Direitos Humanos e Direitos Fundamentais: um estudo de caso sobre migrantes venezuelanos interiorizados em Mato Grosso pela operação acolhida

Autores

  • Mariceli Ferreira Marques Centro Universitário de Várzea Grande

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v24i2p217-248

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Direitos Fundamentais, Migração, Venezuelanos, Operação Acolhida

Resumo

Desde alguns anos o Brasil tem atraído migrantes de diversos países, destacando-se o expressivo número de venezuelanos. Neste contexto, o artigo apresenta uma revisão das normas, leis e tratados dos quais o Brasil é signatário sobre a pauta da migração no mundo. Também discute a legislação interna brasileira acerca do assunto. Apresenta de maneira sucinta as implicações do êxodo venezuelano iniciado em 2015. Por meio de uma revisão bibliográfica, o estudo discute as condições jurídicas de migrantes e refugiados. No que diz respeito à coleta de dados, a pesquisa se classifica como documental. Também foi feita uma visita de estudo  in loco, na cidade de Boa Vista-RR, para conhecer os abrigos de refugiados e imigrantes venezuelanos, o trabalho da Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Posto de Interiorização e Triagem (PITRIG) da Operação Acolhida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACNUR. Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados (1951).Disponível em: http://www.acnur.org/fileadmin/scripts/doc.php?file=fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatuto_dos_Refugiados. Acesso em: 02 nov. 2020.

ALMEIDA, Carmen Lúcia Pallazo. O domínio chinês sobre o Tibet. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, v. 43, n. 1, jan./jun. 2017.

ANDRADE, André. Os sistemas globais e regionais para proteção dos Direitos Humanos. Jus Brasil,2015. Disponível em: https://aamorales90.jusbrasil.com.br/artigos/245502074/os-sistemas-globais-e-regionais-para-protecao-dos-direitos-humanos. Acesso em: 02 nov. 2020.

BAPTISTA, Rodrigo; VILAR, Isabela. Projeto da nova Lei de Migração segue para sanção presidencial. Senado Notícias, 19 abr. 2017. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/04/18/projeto-da-nova-lei-de-migracao-segue-para-sancao-presidencial. Acesso em: 25 out. 2020.

BARICHELLO, Stefania. Direito internacional dos refugiados na américa latina: o plano de ação do México e o vaticínio de Hannah Arendt. 2009, 127 f. Dissertação (Mestrado em Integração Latino-Americana) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2009.

BARRETO, Luiz Paulo Teles Ferreira (Org.). Refúgio no Brasil: a proteção brasileira aos refugiados e seu impacto nas Américas. Brasil: ACNUR, Ministério da Justiça, 2010.

BRASIL. Decreto nº 3.010, de 20 de agosto de 1938: Regulamenta o decreto-lei n. 406, de 4 de maio de 1938, que dispõe sobre a entrada de estrangeiros no território nacional. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-3010-20-agosto-1938-348850-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 21 out. 2020.

BRASIL. Lei n.º 9.474 de 22 de julho de 1997. Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9474.htm. Acesso em: 19 nov. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017: Institui a Lei de Migração. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13445.htm. Acesso em: 21 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Justiça. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ratificada em 10 dez. 1948. Disponível em:https://www.mprj.mp.br/documents/20184/99247/Declaracao_Universal_dos_Direitos_Humanos.pdf. Acesso em: 22 out. 2020.

BUCCI. Maria Paula Dallari. O conceito de política pública em direito. In: BUCCI, Maria Paulo Dallari (org) Políticas Públicas: Reflexões sobre o Conceito Jurídico. São Paulo: Saraiva, 2006, pp. 1-50.

CARVALHO, Arielle.Crise Humanitária na Venezuela: refúgio no Brasil e atuação do Estado brasileiro na efetivação dos Direitos Sociais.In: VI Jornadade Direitos Fundamentais, 2019, Fortaleza-CE: Unifor, p. 1-15.Disponível em:https://www.unifor.br/documents/392178/3101527/GT7+Arielle+Carvalho.pdf/7bc7be14-76b5-1bec-7770-892c6f80b2b6. Acesso em: 02 Junho 2021.

CONECTAS. São Paulo recebe primeiro grupo de venezuelanos vindo de Roraima. Publicado em: 05 de abr. 2018. Disponível em: www.conectas.org/noticias/lei-de-migracao-completa-um-ano> Acesso em 02 de Junho 2021

COSTA, Edwaldo; LAGE, Nilson. Xenofobia contra migrantes e refugiados venezuelanos. Tecnologias e Estéticas da Comunicação no Brasil 2, Ponta Grossa - PR, p. 47-58, 26 out. 2020. Disponível em: https://www.atenaeditora.com.br/post-artigo/43329. Acesso em: 24 maio 2021.

CIDH. Corte Interamericana de Direitos Humanos. Parecer Consultivo nº 18/, de 17 desetembro de 2003 - A Condição Jurídica e os Direitos dos Migrantes Indocumentados. 2003. Disponível em: http://publications.iom.int/system/files/pdf/iml22.pdf. Acesso em: 10 nov. 2020.

