Z8-200 em decurso: caminhos e impasses da preservação cultural por zoneamento em São Paulo nos anos 1980

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28d2e56

Palavras-chave:

Patrimônio cultural, Políticas de preservação, Zoneamento urbano

Resumo

Em 1975, foi instituído na cidade de São Paulo o primeiro instrumento municipal de preservação do patrimônio cultural: a Zona Especial Z8-200. Seu estabelecimento significou o início de uma experiência inovadora em São Paulo, coerente com outras iniciativas urbanísticas de preservação da época, a exemplo do Corredor Cultural do Rio de Janeiro (de 1979). Como parte da lei geral de zoneamento, a Z8-200 representou uma alternativa ao tradicional tombamento, uma vez que este ainda não havia se estabelecido em nível municipal. Sua estruturação era bem fundamentada e permeada de diretrizes urbanísticas, porém sua aplicação prática apresentou algumas limitações importantes. Após uma breve caracterização do instrumento e de seus antecedentes, este artigo se propõe a discutir principalmente os desdobramentos e contradições relacionados à implementação da Z8-200 no decorrer dos anos 1980. O período é marcado, por um lado, pela regulamentação do instrumento, buscando normatizar e incentivar a preservação por zoneamento, em reação à perda de bens culturais
significativos na cidade. Por outro lado, a mesma década presenciou um esvaziamento do instrumento, suscetível às circunstâncias políticas, abrindo caminho para o estabelecimento do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp), que assumiria a prerrogativa de zelar pelos bens culturais da cidade.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Mariana Cavalcanti Pessoa Tonasso, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

    Arquiteta e urbanista graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP), mestre em Arquitetura e Urbanismo na área de História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo pela mesma instituição e docente no curso de Arquitetura e Urbanismo. Participa do Grupo de Pesquisa “Patrimônio Cultural: História e Crítica” (2016).

Referências

FONTES IMPRESSAS

CORREIA, Parabuçu Soares. Contestação à proposta de tombamento do Condephaat, Processo nº 22.365/82. Arquivo SMDU, 28 set. 1984. São Paulo: SMDU, 1984.

SÃO PAULO (cidade). Coordenadoria Geral de Planejamento. Programa Toledo/Lemos para a preservação de bens culturais arquitetônicos da área central de São Paulo. Arquivo SMDU. São Paulo: SMDU, 1977.

VIDIGAL, Geraldo de Camargo. Contestação à proposta de tombamento do Condephaat, Processo nº 22.365/82. Arquivo SMDU, 25 set. 1984. São Paulo: SMDU, 1984.

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ANDRADE, Paula Rodrigues de. O patrimônio da cidade: arquitetura e ambiente urbano nos inventários de São Paulo da década de 1970. 2012. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

BAFFI, Mirthes I. S. O Igepac-SP e outros inventários da Divisão de Preservação do DPH: um balanço. Revista do Arquivo Municipal, São Paulo, v. 204, p. 169-191, 2006.

BRASIL. Decreto-Lei nº 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, p. 24056, 6 dez. 1937.

BRASIL. Lei nº 7.505, de 2 de julho de 1986. Dispõe sobre benefícios fiscais na área do imposto de renda concedidos a operações de caráter cultural ou artístico. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 9763, 3 jul. 1986.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. Conservação urbana: tombamento e áreas de conservação. In: FERNANDES, Edésio; ALFONSIN, Betânia (coords.). Revisitando o Instituto do Tombamento. Belo Horizonte: Fórum, 2010.

CONSELHO DE DEFESA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO, ARQUEOLÓGICO, ARTÍSTICO E TURÍSTICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Resolução SC 20/85. Residência Ramos de Azevedo – Rua Pirapitingui, 111, 141, 159. São Paulo: Condephaat, 1985.

CONSELHO MUNICIPAL DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO, CULTURAL E AMBIENTAL DA CIDADE DE SÃO PAULO. Resolução nº 23/Conpresp/2016. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, São Paulo, p. 58, 22 out. 2016.

CONSELHO MUNICIPAL DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO, CULTURAL E AMBIENTAL DA CIDADE DE SÃO PAULO. Resolução nº 22/Conpresp/2016. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, São Paulo, p. 14, 17 ago. 2017.

FELDMAN, Sarah. Planejamento e zoneamento: São Paulo, 1947-1972. São Paulo: Edusp: Fapesp, 2005.

FENELON, Dea Ribeiro. Políticas públicas em centros históricos: a experiência de São Paulo, 1989/1992. In: GOMES, Marco Aurélio A. de Filgueiras (org.). Pelo Pelô: história, cultura e cidade. Salvador: Edufba, 1995.

