Origem, evolução e elementos construtivos da Estrada de Mangaratiba, primeira estrada de rodagem do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672022v30e44

Palavras-chave:

Alvenaria de Pedra, História da Pavimentação, Paisagem, Brasil Imperial

Resumo

O artigo discorre sobre aspectos históricos relacionados à definição do traçado, das técnicas de construção e degeneração da Estrada Imperial de Mangaratiba, primeira estrada de rodagem do Brasil, inaugurada em 1857. Construída para facilitar o escoamento de café produzido no Vale do Paraíba e sul de Minas Gerais, a Estrada de Mangaratiba tem sua história associada a importantes eventos do período, responsáveis por sua concepção e por seu abandono após um curto período de existência. Milhares de homens trabalharam em
sua construção, ocupados com cortes da mata, nivelamento e, principalmente, em atividades
relacionadas ao desmonte, transporte e preparo de toneladas de rochas, sua principal matériaprima. A pesquisa de campo revelou que as pedras hoje expostas em trechos não asfaltados
da estrada correspondem aos alicerces da antiga via, construída segundo o método do engenheiro escocês Thomas Telford sob coordenação do inglês Edward Brainerd Webb e não
ao pavimento superior, como é popularmente aceito. A Estrada do Atalho, que lhe antecede, apresenta registros de diferentes modelos de pavimentação, compatíveis com técnicas herdadas dos antigos romanos. Todas as rochas utilizadas em ambas as estradas são de procedência local, extraídas com uso de explosivos de jazidas adjacentes às margens das vias, incluindo as cantarias da Ponte Bela, popularmente tidas como de origem portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soraya Almeida, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Geóloga pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), mestra em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutora em Geociências (Mineralogia e Petrologia) pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é professora titular do Instituto de Geociências da UFRRJ. E-mail: salmeida1966@gmail.com.

Simone de Oliveira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Geóloga pela UFRRJ, pós-graduanda em Geologia Marinha no Instituto de Ciências da Terra da Stockholm University (Universidade de Estocolmo). E-mail: simonejmj@gmail.com

Referências

DOCUMENTOS CARTOGRÁFICOS

CARTA Geographica da Provincia do Rio de Janeiro: copiada no Real Archivo Militar Lisboa.

[S.l.]: [s.n], 1823. 61,4 x 96,4 cm. Acervo da Biblioteca Nacional.

CASTRO E CRUZ, Manoel Estanislau de; BRITO, Pedro Torquato Xavier. Planta da Estrada de

Mangaratiba verificada pelo Ten. Cnel. M. Castro e Cruz e pelo Tene. P. T. Xer. de Brito. [S.l.]:

[s.n],1845. 393 x 233 cm. Acervo Cartográfico do Arquivo Histórico do Exército.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mangaratiba. Rio de Janeiro: IBGE,

1 mapa, 60 x 74 cm. Escala 1:50.000. Folha SF.23. Z.A.V.IV.

LEÃO, Manoel Vieira. Cartas topográficas da capitania do Rio de Janeiro mandadas tirar pelo

exmo. Conde da Cunha Capitam General e vice-rey do Estado do Brasil. Rio de Janeiro: [s.n],

15 cartas, 56 x 36 cm. + 1 f. de rosto. Acervo do Biblioteca Nacional.

NIEMEYER, Conrado Jacob. Carta corographica da província do Rio de Janeiro. Rio de

Janeiro: [s.n], 1839. 4 folhas montadas em tela, 91 x 133 cm. Escala 1:400:000. Arquivo da

Biblioteca Nacional.

PENHA, Laurianno Jóse Martins. Planta da província do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: [s.n],

38 x 54,5 cm. Arquivo da Biblioteca Nacional.

ROSCIO, Francisco João. Carta corographica da capitania do Ryo de Janeyro, capital do Estado

do Brasil. Rio de Janeiro: [s.n], 1777. 1 mapa, 58 x 94,5 cm em f. 60 x 96,5 cm. Arquivo da

Biblioteca Nacional.

