Conflito distributivo, inflação inercial e pactos sociais: revisitando os trabalhos de Persio Arida, Edmar Bacha e André Lara-Resende

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-53575226lbh

Palavras-chave:

Conflito distributivo, Inflação inercial, Plano cruzado

Resumo

No contexto antecedente ao Plano Cruzado, as formulações teóricas de Persio Arida, André Lara-Resende e Edmar Bacha ganharam destaque por tratarem do fenômeno inflacionário sob a ótica do conflito distributivo entre trabalhadores e empresários. Conforme esses primeiros esforços passaram a dar ensejo a propostas de políticas de estabilização, costuma-se apontar para uma diminuição de importância do elemento distributivo nos trabalhos dos autores citados, indicando uma convergência teórica em direção ao paradigma novo-keynesiano. Embora o conflito distributivo deixe de ser mencionado explicitamente como causa da inflação brasileira – sobretudo após o fracasso do Cruzado – ele segue mobilizado nos esforços dos autores em pensar planos de estabilização. Mais do que uma evolução conceitual, haveria uma mudança na avaliação sobre as possibilidades de gestão dos conflitos distributivos através de pactos sociais e reformas monetárias, podendo se recorrer a políticas de demanda para moderar as ambições de renda dos diversos grupos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Herzog, Universidade de São Paulo

Mestrando em Ciência Política

Referências

Arida, Persio. 1982. “Reajuste salarial e inflação”. Pesquisa e Planejamento Econômico, 12(2): 311-342.

Arida, Persio. 1983. “Austeridade, Autotelia e Autotomia”. In Dívida externa, recessão e ajuste estrutural: o Brasil diante da crise, organizado por Persio Arida, 189-206. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Arida, Persio. 1984. “Economic Stabilization in Brazil”. Texto para discussão 84, Departamento de Economia, PUC-Rio.

Arida, Persio. 1992. “Essays on Brazilian stabilization programs”. PhD thesis, MIT.

Arida, Persio, e André Lara-Resende. 1985. “Inertial inflation and monetary reform in Brazil”. Texto para discussão 85, Departamento de Economia, PUC-Rio.

Bacha, Edmar L. 1980. “Notas sobre inflação e crescimento: um texto didático”. Revista Brasileira de Economia 34(4): 541-555.

Bacha, Edmar L. 1983a. “Elementos para uma avaliação do monetarismo no Cone Sul”. Pesquisa e Planejamento Econômico. 13(2): 489-506.

Bacha, Edmar L. 1983b. “Por uma política econômica positiva”. In Dívida externa, recessão e ajuste estrutural: o Brasil diante da crise, organizado por Persio Arida, 171-180. 2ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Bacha, Edmar L. 1994 “O fisco e a inflação: uma interpretação do caso brasileiro”. Revista de Economia Política 14(1): 5-17.

Bacha, Edmar L. 1998 “Memória Acadêmica”. Economia Aplicada 2(1): 197-210.

Bacha, Edmar L. e Francisco L. Lopes. 1979. “Inflation, growth and wage policy: in search of a brazilian paradigm”. Texto para discussão 10, Departamento de Economia, PUC-Rio.

Barbosa, Fernando de H. 1983. A inflação brasileira no pós-guerra: monetarismo versus estruturalismo. Rio de Janeiro: IPEA/INPES.

Bastos, Carlos P. e Mario Rubens de Mello Neto. 2014. “Moeda, Inércia, Conflito, o Fisco e a Inflação: Teoria e Retórica dos Economistas da PUC-RJ”. Texto para discussão 229. UFF.

Biderman, Ciro, Luis Felipe L. Cozac e José Marcio Rego. 1996. Conversas com economistas brasileiros. São Paulo: Editora 34.

Bodin de Moraes, Pedro. 1988. “A condução da política monetária durante o Plano Cruzado”. Texto para discussão 200, Departamento de Economia, PUC-Rio.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos. 1990. “Da inflação à hiperinflação: uma abordagem estruturalista”. In Inflação e Hiperinflação: interpretações e retórica, organizado por José Marcio Rego, 7-28. 1ed. São Paulo: Bienal.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos e Yoshiaki Nakano. 1984. Inflação e recessão. São Paulo: Editora Brasiliense.

Carneiro, Ricardo. 1987. “A trajetória do Plano Cruzado”. In A política econômica do Cruzado, organizado por Ricardo Carneiro, 1-43. 1ed. São Paulo: Ed. Bienal

Carneiro Netto, Dionísio D. 1987. “Heterodoxia e política monetária”. Texto para discussão 179, Departamento de Economia, PUC-Rio.

Carvalho, André Roncaglia de. 2015. “The Conceptual Evolution of Inflation Inertia in Brazil”. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo.

Cruz, Sebastião C. V. 1988. “Empresários, economistas e perspectivas da democratização no Brasil”. In A Democracia no Brasil: dilemas e perspectivas, organizado por Reis e O’Donnell, 256-281. São Paulo: Vértice.

Cunha, Patrícia. H. F. 2006. “Resenha: a estabilização em dois registros”. Estudos econômicos 36(2): 383-402.

