O prédio de apartamentos e a moradia do operário: debates e realizações (Brasil, 1930 - 1960)

Autores

  • Telma de Barros Correia Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672017v25n0307

Palavras-chave:

Prédio de apartamentos, Habitação coletiva, Moradia operária, Habitação econômica

Resumo

A partir do debate travado nas décadas de 1930 e 1940 em torno do prédio de apartamentos e de sua conveniência como moradia para trabalhadores, este trabalho discute os limites da difusão de tal tipologia no âmbito de ação de fábricas e empresas mineradoras no Brasil, na provisão de moradias para seus empregados. Mostra como na ação dessas empresas a moradia coletiva foi, sobretudo, uma solução oferecida aos empregados solteiros. Investigar a trajetória da tipologia dos prédios de apartamentos estudados é outro propósito do artigo. Indica como alguns desses prédios revelam um momento de transição entre a casa unifamiliar e o edifício de apartamentos, enquanto outros refletem a legitimidade dessa forma de morar e a fixação de uma tipologia.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2017-09-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

CORREIA, Telma de Barros. O prédio de apartamentos e a moradia do operário: debates e realizações (Brasil, 1930 - 1960). Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 195–232, 2017. DOI: 10.1590/1982-02672017v25n0307. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/146198.. Acesso em: 13 jul. 2024.