WEBB, Edward Brainerd. Estrada de Mangaratiba. Rio de Janeiro: [s.n], 1858. 24 f. ms.,

acompanha 1 mapa 24 x 20 cm. Biblioteca Nacional.

FONTES IMPRESSAS

A ESTRADA de Mangaratiba. Correio Mercantil, e Instructivo, Político, Universal, Rio de Janeiro, ano 16, n. 167, p. 3, 19 jun. 1859.

ALVES, Henrique José. “Progredir” descobre abandono do interior do estado. Jornal do Brasil,

Rio de Janeiro, ano 97, n. 158, 13 set. 1987. Cidade, p. 14.

ANNAES do parlamento brazileiro: camara dos srs. Deputados, terceiro anno da nona

legislatura, sessão de 1855. Rio de Janeiro: Typographia de Hypolito José Pinto, 1855a. t. 2.

ANNAES do parlamento brazileiro: camara dos srs. Deputados, terceiro anno da nona

legislatura, sessão de 1855. Rio de Janeiro: Typographia de Hypolito José Pinto, 1855b. t. 3.

ANTECIPAÇÃO de importante leilão das propriedades pertencentes a massa falida da

Companhia Estrada de Mangaratiba. O Cruzeiro, Rio de Janeiro, ano 1, n. 280, p. 3, 8 out. 1878.

ARTIGOS não officiaes: obras publicas. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro,

v. 6, n. 54, p. 215, 8 mar. 1836.

ASSEMBLÉA legislativa provincial: discurso do sr. Xavier de Brito, na sessão de 31 de maio.

Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 29, n. 8420, p. 1, 12 jun. 1850.

ASSEMBLÉA legislativa provincial: discurso do sr. Xavier de Brito, na sessão de 26 de setembro.

Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, n. 8805, p. 2, 30 set. 1851.

ASSEMBLÉA legislativa provincial: sessão em 31 de março de 1843. Correio Official, Rio de

Janeiro, n. 209, p. 2, 1 abr. 1843.

ASSEMBLÉA provincial: sessão em 7 de agosto. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano

, n. 217, p. 2, 9 ago. 1854.

CASTRO, Hélcio de Oliveira; ROCHA, Ricardo Luiz Sodré; VON SPERLING, Ernesto;

BALATAZAR, Orivaldo. Geologia das folhas Mangaratiba, Ilha Grande, Cunhambebe, Angra

dos Reis, Rio Mambucaba/Campos da Cunha, Parati, Cunha, Pinciguaba e Juatinga, RJ. In:

CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 33., 1984, Rio de Janeiro. Anais […]. São Paulo:

Sociedade Brasileiro de Geologia, 1984. p. 2355-2367.

COMMUNICADO. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 24, n. 7048, p. 1, 28 out. 1845.

CONDIÇÕES do contrato assinado em 26 de fevereiro pelo desembargador Joaquim José

Pacheco com o exm. Presidente da província do Rio de Janeiro para construcção e costeio de

uma estrada de carros de Mangaratiba até Barra Mansa. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro,

ano 30, n. 59, p. 1, 28 fev. 1855.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES. Processo n°

004625/2006-93. Edital nº 731/2009-00. Tomada de preços para seleção de empresas

especializadas para elaboração de estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental

(EVTEA), para adequação de capacidade, melhoria da segurança e eliminação de pontos

críticos, definindo os objetivos e as diretrizes na Rodovia BR-494/RJ. Brasília, DF: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, 2009.

DODSWORTH, Jorge João (org.). Annaes do parlamento brazileiro: camara dos srs. Deputados,

quarto anno da segunda legislatura, sessão de 1833. Rio de Janeiro: Typografia da Viúva Pinto

& Filho, 1887. t. 1.

ESTRADA da Serra de Mangaratiba. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 19, n. 81, p. 2,

mar. 1844.

ESTRADA de Mangaratiba. Correio Mercantil, e Instructivo, Político, Universal, Rio de Janeiro,

ano 12, n. 292, p. 2, 22 out. 1855.

