A PRIMAZIA DAS RELAÇÕES OBJETAIS NO DESENVOLVIMENTO SUBJETIVO PRESENTE NOS ESTUDOS DA ESCOLA HÚNGARA DE PSICANÁLISE: UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA

Autores

  • Marcos Mariani Casadore
  • Francisco Hashimoto

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v20i2p325-338

Palavras-chave:

Psicanálise, história da psicanálise, relações objetais, Escola Húngara.

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir alguns dos primeiros estudos que se voltaram à compreensão das relações objetais primárias. Para tanto, a atenção se volta para a chamada Escola Húngara de Psicanálise, grupo composto por psicanalistas das primeiras gerações do movimento psicanalítico liderado por Sándor Ferenczi e responsável por estudos vanguardistas e bastante originais no que se refere à teoria psicanalítica do desenvolvimento subjetivo, às práticas clínicas e à técnica psicanalítica. Numa perspectiva histórica, esses estudos foram pioneiros em considerar as relações primordiais entre mãe-bebê – fundamentaram e influenciaram grandes nomes e escolas da psicanálise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-08-30

Como Citar

Mariani Casadore, M., & Hashimoto, F. (2015). A PRIMAZIA DAS RELAÇÕES OBJETAIS NO DESENVOLVIMENTO SUBJETIVO PRESENTE NOS ESTUDOS DA ESCOLA HÚNGARA DE PSICANÁLISE: UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA. Estilos Da Clinica, 20(2), 325-338. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v20i2p325-338