Bibliotecas escolares do século XXI: implementando makerspaces

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-5894.berev.2021.181387

Palavras-chave:

Makerspace, Biblioteca escolar, Makerspaces em bibliotecas escolares, História da Educação, Tecnologia, Inovação

Resumo

Incorporando o Movimento Maker, a biblioteca escolar permite com que os alunos passem por experiências de “colocar a mão na massa”, aprendendo de forma independente por meio de metodologias ativas. Esta  pesquisa  objetivou  definir  os  recursos  necessários  para  a  implementação  de makerspaces em bibliotecas escolares. Para alcançar o objetivo proposto discutiu-se a inovação no processo de ensino e aprendizagem e o uso de tecnologias, definiu-se a origem, os conceitos e derivações dos  makerspaces, mapeou-se  as  bibliotecas  escolares  que  implementaram  estes  espaços  ao redor do mundo, para, finalmente, explicar  o  processo  de planejamento e financiamento desses espaços, elencando os hardwares, materiais de consumo e  materiais  de  makerspace  utilizados  nas  escolas  estudadas. Trata-se de uma pesquisa exploratória, bibliográfica e de abordagem qualitativa pesquisa. Concluiu-se que é preciso desenvolver e implementar a cultura maker na escola, antes mesmo de implementar o makerspace, e que os bibliotecários, incentivadores do acesso à informação, podem participar ativamente do seu desenvolvimento e implementação. Como barreiras enfrentadas para a implantação dos makerspaces pode-se considerar o financiamento das mais difíceis de serem superadas, entretanto não devem ser usadas como o motivo para não inovar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jordan Paulesky Juliani, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Caratina – UFSC, Brasil.

Professor associado na Universidade do Estado de Santa Catarina.

Gabriela Vieira da Cunha Prates, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduada em Biblioteconomia com Habilitação em Gestão da Informação pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Brasil.

Referências

AZEVÊDO, L. S. Cultura maker: uma nova possibilidade no processo de ensino e aprendizagem. 2019. Dissertação (Mestrado em Inovação em Tecnologias Educacionais, Instituto Metrópole Digital) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/28456/1/Culturamakernova_Azevedo_2019.pdf. Acesso em: 19 jan. 2021.

BAGLEY, C. A. What is a makerspace?: ceativity in the library. American Library Association, 2013. Disponível em: http://www.ala.org/tools/article/ala-techsource/what-makerspace-creativity-library. Acesso em: 20 dez. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País.Brasília: Casa Civil, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12244.htm. Acesso em: 18 mar. 2018.

CANUTO, L. C. Meta de universalizar bibliotecas nas escolas está longe deser alcançada, dizem especialistas. Câmara dos Deputados, 2017. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/547092-META-DE-UNIVERSALIZAR-BIBLIOTECAS-NAS-ESCOLAS-ESTA-LONGE-DE-SER-ALCANCADA,-DIZEM-ESPECIALISTAS.html. Acesso em: 18 mar. 2018.

DALEY, M.; CHILD, J. Makerspacesin the school library environment. Access (10300155), Zillmere, v. 29, n. 1, p.42-49, 2015. Disponível em: http://search-ebscohost-com.ez74.periodicos.capes.gov.br/login.aspx?direct=true&db=lih&AN=101895199&lang=pt-br&site=ehost-live. Acesso em: 18 mar. 2018.

DEWEY, J. Como pensamos: como se relaciona o pensamento reflexivo com o processo educativo - uma reexposição. 4. ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1979.

GASQUE, K. C. G. D. O pensamento reflexivo na busca e no uso da informação na comunicação científica.2008. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/1344/1/TESE_2008_KelleyCristineGDiasGasque.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021. GILBERT, J. Educational makerspaces: disruptive, educative or neither?. New Zealand Journal of Teachers’ Work, Auckland, v. 14, n. 2, p.80-98, 2017. Disponível em: http://hdl.handle.net/10292/11072. Acesso em: 18 mar. 2019.

GOMES, E. B. et al. A experiência de implantação de uma disciplina maker em uma escola de educação básica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 6., 2017, Recife. Anais [...].Recife: SBC, 2017. p. 303-312. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/7248/5046. Acesso em: 18 mar. 2018.

GRAVES, C. Teen experts guide makerspace: make over. Knowledge Quest, Chicago, v. 42, n. 4, p.8-13, 2014. Disponível em: http://link-galegroup.ez74.periodicos.capes.gov.br/apps/doc/A377575170/AONE?u=capes&sid =AONE&xid=dca377f3. Acesso em: 18 mar. 2018.

