LITERATURA PORTUGUESA EM PLAGAS BRASILEIRAS OITOCENTISTAS: O CULTO BOCAGIANO DE ÁLVARES DE AZEVEDO E O MISSIONARISMO CAMONIANO DE JOAQUIM NABUCO

Autores

  • Adriano Lima Drummond Doutorando Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v2i3p5-16

Palavras-chave:

Álvares de Azevedo, Joaquim Nabuco, Bocage, Camões, littérature

Resumo

Neste artigo, analisamos o ensaio "Civilização e literatura em Portugal", de Álvares de Azevedo, e a introdução do livro "Camões e os lusíadas", de Joaquim Nabuco. Grandes figuras da história intelectual do Brasil oitocentista, Azevedo e Nabuco, nesses textos, questionam tanto o fato quanto a vantagem de uma independência literária brasileira em relação à literatura portuguesa, num discurso que professaria o culto bocagiano e o missionarismo camoniano de seus respectivos autores, bem destoantes do coro lusófobo-nacionalista pós-1822.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-06-10

Como Citar

Drummond, A. L. (2010). LITERATURA PORTUGUESA EM PLAGAS BRASILEIRAS OITOCENTISTAS: O CULTO BOCAGIANO DE ÁLVARES DE AZEVEDO E O MISSIONARISMO CAMONIANO DE JOAQUIM NABUCO. Revista Desassossego, 2(3), 5-16. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v2i3p5-16