Memórias dos visitantes do Museu Nacional: lembranças que não se apagam

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-02672023v31e18

Palavras-chave:

Estudos de público, Museu Nacional, Museus de ciência, Memórias de visitas a museus, Observatório de museus

Resumo

O Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCC&T) realizou uma pesquisa intitulada Lembranças, memórias, presenças que marcam: o que forma o público de um museu de ciência?. Foram 619 formulários respondidos por visitantes de seis diferentes museus, dos quais 87 pessoas foram sorteadas para serem entrevistadas sobre suas recordações vinculadas a visitas a museus. À vista de que mais de 70% das memórias se referem especificamente ao Museu Nacional, estabeleceu-se um recorte com foco nesses entrevistados. Por meio da análise documental, que incluíram regimentos, relatórios institucionais, acervo fotográfico e matérias jornalísticas, a pesquisa investigou a história da instituição, obtendo importantes elementos que ajudam a compreender a construção da relação do Museu com seus diferentes públicos ao longo de seus duzentos anos. A abordagem histórica destaca, entre outras informações, a localização original e atual da instituição e seus problemas correlatos; a participação da mídia no processo divulgação; a configuração do acervo grandioso do Museu; o compartilhamento do território com um parque público e jardim zoológico, os quais conferiram ao local características de lazer familiar e social, bem como muitos visitantes ao longo das décadas. As falas dos entrevistados formaram o segundo pilar do estudo, que detalhou os vínculos emocionais de suas lembranças. Os relatos se caracterizaram pela valorização das ligações familiares, das sensações de felicidade, de assombro com a grandiosidade da arquitetura do palácio e com o acervo, além da profunda tristeza vivenciada pelo incêndio que destruiu a maior parte do patrimônio do Museu Nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Fernandes Costa, Museu Nacional

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), educadora da Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional (MN-UFRJ), docente do Departamento de Estudos e Processos Museológicos da Escola de Museologia (Unirio) e pesquisadora do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCC&T). E-mail: andrea@mn.ufrj.br

Mônica Santos Dahmouche, Museu Ciência e Vida

Doutora em Física pela Universidade de São Paulo (USP, São Carlos), docente da Fundação Cecierj (Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro), da Especialização em Divulgação e Popularização da Ciência e do Mestrado em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde da Casa de Oswaldo Cruz (COC-Fiocruz), integra a equipe científica do Museu Ciência e Vida, pesquisadora do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCC&T). E-mail:
monicacecierj@gmail.com.

José Sergio Damico, Museu da Vida

Mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Segio Arouca (ENSP-Fiocruz), pesquisador do Núcleo de Estudos de Público e Avaliação em Museus (Museu da Vida Fiocruz) e do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCC&T). E-mail: sergiodamico27@gmail.com. 

Sonia Mano, Museu da Vida

Doutora em Ciências pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC-Fiocruz), docente da Especialização em Divulgação e Popularização da Ciência e do Mestrado em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde da Casa de Oswaldo Cruz (COC-Fiocruz), pesquisadora do Núcleo de Estudos de Público e Avaliação em Museus (Museu da Vida Fiocruz) e do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCC&T). E-mail: sonia.mano@fiocruz.br.

Sibele Cazelli, Museu de Astronomia e Ciências Afins

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), pesquisadora da Coordenação de Educação em Ciências (Museu de Astronomia e Ciências Afins-MCTI) e do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCC&T). E-mail: sibele@mast.br.

Referências

FONTES IMPRESSAS

CARIOCAS visitam e acham pequena a pedra da Lua. O Globo, Rio de Janeiro, p. 5, 6 abr. 1970.

DESPERTA a atenção do povo o Museu da Quinta da Boa Vista. O Jornal, Rio de Janeiro, p. 6, 3 nov. 1959.

ECHO DO POVO. Juiz de Fora, ano 1, n. 11, 13 ago. 1882.

MAIS DE CEM MIL pessoas visitaram o Jardim Zoológico. O Globo, Rio de Janeiro, p. 1, 19 mar. 1945. Geral.

MUSEU Nacional é um dos mais procurados do país. O Globo, Rio de Janeiro, p. 15, 4 jul. 1968. Matutina, Geral.

PARA A EFICAZ instrução de um povo. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 16 fev.1927.

RABELO, R. F. Estranho Rio: mais de 40 museus, mas nunca aos domingos. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, p. 9, 27 set. 1975.

ROTEIRO de Museus. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, p. 3, 19 maio 1971.

SANT’ANNA, A. R. de. O segredo da múmia. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 17 jan. 1988.

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ANNIS, Sheldon. The Museum as a Staging Ground for Symbolic Action. Museum, Paris, n. 151 (v. 38, n. 3), p. 168-171, 1986. Disponível em: https://bit.ly/42HKYm5. Acesso em: 22 dez. 2022.

BAKOS, Margaret Marchiori. Fatos e mitos do antigo Egito. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001.