ESTRADA de Mangaratiba. Correio Official da Província do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,

n. 195, p. 2, 13 mar. 1843.

ESTRADAS, pontes e canais. Sessão de 21 de outubro da Assemblea Provincial. Jornal do

Commercio, Rio de Janeiro, ano 10, n. 231, p. 2, 22 out. 1836.

EXPEDIENTE da secretaria de governo. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 28,

n. 8066, p. 2, 11 abr. 1849.

GUIMARÃES, Antônio Gonçalves. Folhinha das flores: contendo a novíssima linguagem das

flores, diversas poesias, e a chronica do anno. Rio de Janeiro: Antônio Gonçalves Guimarães

e C., 1858.

HEILBRON, Monica; EIRADO, Luiz Guilherme; ALMEIDA, Júlio. Mapa geológico e de recursos

minerais do estado do Rio de Janeiro. Belo Horizonte: CPRM, 2016. Escala 1:400.000.

INFORME JB. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano 97, n. 184, 9 out. 1987. Ciência, p. 6.

INTERIOR: parte official. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 27, n. 7796, p. 1, 12

mai. 1848.

INTERIOR: assembleia legislativa provincial. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 26,

n. 7466, p. 2, 1 abr. 1847.

INTERIOR: Companhia de Mangaratiba. Correio Mercantil, e Instructivo, Político, Universal,

Rio de Janeiro, ano 13, n. 168, p. 1, 18 jun. 1856.

INTERIOR: parte official. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 24, n. 6866, p. 2, 14

mar. 1845.

INTERIOR: parte official. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 25, n. 7190, p. 1, 25

abr. 1846.

INTERIOR: parte official. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 26, n. 7560, p. 2, 29

jul. 1847.

MINISTÉRIO do Império. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, n. 48, t. 3,

p. 190, 2 mar. 1835.

O CAMINHO Real da Serra do Piloto. Revista Cidade e Cultura, Rio de Janeiro, n. 23, p. 43, 2016.

O SR. JOÃO Caldas Vianna, e os seus saldos. O Novo Tempo, Rio de Janeiro, n. 22, p. 2, 2 mai.

a.

O SR. JOÃO Caldas Vianna, e os seus saldos: continuação do no 22. O Novo Tempo, Rio de

Janeiro, n. 25, p. 3, 13 mai. 1844b.

OBRAS Públicas. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, n. 127, t. 4, p. 5, 9

jun. 1835.

PARTE ADMINISTRATIVA. O Correio da Tarde: Jornal Commercial, Politico, Litterario e

Noticioso, Rio de Janeiro, ano 1, n. 61, p. 3, 19 out. 1855.

PARTE NÃO OFFICIAL: continuação da fala do presidente da província do Rio de Janeiro.

Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, v. 1, n. 76, p. 302, 5 abr. 1839.

PARTE OFFICIAL: decreto. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, n. 75, t. 1,

p. 297-298, 27 set. 1833.

PARTE OFFICIAL: ministério do Império. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de

Janeiro, v. 1, n. 85, p. 337, 15 abr. 1840.

PARTE OFFICIAL: supremo tribunal de justiça. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de

Janeiro, n. 144, t. 3, p. 576, 20 dez. 1834.

PELOS CAMINHOS de Mangaratiba. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano 84, n. 125, p. 53,

ago. 1974.

PINTO, Antonio Pereira (org.). Sessão em 6 de agosto de 1851. In: Annaes do parlamento

brazileiro: camara dos srs. Deputados, terceiro anno da oitava legislatura, sessão de 1851. Rio

de Janeiro: Typographia de H. J. Pinto, 1878. t. 2, p. 474-491.

PRESIDENCIA da provincia. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, n. 104,

p. 104, 31 jul. 1835.

PRESIDENCIA da provincia. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, v. 6, n. 29,

p. 115, 8 fev. 1836.