FENERICH, Antônia Regina Luz. Preservação em São Paulo: análise de procedimentos metodológicos. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

FRÉ, Sylvia Maria Luz. Pesquisa acadêmica. Destinatário: Mariana Cavalcanti Pessoa Tonasso. [S. l.], out. 2018. Mensagem eletrônica. São Paulo, 03 e 09 out. 2018.

GABARDO, Emerson; NEVES, Ozias Paese. O estado de exceção e as normas aprovadas por decurso de prazo: uma história da exacerbação do Poder Executivo na ditadura de 1964. Cadernos da Escola de Direito e Relações Internacionais da UniBrasil, Curitiba, v. 3, n. 26, p. 66-80, 2016. Disponível em: <https://bit.ly/32glAao>. Acesso em: 28 fev. 2019.

GAIO, Daniel. A transferência do direito de construir e a efetiva proteção do patrimônio cultural e natural: alguns apontamentos sobre a experiência de Porto Alegre e Curitiba. In: FERNANDES, Edésio; RUGANI, Jurema Marteleto (orgs.). Cidade, memória e legislação: a preservação do patrimônio na perspectiva do direito urbanístico. Belo Horizonte: IAB-MG, 2002.

INSTALAÇÃO do primeiro Conselho – 20/10/1988. Cidade de São Paulo, São Paulo, 19 maio 2008. Disponível em: https://bit.ly/3oU2DUR. Acesso em: 28 fev. 2019.

CONPRESP. Resolução nº 22/2002. Tombamento Bairro da Bela Vista. São Paulo, 2002.

LEI Sarney foi pioneira no incentivo à cultura. Senado Notícias, Brasília, DF, 20 dez. 2011.

LEMOS, Carlos. A preservação da fisionomia paulistana. Módulo, Rio de Janeiro, n. 42, p. 30-33, 1976.

MAYUMI, Lia. Taipa, canela preta e concreto: um estudo sobre a restauração de casas bandeiristas em São Paulo. 2006. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MUNIZ, Cláudia. O patrimônio como palimpsesto: revelando as camadas dos Arcos [do Bixiga], em São Paulo. In: CONGRESSO NACIONAL PARA A SALVAGUARDA DO PATRIMÔNIO, 2., 2019, Cachoeira do Sul. Anais […]. Cachoeira do Sul: UFSM, 2019. p. 1-7.

MUSEU de Arte do Parlamento de São Paulo: um acervo de 920 obras em quatro anos de existência. Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, São Paulo, 24 jul. 2006. Disponível em: <https://bit.ly/38lr4V4>. Acesso em: 5 nov. 2020.

NASCIMENTO, Douglas. A demolição da rua da Assembleia. São Paulo Antiga, São Paulo, 29 maio 2015a. Disponível em: <https://bit.ly/2EtNkMl>. Acesso em: 28 fev. 2019.

NASCIMENTO, Douglas. Os Arcos do Bixiga antes do Jânio. São Paulo Antiga, São Paulo, 15 maio 2015b. Disponível em: <https://bit.ly/38HNoGk>. Acesso em: 28 fev. 2019.

NASCIMENTO, Flávia Brito do. Blocos de memórias: habitação social, arquitetura moderna e patrimônio cultural. São Paulo: Edusp; Fapesp, 2016.

NASCIMENTO, Flávia Brito do. Corredor Cultural do Rio de Janeiro: debates e combates pelo patrimônio cultural urbano nos anos 1970. Patrimônio e Memória, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 117-139, julho-dezembro, 2018. Disponível em: <https://bit.ly/2TTfGYg>. Acesso em: 28 fev. 2019.

PERETTO, Flavia. Transferência do direito de construir na conservação dos imóveis tombados do município de São Paulo. In: SIMPÓSIO CIENTÍFICO ICOMOS BRASIL, 1., 2017, Belo Horizonte. Anais […]. Belo Horizonte: Instituto Metodista Izabela Hendrix, 2017. p. 688-703.

PERETTO, Flavia Taliberti; OSKMAN, Silvio; SANTORO, Paula Freire; MENDONÇA, Pedro Henrique Rezende. Quando a transferência de potencial construtivo virou mercado: o caso de São Paulo. In: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA CIDADE E DO URBANISMO, 15., Rio de Janeiro, 2018. Rio de Janeiro: UFRJ, 2018. p. 1-22. Disponível em: <https://bit.ly/2M0pzjn>. Acesso em: 18 ago. 2018.

PREFEITURA desocupa cortiços na rua da Assembleia. Folha de S.Paulo, São Paulo, ano 67, n. 98.59, p. 11, 6 maio 1987. Primeiro caderno.

RABELLO, Sonia. Tombamento e legislação urbanística: competência e gestão. In: FERNANDES, Edésio; ALFONSIN, Betânia (coords.). Revisitando o Instituto do Tombamento. Belo Horizonte: Fórum, 2010.

