Paranaguá, Antonina e Curitiba, início do século XIX: reconstituindo espaços e a lógica de sua organização social

Autores

  • Allan Thomas Tadashi Kato Universidade Federal do Paraná; Centro de Documentação e Pesquisa da História dos Domínios Portugueses

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142012000100010

Palavras-chave:

organização socioespacial, vizinhança, espaço citadino, reconstituição

Resumo

O objetivo desse artigo é desenvolver uma metodologia para caracterizar a espacialização, no início do século XIX, dos moradores arrolados nas décimas urbanas de Paranaguá, Antonina e Curitiba, três vilas do sul da capitania de São Paulo. Apresentamos aqui os problemas enfrentados e decisões tomadas, quase sempre provisórias e arbitrárias. O resultado chegou a plantas hipotéticas dos loteamentos e arruamentos urbanos daquelas vilas. A partir de um banco de dados - elaborado principalmente com informações das Listas Nominativas de Habitantes -, foi possível caracterizar os moradores arrolados nos livros de imposto predial de Décima. Espacializando esses dados em plantas temáticas, foi possível perceber onde moravam os grupo sociais, suas escolhas (ou a falta delas), ou seja, perceber seus locais preferenciais, mas não exclusivos, de habitação.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Edição

Seção

Dossiê - Caminhos da história da urbanização no Brasil-colônia

Como Citar

KATO, Allan Thomas Tadashi. Paranaguá, Antonina e Curitiba, início do século XIX: reconstituindo espaços e a lógica de sua organização social . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 283–320, 2012. DOI: 10.1590/S0101-47142012000100010. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/39815.. Acesso em: 19 jul. 2024.