complejidad, p. 234-244, 2012.

CHIBÁS ORTIZ, Felipe. Creatividad, Comunicación y Cultura: gestión innovadora de proyectos educativos-culturales en la era digital. La Habana: Pueblo y Educación, 2015. 340 p. ISBN: 978-959-13-2906-6.

CITELLI, Adilson Odair. Comunicação e Educação: implicações contemporâneas. In: CITELLI, Adilson Odair; COSTA, Maria Cristina (Eds.). Educomunicação, construindo uma nova área do conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011.

FIGARO, Roseli. Estudos de recepção para a crítica da comunicação. In: CITELLI,Adilson Odair; COSTA, Maria Cristina (Eds.). Educomunicação, construindo uma nova área do conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011.

HOFLING, E. Livro descreve os 134 tipos de aves do campus da USP. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 15 out. 1993. Cidades, Caderno 7, p. 15. Depoimento a Luiz Roberto de Souza Queiroz.

HUERGO, Jorge. Comunicación/Educación: Itinerarios transversales. In: VALDERRAMA (Eds.) Comunicación-Educomunicación: coordenadas, abordajes y travesías. Bogotá: Universidad Central/Siglo del Hombre, 2000.

KRAUSS, J. K. et al. Flow void of cerebrospinal fluid in idiopathic normal pressure hydrocephalus of the elderly: can it predict outcome after shunting?. Neurosurgery, Baltimore, v. 40, n. 1, p. 67-73, 1997. Discussion 73-74.

RIVITTI, E. A. Departamento de Dermatologia: histórico, seus professores e suas contribuições científicas. Revista de Medicina, São Paulo, v. 81, p. 7-13, nov. 2002. Número especial

       

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.