PROVINCIA do Rio de Janeiro. Correio Mercantil, e Instructivo, Político, Universal, Rio de

Janeiro, ano 12, n. 340, p. 2, 11 dez. 1855.

PROVINCIA do Rio de Janeiro. Correio Mercantil, e Instructivo, Político, Universal, Rio de

Janeiro, ano 15, n. 81, p. 1, 25 mar. 1858.

RELATÓRIO do estado dos trabalhos da estrada de Mangaratiba apresentado ao presidente da

companhia da mesma estrada pelo engenheiro Edward Webb. Diário do Rio de Janeiro, Rio

de Janeiro, ano 36, n. 119, p. 2, 29 abr. 1856.

RELATÓRIO do presidente da província do Rio de Janeiro João Caldas Vianna a assembléa

provincial em 1º de março de 1844, acompanhado do orçamento de receita e despeza para o

anno de 1844 a 1845. Rio de Janeiro: Assembléa Legislativa da Provincial, 1844.

RELATÓRIO geral dos trabalhos da directoria das obras públicas da província do Rio de Janeiro

durante o ano de 1840, apresentado em 1841. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de

Janeiro, v. 1, n. 85, p. 338, 22 abr. 1841.

REQUERIMENTOS. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano 37, n. 219, p. 2, 12 ago. 1857.

RIO DE JANEIRO. Lei nº1043, de 15 de outubro de 1986. Dá denominação a trecho da rodovia

estadual. Rio de Janeiro: Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, 1986.

RIO DE JANEIRO. Poder Executivo. Decreto 995/1976. Aprova o plano rodoviário do estado

do Rio de Janeiro e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro: Rio de

Janeiro, ano 2, n. 424, p. 1-7, 18 nov. 1976.

RIO de Janeiro: discurso do vice-presidente da província do Rio de Janeiro José Ignácio Vaz

Vieira na abertura da última sessão ordinária da assemblea legislativa provincial em 7 de

outubro de 1837. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 11, n. 232, p. 1, 19 out. 1837.

SÃO JOÃO Marcos: as ruínas ameaçadas de uma cidade fluminense. Jornal do Brasil, Rio de

Janeiro, ano 91, n. 159, 14 set. 1981. Caderno B, p. 1.

THESOURARIA provincial. Correio Official: In Medio Posita Virtus, Rio de Janeiro, v. 5, n. 34,

p. 144, 10 ago. 1835.

WEBB, Edward Brainerd. On the means of communication in the Empire of Brazil chiefly in

reference to the works of the Mangaratiba Serra Road, and those of the Mauá, the first Brazilian Railway. Institution of Civil Engineers, London, v.19, p. 240-262, 1860.

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ALLEGRI, Marisa Grossi. Histórico de Mangaratiba. Mangaratiba: Prefeitura Municipal de

Mangaratiba, 1978.

ARAÚJO, José Pizarro de Sousa Azevedo. Memórias históricas do Rio de Janeiro e províncias

anexas à jurisdição do vice-rei do Estado do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Régia, 1820. t. 4.

BARBOSA, Luiz Antônio. Relatório apresentado ao exmo. Vice-presidente da província do Rio

de Janeiro, o sr. Doutor João Manuel Pereira da Silva pelo presidente o conselheiro Luís Antônio Barbosa sobre o estado da situação da mesma província em 1857. Rio de Janeiro: Typographia Universal de Laemmert, 1857. Anexo 9.

BARCELOS, Marieta Mandarino. Ocupação humana e aproveitamento do município de

Mangaratiba. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 63-102, 1959.

BENTO, Cláudio Moreira. Cartografia histórica do exército. Revista do IHGB, Rio de Janeiro,

v. 347, p. 135-174, 1985.

BONDIM, Míriam. História da cidade de Mangaratiba: do arraial tupiniquim ao cenário de

Limite. Rio de Janeiro: Letras e Versos, 2014.

CALMON, Pedro. A revolução da máquina. In: História social do Brasil. São Paulo: Companhia

Editora Nacional, 1937. t. 2, v. 88.

