Esquecer o passado, pacificar a nação: os sentidos de anistia na Folha de S. Paulo e no Jornal do Brasil (1978-1979)

Autores

  • Vitor Guatelli Portella Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v11i1p303-330

Palavras-chave:

anistia, ditadura-militar, imprensa

Resumo

Este artigo pretende analisar, de forma comparativa, o conjunto de argumentos e representações que constituem sentidos de anistia nos editoriais e artigos de opinião da Folha de S. Paulo e do Jornal do Brasil, de fev. 1978 a dez. 1979. A análise da documentação partiu de preceitos teórico-metodológicos do campo historiográfico que compreendem a imprensa como um agente ativo na história: que constrói o seu discurso ideológico enquanto se faz como instituição social de representação da opinião pública. Nos editoriais, a FSP defende uma anistia ampla, geral e irrestrita - não a mesma dos CBAs - e o JB, uma restrita e limitada. Embora ambos tenham uma posição politicamente pragmática, a FSP defende um projeto mais amplo. Enquanto a FSP critica tanto o projeto da oposição quanto o do governo, o JB tem um alinhamento quase automático ao segundo. Os artigos de opinião aproximam-se e distanciam-se dos sentidos defendidos por cada linha editorial, mas todos defendem o pragmatismo político moderado em mediação com a ditadura. Em geral, a anistia é vista como medida de esquecimento necessária para a estabilidade institucional, a pacificação e a reconciliação nacional. Os jornais procuraram universalizar seu discurso liberal com o objetivo de se adequar à abertura política e às tensões entre governo e oposições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Ian Pereira. Redemocratização e imprensa no Brasil Contemporâneo: a Folha de S. Paulo e o Jornal do Brasil no final do regime militar. Cadernos de Relações Internacionais. PUC-Rio, v. 2, dez. 2019, pp.135-159.

BOSI, Alfredo. A escravidão entre dois liberalismos. Estudos Avançados, v. 2, n. 3, p. 4-39, 1988. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141988000300002. Acesso em: 06 jul. 2021.

CAPELATO, Maria Helena. “Introdução”. In: Os arautos do liberalismo: imprensa paulista 1920-1945. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989, pp.11-28.

CHAMMAS, Eduardo Z. A ditadura militar e a grande imprensa: os editoriais do Jornal do Brasil e do Correio da Manhã entre 1964 e 1968. - Dissertação (mestrado). Universidade de São Paulo. Depto. de História, 2012, pp.11-21.

CIAMBARELLA, Alessandra. "Anistia ampla, geral e irrestrita": as relações Estado e sociedade na campanha pela anistia no Brasil (1977-1979). ANPUH – XXV Simpósio Nacional de História. Fortaleza, 2009.

CRUZ, Heloisa; PEIXOTO, Maria. Na oficina do historiador: conversas sobre história e imprensa. Projeto História. São Paulo, PUC-SP, n. 35, dez. 2007, pp.253-270.

FORGET, Danielle. Conquistas e resistências do poder: a emergência de um discurso democrático no Brasil. São Paulo: EdUSP, 1994.

GRECO, Heloísa. Dimensões fundacionais da luta pela anistia. Tese (doutorado). UFMG, Belo Horizonte, 2003.

HIRANO, Sedi; COHN, Amélia; MONTALVÃO, Sérgio. “Folha de São Paulo”. In: CPDOC-FGV. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Verbete. Tipo: Temático. Disponível em: <http://www.fgv.br/cpdoc/acervo /dicionarios/verbete-tematico/folha-de-sao-paulo>. Acesso em: 20 jul. 2021.

KUCINSKI, Bernardo. “A luta pela abertura”. In: Abertura: a história de uma crise. São Paulo: Ed. Brasil Debates, 1982, pp.98-112.

LE GOFF, Jacques. “Documento/Monumento” in: História e memória. 7ª ed. revista. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2013, pp.485-499.

LOHN, Reinaldo Lindolfo. Transição política no Brasil: a grande imprensa e a institucionalização da “abertura” ao final da ditadura militar (Folha de São Paulo e Isto É, 1974-1985). ANPUH - XXVIII Simpósio Nacional de História. 27-31 de jul. Florianópolis, 2015.

LUCA, Tania Regina de. “Fontes Impressas: História dos, nos e por meio dos periódicos”. In: PINSKY, Carla B. (org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, pp.111-153.

MARTINS, Roberto R. Anistia ontem e hoje. São Paulo: Brasiliense, 2010.

MATTEUCCI, Nicola. “Liberalismo”. In: BOBBIO, Norberto et al. (Org.). Dicionário de Política. Brasília: Editora UNB, 1999, pp.687-705.

MONTALVÃO, Sérgio; MORAIS, Marieta de. “Jornal do Brasil”. In: CPDOC-FGV. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Verbete. Tipo: Temático. Disponível em: <http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico /jornal-do-brasil>. Acesso 20/7/2021.

NAPOLITANO, Marcos. 1964. História do regime militar brasileiro. 1ª ed. 2014, 7ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2019.

NAPOLITANO, Marcos. A imprensa e a construção da memória do regime militar brasileiro (1965-1985). Estudos Ibero-Americanos, vol. 43, núm. 2. mayo-agosto, 2017, pp.346-366.

NAPOLITANO, Marcos. Coração civil: arte, resistência e lutas culturais durante o regime militar brasileiro (1964-1980). Tese (livre-docência). FFLCH-USP, São Paulo, 2011.

NAPOLITANO, Marcos. Cultura e poder no Brasil contemporâneo. 4ª tir. Curitiba: Juruá, 2006.

NAPOLITANO, Marcos. Recordar é vencer. Antíteses, v. 8, n. 15esp, nov. 2015, pp.9-44.

OLIVEIRA, Lucas M. de. As dinâmicas da luta pela anistia na transição política. Dissertação (mestrado). FFLCH-USP, São Paulo, 2014.

RODRIGUES, Natália C. & NETO, Francisco Q. V. “Justiça de Transição: um breve relato sobre a experiência brasileira”. In: FILHO, José Carlos M. da (org.). Justiça de transição no Brasil: violência, justiça e segurança. Dados eletrônicos. Porto Alegre, EDIPUCRS, 2012, pp.255-276.

Downloads

Publicado

2022-10-09

Como Citar

Portella, V. G. (2022). Esquecer o passado, pacificar a nação: os sentidos de anistia na Folha de S. Paulo e no Jornal do Brasil (1978-1979). Epígrafe, 11(1), 303-330. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v11i1p303-330

Edição

Seção

Artigos