Efeitos do BNDES Finame nas firmas brasileiras: uma análise de sobrevivência para os anos de 2002 a 2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-41615116nsas

Palavras-chave:

BNDES Finame, Sobrevivência de empresas, Propensity score matching, Análise de sobrevivência, Expansão de crédito

Resumo

Este texto busca analisar o efeito do BNDES Finame na sobrevivência das firmas brasileiras, separadas de acordo com seu tamanho, entre os anos de 2002 e 2016. Para tanto, são empregados os métodos de Propensity Score Matching e Análise de Sobrevivência. Além disso, são utilizadas as bases de microdados da RAIS; de comércio exterior do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC); de Operações de Financiamentos do BNDES; dados do Banco Central do Brasil (BCB) e do Relatório de Pesquisa Industrial, do IBGE. O principal resultado desse artigo é que empresas que utilizaram o BNDES Finame apresentaram um tempo médio de vida maior do que as que não foram contempladas com o mesmo. Porém, esse resultado não é encontrado para as firmas de grande porte. Além disso, quanto menor a companhia, maior o efeito deste financiamento na sua sobrevivência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Araujo, Bruno Cesar; De Negri, João Alberto. 2009. “O Tamanho do BNDES e Resposta à Crise: uma comparação internacional”. In: INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA - IPEA. Radar: tecnologia, produção e comércio exterior. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura (Diset). Brasília: Ipea.

Banco Central do Brasil – BCB. 2014. “Focus – Relatório de Mercado 2002-2014”. <https://www.bcb.gov.br/pec/GCI/PORT/readout/readout.asp>. (Acesso em: 09 de novembro de 2018).

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES. 2018. “Estatísticas Operacionais do Sistema BNDES: Desembolsos do Sistema BNDES”. <https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparencia/>. (Acesso em: 28 de setembro de 2018).

Benavente, José Miguel; Ferrada, Christian. 2004. “Probability of Survival of New Manufacturing Plants: the case of Chile”, Econometric Society 2004 Latin American Meetings 305, Econometric Society. <http://fmwww.bc.edu/repec/esLATM04/up.10751.1082126611.pdf >. (Acesso em: 19 de março de 2019).

Bradburn, MJ; Clarck, TG; Love, SB; Altman, DG. 2003. “Survival Analysis Part II: Multivariate data analysis – an introduction to concepts and methods”. British Journal of Cancer, 89: 431 – 436. <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2394368/pdf/89-6601119a.pdf>. (Acesso em: 25 de janeiro de 2019).

Bonomo, Marco; Martins, Bruno. 2016. “The Impact of Government-Driven Loans in the Monetary Transmission Mechanism: what can we learn from firm-level data?” Banco Central do Brasil, Working Paper no 419. <https://www.bcb.gov.br/pec/wps/ingl/wps419.pdf >. (Acesso em: 18 de setembro de 2018).

Carvalho, Kátia Cilene Medeiros de; Fonseca, Luiz Fernando Cerqueira. 2010. Análise dos determinantes da entrada e sobrevivência das empresas no Brasil. In: 38° Encontro Nacional de Economia. Salvador: Anpec. <http://www.anpec.org.br/encontro2010/inscricao/arquivos/374-8a1568111138d1fb6e9366eca88f8e40.pdf>. (Acesso em: 04 de abril de 2019).

Coelho, Danilo; De Negri, João Alberto. 2010. “Impacto do financiamento do BNDES sobre a produtividade das empresas: uma aplicação do efeito quantílico de tratamento”. In: 38° Encontro Nacional de Economia, 2010, Salvador. Anais do 38° Encontro Nacional de Economia. Disponível em: <http://www.anpec.org.br/encontro2010/inscricao/arquivos/000-62cf725608576526071dfbbed02385cf.pdf>. (Acesso em: 14 de setembro de 2018).

