Psicologia e Psquiatria em Bernardo Santareno: observar para narrar; narrar para tratar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v12i23p99-116

Palavras-chave:

Bernardo Santareno, Psicologia e Psiquiatria, Estado Novo

Resumo

Segundo o dicionário Aurélio, a Psicologia é parte da Filosofia que trata da alma, das suas manifestações e dos fenômenos psíquicos. Já a Psiquiatria é por ele apresentada como a doutrina das doenças mentais e do respectivo tratamento. A Psicologia cuida do aspecto social e comportamental das pessoas. A Psiquiatria cuida da parte fisiológica e química envolvendo o cérebro humano. Em “Nos mares do fim do mundo” (1959) e “O Lugre” (1959), Bernardo Santareno, psicólogo, se preocupa em descobrir as causas dos problemas sofridos pelos homens do mar, usando como principal ferramenta o conhecimento social, filosófico e comportamental. Aqui, o indivíduo é analisado no contexto em que vive, com o autor se propondo a identificar e tratar as alterações psicológicas e comportamentais por meio de técnicas conversacionais, além de ajudar a preveni-las. Por sua vez, em relação a essas mesmas obras, Santareno, psiquiatra, avalia e trata problemas psicológicos focando na parte orgânica, por meio da avaliação fisiológica e química do cérebro. Na prática, sua preocupação psiquiátrica se ocupa primeiramente em reduzir os sintomas ocasionados pelo isolamento e distanciamento social do homem no mar. Em 1957 e em 1959, Bernardo Santareno, embarcando como médico de bordo na frota bacalhoeira portuguesa (David Melgueiro, Senhora do Mar e Gil Eannes) que se dirigia todos os anos para a Terra Nova e Groenlândia, traçou pequenos quadros narrativos que realçavam o elemento humano rodeado pela mais austera natureza. Entre a linguagem poética, a reflexão e a narrativa, usou observações para narrar e narrações para tratar a trajetória marítima e de vida nas quais suas personagens se descobriam real e interiormente. Por sua vez, levando-as para a encenação, descortinou a propaganda de cunho econômico do Estado Novo, reproduzida em sua ordem social

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Aparecido Da Silva, Universidade de São Paulo

Mestre e Doutor em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e Pós-doutorado em Percepção e Psicofísica pela Universidade da Califórnia, Santa Bárbara, USA, é Professor Titular Aposentado do Departamento de Psicologia da FFCLRP-USP. Na Universidade de Coimbra é Co-Coordenador do Mestrado em Psicologia Experimental e, na Universidade Nacional de Tucumán (Argentina), é co-coordenador do Centro Associado de Pós-graduação apoiado pela CAPES (Brasil) e pela SPU (Argentina). Em 2017 criou e é o coordenador do Curso de MBA da USP Comportamento nas Organizações. Ministra no PECE USP/POLI as disciplinas Inteligência Emocional e O Processo de Liderança.

Rosemary Conceição dos Santos, Universidade de São Paulo

Pós-Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Pós-Doutorado em Literaturas de Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica. Pós-Doutorado em Letras Clássicas e Vernáculas pela Universidade de São Paulo. Pós-Doutorado em Cognição, Leitura e Literatura pela Universidade de São Paulo (2009). Doutorado em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Mestrado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”.

Referências

ALMEIDA FILHO, Antonio José de. et al. Trajetória histórica da reforma psiquiátrica em Portugal e no Brasil. Revista de Enfermagem Referência. Série IV - n.° 4 - jan./fev./mar. 2015. p.117-125. Disponível em < http://dx.doi.org/10.12707/RIV14074 > Acesso em 14 dez 2020.

ALVES, F. A. Doença mental nem sempre é doença. Racionalidades leigas sobre saúde e doença mental: Um estudo no norte de Portugal. Porto, Portugal: Afrontamento, 2011.

BENJAMIN, W. Le narrateur. Réflexions sur l'oeuvre de Nicolas Leskov (1935). In Essais 2 (M. de Gandillac, Trans.). Paris: Denoël, 1983.

BERTRAND, M. Valeur et limites du narratif en psychanalyse. In M. Bertrand (Ed.), Psychanalyse et récit. Stratégies narratives et processus thérapeutiques. Besançon, France: Presses Universitaires Franc-Contoises, 1998, p. 9-19.

DARTIGUES, A. Paul Ricoeur e a questão de identidade narrativa. In CESAR, C. M. (Ed.). Paul Ricoeur. Ensaios. São Paulo: Paulus, 1998, p. 7-25.

DELAY, Jean. “Discours de réception de Jean Delay”. Disponível em < http://academie-francaise.fr/discours-de-reception-de-jean-delay > Acesso em 15 outubro 2020.

FREUD, S. Cinco lições de psicanálise. Rio de Janeiro: Imago, 2003.

FREUD, S. A questão da análise leiga: conversações com uma pessoa imparcial (1926). In Obras psicológicas completas de Sigmund Freud: edição standard brasileira. Vol. 20. Rio de Janeiro: Imago, 2006.

LANI-BAYLE, M. L'enfant et son histoire. Vers une clinique narrative. Ramonville Saint-Agne, France: Erès, 1999.

LIMA, Luiz Tenório Oliveira. Freud. São Paulo: Publifolha, 2013.

ORLANDI, Eni Pulccinelli. O sentido dominante: a literalidade como produto da história. In: A linguagem e seu funcionamento. Campinas: Pontes, 1987, p. 135-148.

PEREIRA, José Manuel Morgado. A Psiquiatria em Portugal: Protagonistas e história conceptual (1884-1924). Tese de doutoramento. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Coimbra: Setembro, 2015.

PÉREZ-RINCÓN, Héctor. Psiquiatria e Literatura. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, v. 13, n. 3, p. 391-394, setembro 2010.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa (1984), vol. 2. Campinas, SP: Papirus, 1995.

SANTARENO, Bernardo. Nos mares do fim do mundo: doze meses com os pescadores bacalhoeiros portugueses, por bancos da Terra Nova e da Groenlandia. Lisboa: Expo 98, 1997.

SANTARENO, Bernardo. O lugre: peça em 6 quadros. Silveira, Lisboa: E-Primatur. 2019.

SILVA, J. A. Psicologia & Comportamentos. Ribeirão Preto: Canavaci, 2003.

SIQUEIRA-SILVA, R. et al. Portugal e Brasil no cenário da saúde mental. Fractal: Revista de Psicologia, 25(3), 2013, p. 475-496.

TODOROV, T. La notion de littérature et autres essais. Paris: Éditions du Seuil, 1987.

Downloads

Publicado

2020-12-29

Como Citar

Silva, J. A. D. ., & Santos, R. C. dos. (2020). Psicologia e Psquiatria em Bernardo Santareno: observar para narrar; narrar para tratar. Revista Desassossego, 12(23), 99-116. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v12i23p99-116