D'URSO, Flávio. A questão dos refugiados e do visto humanitário. 2014. Disponível em: https://flaviodurso.jusbrasil.com.br/artigos/121521315/a-questao-dos-refugiados-e-do-visto-humanitario. Acesso em 20 out. 2020.

EDWARDS, Adrian. Refugiado ou migrante? O ACNUR incentiva a usar o termo correto. ACNUR, 1º out. 2015. Disponível em:https://www.acnur.org/portugues/2015/10/01/refugiado-ou-migrante-o-acnur-incentiva-a-usar-o-termo-correto/. Acesso em: 11 nov. 2020.

GABRIELE, Ana Cláudia. A Influência do Pacto de San Jose da Costa Rica na Constituição Federal. Jusbrasil: Direitos humanos essenciais, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 10-21, 03 abr. 2016. Disponível em: https://acgabriele.jusbrasil.com.br/artigos/397438886/a-influencia-do-pacto-de-san-jose-da-costa-rica-na-constituicao-federal. Acesso em: 10 maio 2021.

GRINOVER, Ada Pellegrini. O controle de políticas públicas pelo Poder Judiciário. Revista de Processo n. 164, São Paulo: Revista dos tribunais, out/2008.

IKMR ORG. Instrumentos Internacionais. Disponível em: http://www.ikmr.org.br/ instrumentos-internacionais/. Acesso em: 04 nov. 2020.

MENDES, George Alves. Migração Internacional: uma relação histórica com implicações sociais e econômicas entre México e Estados Unidos. C@LEA – Revista Cadernos de aulas do LEA, Ilhéus, n. 2, nov. 2013, p. 46-54. Disponível em <http://www.uesc.br/revistas/calea/edicoes/rev2_4.pdf>. Acesso em: 30 out. 2020.

MOREIRA, Julia Bertino. Direitos Humanos e refugiados: Evolução da problemática dos refugiados desde o pós-guerra até os dias atuais. Boletim Científico – Escola Superior do Ministério Público da União, n. 15, abr./jun. 2005.

MOREIRA, Thiago Oliveira. A Concretização dos Direitos Humanos dos Migrantes pela Jurisdição Brasileira. Curitiba: Instituto Memória. Centro de Estudos da Contemporaneidade, 2019. p. 457.

OEA. Organização dos EstadosAmericanos. Convenção Americana de Direitos Humanos: Pacto de San José da Costa Rica. 1969. Disponível em: http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/instrumentos/sanjose.htm. Acesso em: 20 out. 2020.

OIM. ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA AS MIGRAÇÕES. Glossário sobre Migração. Genebra: Organização Internacional para Migração, 2009. Disponível em: http://publications.iom.int/system/files/pdf/iml22.pdf. Acesso em: 10 nov. 2020.

RAMOS, André; RODRIGUES, Gilberto; ALMEIDA, Guilherme. 60 anos de ACNUR: perspectivas de futuro. São Paulo: CL-A Cultural, 2011.

RODRIGUES, Sarita Bassan; PEREIRA, Luciano Meneghetti. A proteção dos direitos humanos dos migrantes no Brasil: breves considerações sobre o projeto de lei n. 2.516/2015 e o Estatuto do Estrangeiro. In: Revista Juris UniToledo, Araçatuba, SP, v. 02, n. 02, p. 74-89, abr./jun.2017.

RORAIMA. Recomendações de Roraima para a Proteção das Pessoas Refugiadas no Brasil. Boa Vista, 16 jun. 2019. Disponível em: http://www.iri.puc-rio.br/uploads/conteudos/arquivos/Recom_Roraima_Protecao_Pessoas_Refugiadas_Brasil.pdf. Acesso em: 19 nov. 2020.

SAADEH, Cyro; EGUCHI, Mônica Mayumi. Convenção Relativa ao Estatuto dos Refugiados. São Paulo: Editora: Puc, 01 jun. 2014. Disponível em: http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/direitos/tratado12.htm. Acesso em: 01 jun. 2021.

SMANIO, Gianpaolo Poggio; BERTOLIN, Patrícia Tuma Mantins (Org.). O direito e as políticas públicas no Brasil. São Paulo: Atlas, 2013. p. 3.

SPINDLER, William. El Plan de Acción de México: proteger a los refugiados a través de la solidaridad internacional. Revista Migraciones Forzadas, n. 55, p. 40-41, set. 2012.

TIMO, Pétalla Brandão. A nova de lei de migração no Brasil e os direitos humanos. Heinrich BöllStiftung, 2017. Disponível em: https://br.boell.org/pt-br/2017/04/17/nova-lei-de-migracao-no-brasil-e-os-direitos-humanos. Acesso em: 21 out. 2020.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado; PEYTRIGNET, Gérard; SANTIAGO, Jaime Ruiz de. As três vertentes da proteção internacional dos direitos da pessoa humana. San José da Costa Rica: IIDH, Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, 1996.

Downloads

Publicado

2021-08-02

Como Citar

Marques, M. F. (2021). Direitos Humanos e Direitos Fundamentais: um estudo de caso sobre migrantes venezuelanos interiorizados em Mato Grosso pela operação acolhida. Revista Alterjor, 24(2), 217-248. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v24i2p217-248