A leitura nas organizações não governamentais e inter-relações com a escola pública

Autores

  • Ana Shitara Inglesi Universidade de São Paulo
  • Idméa Semeghini-Siqueira Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000200008

Palavras-chave:

Leitura, ONG, Letramento, Escola pública

Resumo

Considerando o baixo grau de letramento dos alunos do ensino fundamental e médio no Brasil e, concomitantemente, o crescimento espantoso do número de organizações não governamentais (ONGs) trabalhando no campo da educação nas últimas décadas, o presente trabalho procura estabelecer uma ponte entre essas duas faces da educação no Brasil. Nesta investigação, pretendeu-se compreender a dinâmica e a influência das ONGs brasileiras, mais especificamente no campo da leitura, tendo em vista o desenvolvimento do letramento. Para tanto, foi realizado um estudo qualitativo, com características etnográficas, baseado, sobretudo, em observações feitas em campo das atividades de uma organização, as quais foram analisadas a partir das concepções de leitura propostas pelos teóricos da psicolinguística (SMITH, 1999, 2003) e da estética da recepção (JAUSS, 1994,2002). Com isso, procurou-se contribuir com os estudos sobre leitura e, principalmente, avançar nessas novas possibilidades educativas que hoje nos são apresentadas pela sociedade civil e que impulsionaram a busca por soluções alternativas para um problema que vem afligindo os educadores há décadas no Brasil. Assim, considera-se que, por meio da troca de ideias e experiências e da implementação de projetos envolvendo leitura, as instituições educacionais não governamentais podem contribuir para o desenvolvimento de uma escola pública de qualidade, sem, no entanto, substituí-la, deixando para o governo a responsabilidade que lhe cabe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-08-01

Como Citar

Inglesi, A. S., & Semeghini-Siqueira, I. (2011). A leitura nas organizações não governamentais e inter-relações com a escola pública . Educação E Pesquisa, 37(2), 321-338. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000200008

Edição

Seção

Artigos