BETTELHEIM, Bruno. As crianças e os museus. In: A Viena de Freud e outros ensaios. Rio de Janeiro: Campus, 1991. p. 137-144.

BOURDIEU, Pierre. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio Mendes (org.). Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 41-64.

BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio Mendes (org.). Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 73-79.

BRANCAGLION JR, Antônio; RODRIGUES-CARVALHO, Claudia. Do Egito ao Brasil: notas sobre o acervo e as iniciativas do Museu Nacional no estudo de populações antigas. In: DUARTE, Luiz Fernando Dias (org.). Museu Nacional: 200 anos. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2022. p. 251-260.

BRANCAGLION JR, Antônio. As coleções egípcias no Brasil. In: BAKOS, Margaret Marchiori. Egiptomania: o Egito no Brasil. São Paulo: Paris Editorial, 2004. p. 31-34.

CASTRO FARIA, Luís de. As exposições de antropologia e arqueologia do Museu Nacional. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1949.

CAZELLI, Sibele. et al. Conhecer para contar: o público de museus de ciência do Rio de Janeiro. Museologia e Patrimônio: Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (Unirio-MAST), Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 379-408, 2022. Disponível em: https://bit.ly/3Ch8Zpe. Acesso em: 22 dez. 2022.

COSTA, Andréa Fernandes. Solon Leontsinis e a proposta de criação do serviço de exposições circulantes de empréstimo do Museu Nacional (1959). ACTIO, Curitiba, v. 6, n. 2, p. 1-22, maio/ago. 2021. Disponível em: https://bit.ly/3NezQZi. Acesso em: 20 dez. 2022.

COSTA, Andréa Fernandes.; SOUZA, Aline Miranda e. Depois do incêndio, a pandemia: sobre (re)inventar a Educação Museal no Museu Nacional do Rio de Janeiro. In: CONGRESO REDPOP: RECALCULANDO: ESTRATEGIAS DE DIVULGACIÓN CIENTÍFICA, 17, 2021, nov. 24-25, Montevideo. Compilación de trabajos académicos presentados […]. Montevideo: Espacio Ciencia, 2021. p. 392-398. Disponível em: https://bit.ly/3oOYqqa. Acesso em: 2 jan. 2023.

CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly; HERMANSON, Kim. Intrinsic Motivation in Museums: Why Does One Want to Learn? In: FALK, John Howard; DIERKING, Lynn Diane (ed.). Public Institutions for Personal Learning. Washington, DC: American Association of Museums, 1995. p. 67-77.

DAHMOUCHE, Mônica Santos et al. Agora são elas: a presença das mulheres no público de museus de ciência do Rio de Janeiro. Em Questão, Porto Alegre, v. 29, p. 125255, 2023. Acesso em: 17 maio 2023.

DUARTE, Luiz Fernando Dias. Um novo centenário para o Brasil e seu Museu Nacional. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 30, p. 1-26, 2022. DOI: 10.1590/1982-02672022v30d1e24. Disponível em: https://bit.ly/3quofwb. Acesso em: 9 mar. 2023.

FALK, John Howard. The Role of Emotions in Museum-Going. In: MAZZANTI, P.; SANI, M. (ed.). Emotions and Learning in Museums. Berlin: NEMO: Network of European Museum Organizations, 2021. p. 55-65. Disponível em: https://bit.ly/42vboXX. Acesso em: 8 dez. 2022.

FERREIRA, José Carlos; MARTINS, Angela Maria Moreira. Quinta da Boa Vista: de espaço de elite a espaço público. Paisagem e Ambiente, São Paulo, n. 13, p. 125-145, 2000. Disponível em: https://bit.ly/45Rphm7. Acesso em: 22 dez. 2022.

GUICHARD, Florence. Comment devient-on scientifique?: enquete sur la naisssance d’une vocation. France: EDP Science, 2007.

IBRAM – INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Introdução. In: IBRAM. Programa para a gestão de riscos ao patrimônio musealizado brasileiro. Rio de Janeiro: IBRAM, 2013. p. 11-16. Disponível em: https://bit.ly/42qbH6s. Acesso em: 8 dez. 2022.

KAVANAGH, Gaynor. Making Histories, Making Memories. In: KAVANAGH, Gaynor (ed.). Making Histories in Museums. London: Leicester University Press, 1999. p. 1-14.

KÖPTCKE, Luciana Sepúlveda. Bárbaros, escravos e civilizados: o público dos museus no Brasil. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, DF, n. 31, p. 186-205, 2005.

LEFÈVRE, Fernando. Discurso do sujeito coletivo: nossos modos de pensar. nosso eu coletivo. São Paulo: Andreoli, 2017.

LUTZ, Bertha Maria Júlia. A função educativa dos museus. In: MIRANDA, G. G. de et al. (org.). Rio de Janeiro: Museu Nacional, 2008.LUTZ, Bertha. The National Museum of Brazil. Museum Work, New York, v. 5, nov./dez. 1922.