Dornbusch, Rudiger e Mário Henrique Simonsen. 1987. “Inflation stabilization with incomes policy support: a review of the experience in Argentina, Brazil and Israel”. NBER Working Paper Series 2153.

Franco, Gustavo H. 1986. “O Plano Cruzado: diagnóstico, performance e perspectivas a 15 de Novembro”. Texto para discussão 144. Departamento de Economia, PUC-Rio.

Franco, Gustavo H. 1987a. “Política de estabilização no Brasil: algumas lições do Plano Cruzado”. Texto para discussão 155. Departamento de Economia, PUC-Rio.

Funaro, Dilson. 1986. “Prefácio”. In Inflação Inercial, Teorias sobre Inflação e o Plano Cruzado, organizado por José Marcio Rego. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Hirschman, Albert. O. 1987. “The Political Economy of Latin American Development: seven exercises in retrospection”. Latin American Research Review 22(3): 7-36.

Kaldor, Nicholas. 1956. “Alternative Theories of Distribution”. Review of Economic Studies 23: 83-100.

Kalecki, Michal. 1980. “Textos diversos”. In Kalecki – Economia, organizado por J. Miglioli. São Paulo: Ed. Ática.

Lara-Resende, André. 1979. “Incompatibilidade distributiva e inflação estrutural”. Texto para discussão 1, Departamento de Economia. PUC-Rio.

Lara-Resende, André. 1984a. “A moeda indexada: uma proposta para eliminar a inflação inercial”. Texto para discussão 75. Departamento de Economia, PUC-Rio.

Lara-Resende, André. 1988. “Da inflação crônica à hiperinflação: observações sobre o quadro atual”. Texto para discussão 209, Departamento de Economia. PUC-Rio.

Lopes, Francisco L. 1984a. “Só um choque heterodoxo pode curar a inflação”. Economia em perspectiva. CORECON: São Paulo.

Lopes, Francisco L. 1984b. “Inflação inercial, hiperinflação e desinflação: notas e conjecturas”. Texto para discussão 77. Departamento de Economia, PUC-Rio.

Magalhães, João Paulo de A. 1996. Paradigmas econômicos e desenvolvimento: a experiência brasileira. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Marques, Maria Silvia B. 1988. “O Plano Cruzado: teoria e prática”. Revista de Economia Política 8(3): 101-130.

Modiano, Eduardo M. 1987. “The Cruzado Plan: theoretical foundations and practical limitations”. Texto para discussão 154, Departamento de Economia, PUC-Rio.

Modiano, Eduardo M. 2014. “A ópera dos três cruzados, 1985-1990”. In A Ordem do Progresso, organizado por Marcelo de Paiva Abreu, 281-312. 2ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Modiano, Eduardo. M. e Carneiro Netto, Dionísio D. 1984. “A Mágica do Novo Cruzeiro e a geração da nova inflação”. Texto para discussão 78. Departamento de Economia, PUC-Rio.

Pasinetti, Luigi. 1962 “Rate of profit and income distribution in relation to the rate of economic growth”. Review of Economic Studies 29(4): 267-279.

Paulani, Leda. 1997. “Teoria da Inflação Inercial: um episódio singular na história da ciência econômica no Brasil?” In 50 anos de ciência econômica no Brasil, organizado por Maria R. Loureiro, 1ed, 159-179. São Paulo: Editora Vozes.

Rangel, Ignácio. 1963. A Inflação Brasileira. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Robinson, Joan. 1956. The Accumulation of Capital. 1969 edition, London: Macmillan.

Robinson, Joan. 1962. Essays in the Theory of Economic Growth. 1968 edition, London: Macmillan.

Robinson, Joan. 1970. “Harrod after twenty one years”. In Collected Economic Papers, vol. III, Blackwell.

Sardenberg, Carlos A. 1987. Aventura e Agonia - nos bastidores do Cruzado. São Paulo: Companhia das Letras.

Serrano, Franklin. 2010. “O Conflito distributivo e a teoria da inflação inercial”. Revista de Economia Contemporânea.

Rio de Janeiro 14(2): 395-421.

Simonsen, Mário Henrique. 1970. Inflação: gradualismo x tratamento de choque. Rio de Janeiro: APEC Editora S/A.

Skinner, Quentin. 1969. “Meaning and Understanding in the History of Ideas”. History and Theory 8(1): 3-53.

Sola, Lourdes. 1988. “Choque heterodoxo e transição democrática sem ruptura: uma abordagem transdisciplinar”.

In O Estado da Transição: política e economia na nova república, organizado por Lourdes Sola, 13-62. 1ª ed. São Paulo: Vértice.

Sunkel, Osvaldo. 1958. “La inflación Chilena: Un enfoque heterodoxo”. El Trimestre Económico 25 (4): 570-599.

Tanzi, Vito. 1978. “Inflation, Real Tax Revenue, and the Case for Inflationary Finance: Theory with an Application to Argentina”. Staff Papers (International Monetary Fund) 25(3): 417-451.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Edição

Seção

Artigo

Dados de financiamento