HOUSTON, C. Makerspaces@your school library: consider the possibilities! Kentucky Libraries, Prospect, v. 77, n. 3, p.26-28, 2013. Disponível em: http://search-ebscohost-com.ez74.periodicos.capes.gov.br/login.aspx?direct=true&db=lih&AN=89637184&lang=pt-br&site=ehost-live. Acesso em: 18 mar. 2018.

IFLA. Manifesto IFLA/UNESCO para biblioteca escolar. Tradução Neusa Dias Macedo. São Paulo: IFLA, 2000.

JESUS, D. L. Makerspace em bibliotecas escolares: uma análise bibliométrica. 2019. Dissertação (Mestrado em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares) – Universidade Aberta, 2019. Disponível em: https://repositorioaberto.uab.pt/bitstream/10400.2/8560/1/TMGIBE_DeiseJesus.pdf. Acesso em: 19 jan. 2021.

KENSKI, V. M. Aprendizagem mediada pela tecnologia. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n. 10, p.1-10, 2003. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/dialogo?dd1=786&dd99=view&dd98=. Acesso em: 8 abr. 2020.

KLEON, A. Roube como um artista: 10 dicas sobre criatividade. Tradução de Leonardo Villa-Forte. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

KUHLTHAU, C. C. Guided inquiry: school libraries in the 21st century. School Libraries Worldwide, Tallahassee, v. 16, n. 1, p.17-28, 2010. Disponível em: http://wp.comminfo.rutgers.edu/ckuhlthau/wp-content/uploads/sites/185/2016/02/GI-School-Librarians-in-the-21-Century.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

KURTI, R. S.; KURTI, D. L.; FLEMING, L. Practical implementation of an educational makerspace: part 3 of making an educational makerspace. Teacher Librarian, Bowie, v. 42, n. 2, p. 20-24, 2014a. Disponível em: http://link-galegroup.ez74.periodicos.capes.gov.br/apps/doc/A397004755/AONE?u=capes&sid=AONE&xid=ce6a5a7c. Acesso em: 18 mar. 2018.

KURTI, R. S.; KURTI, D. L.; FLEMING, L. The philosophy of educational makerspaces: part 1 of making an educational makerspace. Teacher Librarian, Bowie, v. 41, n. 5, p. 8-11, 2014b. Disponível em:http://link-galegroup.ez74.periodicos.capes.gov.br/apps/doc/A373680322/AONE?u=capes&sid =AONE&xid=c45e2ef9. Acesso em: 18 mar. 2018.

LAMB, A. Makerspacesand the School Library Part 1: where creativity blooms. Teacher Librarian, Bowie,v. 43, n. 2, p. 56-59, 2015. Disponível em: http://link-galegroup.ez74.periodicos.capes.gov.br/apps/doc/A439185904/AONE?u=capes&sid=AONE&xid=d193225b. Acesso em: 18 mar. 2018.

LANKES, D. Expect more: melhores bibliotecas para um mundo complexo. São Paulo: FEBAB, 2016.

LEMOS, S. Nativos digitais x Aprendizagens: um desafio para a escola. Boletim Técnico do Senac: Revista da Educação Profissional, Rio de Janeiro, v. 35, n. 3, p. 39-47, 2009. Disponível em: http://www.bts.senac.br/index.php/bts/article/view/236/219. Acesso em: 15 jan. 2020.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. Disponível em: http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad-1538f3aef538/E-book Metodologia do Trabalho Cientifico.pdf. Acesso em: 12 maio 2018.

RESNICK, M. All I really need to know (about creative thinking) I learned (by studying how children learn) in Kindergarten. In: ACM SIGCHI Conference on Creativity and Cognition, 6. 2007, Washington, DC. Proceedings [...].Washington, DC: ACM, 2007. Disponível em: http://web.media.mit.edu/~mres/papers/kindergarten-learning-approach.pdf. Acesso em: 20 mai. 2020.

RIBEIRO, L. A. M. CuriouserLab: uma experiência de letramento informacional e midiático na educação. 2016. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2016. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21279. Acesso em: 18 mar. 2018.

RIVAS, L. Creating a classroom makerspace. Educational Horizons, Melbourne, v. 93, n. 1, p. 25-26, 2014. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0013175X14551701. Acesso em: 18 mar. 2018.

SANTOS NETO, J. A.; ZANINELLI, T. B. Biblioteca escolar com makerspace: um estudo de caso na Biblioteca Abraham Lincoln. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 13, p. 2633-2656, 2017. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1005. Acesso em: mar. 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-21

Como Citar

Juliani, J. P., & Prates, G. V. da C. . (2021). Bibliotecas escolares do século XXI: implementando makerspaces. Biblioteca Escolar Em Revista, 7(2), 42-60. https://doi.org/10.11606/issn.2238-5894.berev.2021.181387

Edição

Seção

Artigos