Conceição, Otávio Canozzi; Saraiva, Maurício Vitorino; Fochezatto, Adelar; França, Marco Túlio Aniceto. 2016. “O Simples Nacional e as empresas industriais: uma análise de sobrevivência a partir dos microdados da RAIS”. Prêmio CNI de Economia.

Conceição, Otávio Canozzi; Saraiva, Maurício Vitorino; Fochezatto, Adelar. 2018. “Sobrevivência Empresarial e Capital Humano: um estudo longitudinal da coorte de firmas criadas em 2007 no Ceará”. Revista Econômica do Nordeste, 49 (2): 169-185. <https://ren.emnuvens.com.br/ren/article/download/789/719>. (Acesso em: 05 de abril de 2019).

Crespi, Gustavo; Maffioli, Alessandro; Mohnen, Pierre; Vázquez, Gonzalo. 2011. “Evaluating the Impact of Science, Technology and Innovation Programs: a methodological Toolkit”. Banco Inter-Americano de Desenvolvimento (BID), Impact-Evaluation Guidelines, Technical Notes, No. IDB-TV-333. <https://publications.iadb.org/bitstream/handle/11319/5396/Evaluation%20the%20impact%20of%20Science%20Technology%20and%20Innovation%20Programs%20a%20Methodological%20Toolkit.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. (Acesso em: 19 de outubro de 2018).

Daepp, Madeleine; Hamilton, Marcus; West, Geoffrey; Bettencourt, Luís. 2015. “The mortality of companies. Journal of the Royal Dociety Interface 12. <https://royalsocietypublishing.org/doi/pdf/10.1098/rsif.2015.0120>. (Acesso em: 02 de abril de 2019). Demeritt, Jacqueline. “Parametric Models”. 2015. Directed Readings: Advanced Quantitative Methods. <http://jdemeritt.weebly.com/quant.html>. (Acesso em: 10 de janeiro de 2019).

De Negri, João Alberto; Maffioli, Alessando; Rodriguez, Cesar M.; Vázquez, Gonzalo. 2011. “The Impact of Public Credit Programs on Brazilian Firms”. Inter-American Development Bank (IBD), Working papers, no IDB-WP-293. <https://publications.iadb.org/bitstream/handle/11319/3826/theimpactofpubliccreditprogramsonbrazilianfirms.pdf?sequence=1>. (Acesso em: 12 de setembro de 2018).

De Negri, Fernanda; Almeida, Mansueto (orgs). 2010. “Os Efeitos dos Financiamentos do BNDES sobre o Desempenho das Empresas Industriais Brasileiras”. In: Estrutura Produtiva Avançada e Regionalmente Integrada: desafios do desenvolvimento produtivo brasileiro. Livro 5, Volume 1; Brasília: IPEA. <http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=6470>. (Acesso em: 19 de março de 2019).

De Negri, João Alberto; Alves, Patrick Franco; Koyama, Sergio Mikio; Araujo, Bruno Cesar. 2018. “Elasticidades juros e prazo da demanda de crédito livre e direcionado no Brasil”. Mimeografado.

Dunne, Timothy; Roberts, Mark e Samuelson, Larry. 1988. “Patterns of Firm Entry and Exit in U.S. Manufacturing Industries”. The RAND Journal of Economics 19 (4): 495-515.: <https://www.jstor.org/stable/2555454?seq=1#page_scan_tab_contents>. (Acesso em: 25 de janeiro de 2019).

Hosmer Jr., David e Lameshow, Stanley. 1999. “Applied Survival Analysis: Regression Modeling to Time to Event Data”. New York: John Wiley & sons, Inc.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. 2003. “Análise dos resultados”. Pesquisa Industrial 22 (1). Rio de janeiro: IBGE. <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/1719/pia_2003_v22_n1_empresa.pdf>. (Acesso em: 03 de novembro de 2018).

Jenkins, Stephen. 2005. “Survival Analysis”. Unpublished manuscript, Institute for Social and Economic Research, University of Essex, Colchester, UK. <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.176.7572&rep=rep1&type=pdf >. (Acesso em: 14 de janeiro de 2019).

