Problematização e representação da memória no espetáculo Cidade Submersa

Autores

  • Jorge Peloso de Azevedo
  • Marília Gabriela Amorim Donoso

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i16p180-190

Resumo

O teatro como arte que implica repetição desde sua criação e na sua representação – num movimento incessante de reavivar ações cênicas criadas em um tempo anterior ao de sua realização frente ao público – caracteriza-se como uma arte já profundamente ligada à memória. Porém, em nossa trajetória como grupo de teatro, a memória tornou-se um dos eixos fundamentais de pesquisa e trabalho do IMPULSO Coletivo¹. Ela, a memória, determinou o campo temático de nossa
primeira criação por ser um importante elemento para processos de construção da identidade em um contexto urbano em constante transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Peloso de Azevedo

Graduado em Licenciatura em Educação Artística, habilitação em Artes Cênicas, pelo Instituto de Artes da
Universidade Estadual Paulista, São Paulo/SP, Brasil. É fundador, diretor e ator-pesquisador do grupo IMPULSO
Coletivo

Marília Gabriela Amorim Donoso

*Mestrado em Artes, linha de pesquisa em Artes Cênicas, pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual
Paulista, São Paulo/SP, Brasil. Fundadora e atriz-pesquisadora no grupo IMPULSO Coletivo, desenvolve
pesquisa na área de processos de criação, treinamento do ator e formação de público.

Downloads

Publicado

2013-10-11

Como Citar

Azevedo, J. P. de, & Donoso, M. G. A. (2013). Problematização e representação da memória no espetáculo Cidade Submersa. Revista CPC, (16), 180-190. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i16p180-190

Edição

Seção

Notícias e Depoimentos