CASTRO, Emil de. Os cupins: apontamentos da história de Mangaratiba. Rio de Janeiro: Clube

dos Autores, 2012.

DANTAS, Luiz Ascendino. São João Marcos da região do Campo Alegre: preeminência do

plantio do café 1730 – resumo histórico. In: O café no segundo centenário de sua introdução.

Rio de Janeiro: Departamento Nacional do Café, 1934. p. 476-480.

GILLESPIE, William Mitchel. A Manual of the Principles and Practice of Road-Making:

Comprising the Location, Construction, and Improvement of Roads (Common, Macadam,

Paved, Plank, Etc.) and Rail-Roads. New York: A.S. Barnes & Co., 1847.

GUIMARÃES, Magda Terezinha. Geologia, petrografia e geoquímica do complexo granítico de

Mangaratiba – Conceição de Jacareí, RJ. 1999. Dissertação (Mestrado em Geoquímica) –

Universidade Federal Fluminense, Niterói, 1999.

LAEMMERT, Eduard. Almanak administrativo, mercantil e industrial da corte e província do

Rio de Janeiro para o ano bissexto de 1852: população no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: E.H.

Laemmert, 1852.

MCADAM, John Loudon. Remarks on the Present System of Road Making with Observations

Deduced from Practice and Experience, with a View to a Revision of the Existing Laws, and

the Introduction of Improvement in the Method of Making, Repairing, and Preserving Roads,

and Defending the Road Funds from Misapplication. London: Longman, 1821.

NETTO, Américo. A viagem da comissão de estudos da A.E.R.: impressões de viagem

publicadas no Estado de São Paulo em 1925. In: DERRON, Donald; NETTO, Américo. Estrada

São Paulo-Rio. São Paulo: Associação de Estradas de Rodagem, 1927.

PREGO, Atahualpa Schmitz da Silva. A memória da pavimentação no Brasil: fatos históricos,

recordações, depoimentos. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Pavimentação, 2001.

RODRIGUES, Sandra. As vias romanas do Algarve. Algarve: Centro de Estudos do Patrimônio

da Universidade de Algarve, 2004.

SILVA, Moacir. Kilometro zero: caminhos antigos, estradas modernas: rodovias cariocas,

irradiação rodoviária do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: [s. n.], 1934.

SOARES, Sebastião Ferreira. Histórico da Companhia Industrial da Estrada de Mangaratiba

e analyse crítica e econômica des negócios desta companhia. Rio de Janeiro: Tipografia

Nacional, 1861.

TAUNAY, Afonso d’Escragnolle. História do café no Brasil: no Brasil Imperial, 1822-1872. Rio

de Janeiro: Departamento Nacional do Café, 1939. t. 3, v. 5.

TAUNAY, Afonso d’Escragnolle. Pequena história do café no Brasil (1725-1937). Rio de Janeiro:

Departamento Nacional do Café, 1945.

SITES

EDWARD Brainerd Webb. Grace’s Guide, London, 7 Feb. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3T0YZGN. Acesso em: 27 nov. 2017.

LISTA de Bens Tombados. Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, Rio de Janeiro, 11 ago.

Disponível em: https://bit.ly/3RHRvY8. Acesso em: 6 out. 2022.

PROGRAMA de pesquisas arqueológicas, de educação patrimonial, levantamento do patrimônio cultural imaterial e estudos de elementos de arquitetura histórica na Estrada RJ-149 – Rio Claro-Mangaratiba – Estrada do Imperador: parte II. Instituto de Arqueologia Brasileira, Belford Roxo, 11 out. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3SX4xSA. Acesso em: 10 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2022-11-21

Como Citar

Almeida, S., & Oliveira, S. de. (2022). Origem, evolução e elementos construtivos da Estrada de Mangaratiba, primeira estrada de rodagem do Brasil. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 30, 1-36. https://doi.org/10.1590/1982-02672022v30e44

Edição

Seção

Conservação e Restauração