Lane, William; Looney, Stephen; Wansley, James. 1986. An Application of the Cox Proportional Hazards Model to Bank Failure. Journal of Banking and Finance 10: 511-531. North-Holland. <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378426686800036>. (Acesso em: 19 de março de 2019).

Machado, Luciano; Roitman, Fábio Brener. 2015. “Os efeitos do BNDES PSI sobre o investimento corrente e futuro das firmas industriais”. Revista do BNDES, 44: 89-122. <https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/6942>. (Acesso em: 24 de setembro de 2018).

Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC. 2019. “Empresas brasileiras exportadoras e importadoras, 2002-2014”. <http://www.mdic.gov.br/comercio-exterior/estatisticas-de-comercio-exterior/empresas-brasileiras-exportadoras-e-importadoras>. (Acesso em: 03 de novembro de 2018).

Najberg, Sheila; Puga, Fernando; Oliveira, Paulo André de Souza de. 2000. “Sobrevivência das firmas no Brasil: dez. 1995/dez. 1997”. Revista do BNDES, 7(13): 33-47.

<https://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/revista/rev1302.pdf>. (Acesso em: 25 de janeiro de 2019).

Ottaviano, Gianmarco; Sousa, Filipe. 2008. “O Efeito do BNDES na Produtividade das Empresas”. In: De Negri, João Alberto; Kubota, Luis Claudio. Políticas de Incentivo à Inovação Tecnológica no Brasil. IPEA: Brasília. <http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=5569>. (Acesso em: 12 de setembro de 2018).

Pinto, Cristine. 2017. “Pareamento”. In: Menezes Filho, Naércio Aquino; Pinto, Cristine Campos de Xavier. Avaliação Econômica de Projetos Sociais. 3a edição. São Paulo: Fundação Itaú Social.

Rosa, Thiago Mendes; Bertholini, Frederico; Vilela, Renan; Campos, Sofia. 2018. “Vida longa e Próspera: Análise de Sobrevivência dos MEIs Beneficiados pelo Prospera”. Texto para Discussão no 45 do Codeplan. Brasília: Codeplan. <http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/TD-45-Vida-Longa-e-Pr%C3%B3spera-An%C3%A1lise-de-Sobreviv%C3%AAncia-dos-MEIs-Beneficiados-pelo-Prospera.pdf>. (Acesso em: 20 de novembro de 2018).

Ribeiro, Eduardo Pontual; De Negri, João Alberto. 2009. “Public Credit Use and manufacturing Productivity in Brazil”. Mimeografado.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE. 2011. “Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2010-2011”. São Paulo: DIEESE. <https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Anuario%20do%20Trabalho%20Na%20Micro%20e%20Pequena%20Empresa_2010_2011.pdf>. (Acesso em: 16 de outubro de 2018).

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE. “Sobrevivência das empresas no Brasil”. 2011. Bedê, Marco Aurélio; Altoé, Leonardo Bosco Mattar (Coords.). Brasília: Sebrae. <https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Sobrevivencia_das_empresas_no_Brasil_2011.pdf>. (Acesso em: 25 de janeiro de 2019).

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE. 2016. “Sobrevivência das empresas no Brasil”. 2011. Bedê, Marco Aurélio (Coord.). Brasília: Sebrae. <http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/sobrevivencia-das-empresas-no-brasil-relatorio-2016.pdf >. (Acesso em: 25 de janeiro de 2019).

Silva, Alexandre Messa. 2005. “Empresas de Base Tecnológica: Identificação, Sobrevivência e Morte”. Texto para Discussão no 1138, IPEA. Brasília: IPEA.

<http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=4728>. (Acesso em: 14 de setembro de 2018).

The World Bank. “GDP Growth (anual %), Brazil”. 2018. <https://data.worldbank.org/indicator/NY.GDP.MKTP.KD.ZG?locations=BR>. (Acesso em: 06 de novembro de 2018).

Downloads

Publicado

2021-03-09

Edição

Seção

Artigo