A participação da mãe no mercado de trabalho e o diferencial de anos de estudo por gênero entre adolescentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-41614842ajl

Palavras-chave:

Emprego materno, Diferencial educacional entre os gêneros

Resumo

Atualmente, o número de crianças que crescem em famílias cujas mães são ativas no mercado de trabalho é significativamente superior ao de gerações anteriores. Essa mudança demográfica envolve alterações quanto ao tempo e cuidado materno dedicado aos filhos, podendo afetar suas vidas atuais e prospecções futuras. Por isso, o objetivo desta pesquisa é contribuir para o debate acerca dos efeitos relacionados à participação da mãe no mercado de trabalho e a escolaridade dos filhos, medida pelas horas de trabalho. As estimações são obtidas por meio de variável instrumental como estratégica de identificação para isolar os efeitos causais entre a decisão pelo mercado de trabalho das mães e a escolaridade dos filhos, nas quais as condições do mercado de trabalho local são utilizadas como instrumentos. Entre os resultados, destaca-se que o aumento das horas trabalhadas da mãe reduz o nível educacional deles. Em relação ao diferencial educacional entre os sexos, observa-se que o efeito da mãe trabalhar não é responsável por introduzir diferenciais educacionais entre os sexos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aguas, Marina Ferreira Fortes. 2009. “A importância da composição dos filhos para a participação da mulher na

força de trabalho – uma análise para o Brasil de 1992 a 2008”. (MSc diss., UFF 2009).

Anazawa, Leandro, Guedes, Marcelo Sanchez, Komatsu, Bruno Kawaoka, and Menezes-Filho, Naercio Aquino. 2016. “A Loteria da Vida: Examinando a Relação entre a Educação da Mãe e a Escolaridade do Jovem com Dados Longitudinais do Brasil”. Insper - Centro de Políticas Públicas, Policy Paper 22.

Anderson, Patricia M., Kristin F. Butcher, and Phillip B. Levine. 2003. “Maternal employment and overweight children.” Journal of health economics 22(3): 477-504.

Aquino, Juliana Maria, and Elaine Toldo Pazello. 2011. “Trabalho materno e desempenho educacional das crianças:

uma análise da probabilidade de aprovação escolar.” Pesquisa e Planejamento Econômico 41(1): 71-100.

Arouck, Jean Henrique Santana S. 2015. “Trabalho materno e desempenho educacional: uma análise para o ensino fundamental gaúcho”. (MSc diss., Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 2015).

Baum II, Charles L. 2003. “Does early maternal employment harm child development? An analysis of the potential benefits of leave taking.” Journal of labor Economics 21(2): 409-448.

Baum, Charles L. 2004. “The long-term effects of early and recent maternal employment on a child’s academic achievement.” Journal of Family Issues 25(1): 29-60.

Baydar, Nazli, and Jeanne Brooks-Gunn. 1991. “Effects of maternal employment and child-care arrangements on preschoolers’ cognitive and behavioral outcomes: Evidence from the Children of the National Longitudinal Survey of Youth.” Developmental psychology 27(6): 932-945.

Beltrão, Kaizô Iwakami, and José Eustáquio Diniz Alves. 2009. “A reversão do hiato de gênero na educação brasileira no século XX.” Cadernos de Pesquisa 39(136): 125-156.

Blau, Francine D., and Adam J. Grossberg. 1990. “Maternal labor supply and children’s cognitive development”. National Bureau of Economic Research 1990.

Brooks–Gunn, Jeanne, Wen–Jui Han, and Jane Waldfogel. 2002. “Maternal employment and child cognitive outcomes in the first three years of life: The NICHD study of early child care.” Child development 73(4): 1052-1072.

Cameron, A. Colin, and Pravin K. Trivedi. 2005. “Microeconometrics: methods and applications”. Cambridge University Press 2005.

Cardoso, Fernando Luiz, Samantha Sabbag, and Thais Silva Beltrame. 2007. “Prevalência de transtorno de déficit de atenção/hiperatividade em relação ao gênero de escolares.” Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano 9(1): 52-59.

Datcher-Loury, Linda. 1988. “Effects of mother’s home time on children’s schooling.” The review of economics and statistics 70(3): 367-373.

Duflo, Esther. 2012. “Women empowerment and economic development.” Journal of Economic Literature 50(4): 1051-1079.

Fan, Xiaodong, Hanming Fang, and Simen Markussen. 2015. “Mothers’ Employment and Children’s Educational Gender Gap”. National Bureau of Economic Research 2015.

González de San Román, A.; De La Rica Goiricelaya S. 2001. “Gender Gaps in Han, Wen‐Jui, Jane Waldfogel, and Jeanne Brooks‐Gunn. The effects of early maternal employment on later cognitive and behavioral outcomes.” Journal of Marriage and Family 63(2): 336-354.

Hill, M. Anne, and June O’Neill. 1994. “Family endowments and the achievement of young children with special reference to the underclass.” Journal of Human Resources 29(4): 1064-1100.

James-Burdumy, Susanne. 2005. “The effect of maternal labor force participation on child development.” Journal of Labor Economics 23(1): 177-211.

Leone, Eugene Troncoso. 2000. “Renda familiar e trabalho da mulher na Região Metropolitana de São Paulo nos anos 80 e 90”. In Trabalho e gênero: mudanças, permanências e desafios, 384. São Paulo: Editora.

Muller, Chandra. 1998. “Gender differences in parental involvement and adolescents’ mathematics achievement.” Sociology of Education 71(4): 336-356.

“PISA Test Scores: The Impact of Social Norms and the Mother’s Transmission of Role Attitudes. IZA Discussion Paper 6338, 2012.

Ravallion, Martin, and Quentin Wodon. 2000. “Does child labour displace schooling? Evidence on behavioral responses to an enrollment subsidy.” The economic journal 110(462): 158-175.

Ruhm, Christopher J. 2008. “Maternal employment and adolescent development.” Labour Economics 15(5): 958-983.

Souza, Laetícia Rodrigues, and Rios-Neto, Eduardo Luiz Gonçalves. 2008. “O efeito de filhos sobre a oferta de trabalho dos pais sob uma perspectiva de gênero.” Anais do XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Caxambu, MG.

UNESCO. 2015. “Relatório de Monitoramento Global”. Brasília: UNESCO, CONSED, Ação Educativa.

Vieira, Caterina Soto, Cabanas, Pedro, Menezes-Filho, Naercio, and Komatsu, Bruno Kawaoka. 2016. “Como as Mudanças no trabalho e Renda dos Pais afetam as Escolhas entre Estudo e Trabalho dos Jovens?” Pesquisa e Planejamento Econômico 46(3): 33-61.

Wooldridge, Jeffrey. M. 2002. “Econometric Analysis of Cross Section and Panel Data.” Cambridge, MA: MIT Press.

Downloads

Publicado

2018-12-01

Edição

Seção

Artigo

Dados de financiamento