A viagem de José Gonçalves da Fonseca e a cartografia do rio Madeira (1749-1752)

Autores

  • André Ferrand de Almeida Universitário Europeu

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142009000200011

Palavras-chave:

Mapas, Fronteiras, Rota fluvial, Mato Grosso, Rio Madeira, Tratado de Madri

Resumo

Este artigo analisa a viagem da "real escolta", uma expedição de reconhecimento enviada de Belém do Pará, em 1749, para explorar a comunicação fluvial entre o Estado do Maranhão e Grão-Pará e o Mato Grosso através da rota formada pelos rios Madeira, Mamoré e Guaporé, e seu impacto na cartografia deste espaço. As grandes diferenças entre o mapa traçado por José Gonçalves da Fonseca e o Mapa das Cortes criaram grande perplexidade aos responsáveis políticos portugueses antes de darem início às demarcações de limites acordadas com a coroa espanhola no Tratado de Madri de 1750.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2009-12-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

ALMEIDA, André Ferrand de. A viagem de José Gonçalves da Fonseca e a cartografia do rio Madeira (1749-1752) . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 215–235, 2009. DOI: 10.1590/S0101-47142009000200011. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5520.. Acesso em: 28 maio. 2024.