RODRIGUES, Marly. Imagens do passado: a instituição do patrimônio em São Paulo, 1969-1987. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

RODRIGUES, Marly. Inventário de bens culturais: conhecer e compreender. In: Revista CPC, São Paulo, p. 31-48, jul. 2016. ISSN 1980-4466. Disponível em: <https://bit.ly/35gvNFE>. Acesso em: 08. fev. 2018.

SÃO PAULO (cidade). Decreto nº 9.414, de 15 de março de 1971. Cria o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Cultural do Município. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 2, 16 mar. 1971a.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 7.688, de 30 de dezembro de 1971. Dispõe sobre instituição do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Município de São Paulo – PDDI-SP, e dá outras providências. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 31 dez. 1971b.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 7.805, de 1 de novembro de 1972. Dispõe sobre o parcelamento, uso e ocupação do solo do município, e dá outras providências. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 3 nov. 1972.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 8.328, de 2 de dezembro de 1975. Dispõe sobre o parcelamento, uso e ocupação do solo no município, nas zonas de usos especiais Z8, cria novas zonas de uso, amplia zonas existentes e dá outras providências. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 3 dez. 1975b.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 8.848, de 20 de dezembro de 1978. Dispõe sobre o parcelamento, uso e ocupação do solo na Zona Metrô-Leste – ZML, e dá outras providências. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 21 dez. 1978c.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 9.725, de 2 de julho de 1984. Dispõe sobre a transferência de potencial construtivo de imóveis preservados; estabelece incentivos, obrigações e sanções, relativas à preservação de imóveis, e dá outras providências. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 5, 3 jul. 1984a.

SÃO PAULO (cidade). Decreto nº 19.835, de 10 de julho de 1984. Regulamenta o artigo 2º da Lei nº 8.328, de 2 de dezembro de 1975, e dá outras providências. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 11 jul. 1984b.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 10.032, de 27 de dezembro de 1985. Dispõe sobre a criação de um Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 28 dez. 1985.

SÃO PAULO (cidade). Lei nº 10.282, de 1º de abril de 1987. Exclui imóveis do Quadro nº 8M, anexo à Lei nº 9.725, de 2 de julho de 1984. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 11 abr. 1987.

SÃO PAULO (cidade). Portaria nº 130, de 3 de março de 1988. Institui em Pref-G o Programa de Recuperação do Patrimônio Histórico da Cidade para levantamento da situação de todos os monumentos de São Paulo. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 4 mar. 1988.

SÃO PAULO (cidade). Portaria nº 95, de 11 de janeiro de 1989. Declara extinto o Programa de Recuperação do Patrimônio Histórico da cidade, instituído pela Port. 130/88, junto ao Prefeito – Pref. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 1, 11 jan. 1989a.

SÃO PAULO (cidade). Departamento do Patrimônio Histórico. O direito à memória: patrimônio histórico e cidadania. São Paulo: DPH, 1992b.

SÃO PAULO (cidade). Resolução nº 44, de 15 de dezembro de 1992. Abre processo de tombamento dos imóveis enquadrados na Zona de Uso Z8-200, conforme especifica. Diário Oficial do Município de São Paulo, São Paulo, p. 35, 16 dez. 1992d.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS METROPOLITANOS; EMPRESA METROPOLITANA DE PLANEJAMENTO DA GRANDE SÃO PAULO; SECRETARIA MUNICIPAL DO PLANEJAMENTO. Bens culturais arquitetônicos no município e na Região Metropolitana de São Paulo. São Paulo: Sempla, 1984.

SOMEKH, Nadia. Patrimônio cultural em São Paulo: resgate do contemporâneo? Arquitextos, São Paulo, ano 16, n. 185.08, 2015. Disponível em: <https://bit.ly/2POwI7q>. Acesso em: 8 ago. 2018.

TONASSO, Mariana Cavalcanti Pessoa. Zonas de conflito? Zoneamento e preservação do patrimônio cultural em São Paulo (1975-2016). 2019. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

ZANETTI, Valdir Zonta. Planos e projetos ausentes: desafios e perspectivas da requalificação das áreas centrais de São Paulo. 2005. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Edição

Seção

ECM/Dossiê: Democracia, Patrimônio e Direitos: a década de 1980 em perspectiva

Como Citar

TONASSO, Mariana Cavalcanti Pessoa. Z8-200 em decurso: caminhos e impasses da preservação cultural por zoneamento em São Paulo nos anos 1980. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 28, p. 1–28, 2020. DOI: 10.1590/1982-02672020v28d2e56. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/165517.. Acesso em: 25 jul. 2024.