MANO, Sonia et al. Interesses e discursos sobre a ciência: a expectativa da população que não frequenta museus de ciência. Em questão, Porto Alegre, v. 27, n. 4, p. 413-417, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3NiCcGG. Acesso em: 18 maio 2023.

MANO, Sonia et al. Museus de ciência e seus visitantes no início do século XXI: estudo longitudinal da visitação espontânea de cinco instituições da cidade do Rio de Janeiro. Anais do Museu Paulista, São Paulo, Nova Série, v. 30, p. 1-48, 2022. Disponível em: https://bit.ly/3J2kt3E. Acesso em: 23 nov. 2022.

MARTINS-COSTA, Lygia. Brasil. Revista Museum, Brasília, DF, v. 2, 2012. Mesa redonda sobre la importancia y el desarrollo de los museus en el mundo contemporáneo, 1973. Org. de José do Nascimento Junior, Alan Trampe, Paula Assunção dos Santos. Disponível em: https://bit.ly/3OZZTVw. Acesso em: 10 mar. 2023.

MAZZANTI, Paolo. Emotions Inside/Out Museums. In: MAZZANTI, Paolo; SANI, Margherita (ed.). Emotions and Learning in Museums. Berlin: NEMO: Network of European Museum Organizations, 2021. p. 6-23. Disponível em: https://bit.ly/42vboXX. Acesso em: 27 dez. 2022.

MENDES, Hezelainy Wanessa Oliveira Lima. Património destruído: o caso do Museu Nacional do Rio de Janeiro, Brasil. 2020. Dissertação (Mestrado em Património) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova Lisboa, Lisboa, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3P2sDwC. Acesso em: 6 dez. 2022.

MOREIRA, Ildeu de Castro; MASSARANI, Luísa. Aspectos históricos da divulgação científica no Brasil. In: MASSARANI, Luísa; MOREIRA, Ildeu de Castro; BRITO, Fátima (org.). Ciência e público: caminhos da divulgação científica no Brasil. Rio de Janeiro: Casa da Ciência, Centro Cultural de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fórum de Ciência e Cultura, 2002. p. 43-64. Disponível em: https://bit.ly/3WSkOLM. Acesso em: 27 dez. 2022.

NASCIMENTO-DIAS, Bruno Leonardo et al. A história do Museu Nacional do Rio de Janeiro e de sua coleção de meteoritos brasileiros. Boletim Paranaense de Geociências, Curitiba, v. 80, n. 2, p. 212-225. 2022. Disponível em: https://bit.ly/43JHtwi. Acesso em: 6 dez. 2022.

O MUSEU Nacional. São Paulo: Banco Safra, 2007.

PINHEIRO, Marta Passos. Machado de Assis cronista: “Bons Dias!” no avesso da República. Revista de Letras, São Paulo, v. 52, n. 2, p. 133-145, jul./dez. 2012.

PONCIANO, Luiza. A história das exposições de paleontologia no Museu Nacional (UFRJ). In: JORNADA FLUMINENSE DE PALEONTOLOGIA, 5, 2010. Livro de resumos […]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010. p. 39-40.

RODRIGUES, Ana Paula Rosa; TOMAZZONI, Edegar Luís. Lazer e museus: uma reflexão sobre seus significados e interações. Licere: Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer (UFMG), Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 61-96, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3qnpsVY. Acesso em: 16 dez. 2022.

SEREJO, Cristiana. Museu Nacional: panorama dos acervos: passado, presente e futuro. Rio de Janeiro: Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3WW7lmv. Acesso em: 2 jan. 2021.

TRINDADE, Jeanne Almeida da. Parques históricos nas cidades contemporâneas: uma análise da Quinta da Boa Vista. 2013. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

VALENTE, Maria Esther. Museus de ciência e tecnologia no Brasil: uma ‘Reunião de Família’ na Mesa Redonda de Santiago do Chile em 1972. Museologia e Patrimônio, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 73-86, 2009. Disponível em: https://bit.ly/43r4kwR. Acesso em: 16 mar. 2023.

VERNIN, Lenna Carolina Solé. Educação patrimonial no Campo de Santana: história, memória e diversão. Curitiba: Appris, 2021.

WAGENSBERG, Jorge. The “total” museum, a tool for social change. História, Ciências, Saúde: Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 12, p. 309-321, 2005. Disponível em: https://bit.ly/3OZzE1b. Acesso em: 3 dez. 2023.

SITES

LINHA do tempo interativa da Seção de Assistência ao Ensino (SAE). Museu Nacional (UFRJ), Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3MSZlhd. Acesso em: 18 mai. 2023.

Downloads

Publicado

2023-09-01

Como Citar

Costa, A. F., Dahmouche, M. S., Damico, J. S., Mano, S., & Cazelli, S. (2023). Memórias dos visitantes do Museu Nacional: lembranças que não se apagam. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 31, 1-43. https://doi.org/10.11606/1982-02672023v31e18

Edição

Seção

Museus

Dados de financiamento