Arqueologia em fábricas paulistas, entre chaminés e estacionamentos. Ou dos métodos para escavar uma fábrica.

Autores

  • Rafael de Abreu e Souza Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i16p136-173

Palavras-chave:

Arqueologia industrial, Métodos, São Paulo.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar exemplos de como a arqueologia tem dialogado com contextos fabris, no âmbito da arqueologia urbana e histórica, e como tem desenvolvido métodos específicos para lidar com tais vestígios. Busca ainda
tecer considerações em torno da arqueologia da industrialização no estado de São Paulo e de questões referentes à inserção da arqueologia no âmbito das políticas de preservação do patrimônio industrial

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael de Abreu e Souza, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em História pela Universidade Estadual de Campinas, mestre em Arqueologia pela Universidade de
São Paulo; especialista em Gestão Ambiental pelo Centro Universitário Senac; gestor de projetos pela Zanettini
Arqueologia. Doutorando em Ambiente e Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas

Downloads

Publicado

2013-10-11

Como Citar

Souza, R. de A. e. (2013). Arqueologia em fábricas paulistas, entre chaminés e estacionamentos. Ou dos métodos para escavar uma fábrica. Revista CPC, (16), 136-173. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i16p136-173

Edição

Seção

Conservação e Restauração