Melancolia e juventude num mundo sem perspectivas no ambiente onírico do filme "O professor substituto"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v27i2p280-296

Palavras-chave:

melancolia, trauma, sonho, cinema, juventude

Resumo

Dada a sobreposição de acontecimentos traumáticos a catástrofes anunciadas – tais como o colapso climático vindouro e os desmandos das autoridades que compõem a política e economia neoliberais – e a forma como esses acontecimentos reverberam no psiquismo dos jovens, o objetivo deste artigo é apresentar o filme O professor substituto de modo a tomá-lo como alegoria para a função traumatolítica dos sonhos e do cinema. Foi possível discutir uma das características da contemporaneidade, que favorece certa melancolização do laço social entre os jovens inseridos em uma sociedade distópica. Diante de tais acontecimentos, uma das evidências encontradas foi que a confiança dos sujeitos foi a mais penalizada, e por conta disso coube alargar a noção de esperança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Garrido, Universidade Federal de São Paulo

Mestrando pelo Programa Interdisciplinar em Ciências da Saúde, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp -campus Baixada Santista), Santos, SP, Brasil. 

Jaquelina Maria Imbrizi, Universidade Federal de São Paulo

Professora associada da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp - campus Baixada Santista), Santos, SP, Brasil.

Referências

Aberastury, A. (Org.). (1986). Adolescência. Porto Alegre: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1978).

Ab’Sáber, T. (2005). O sonhar restaurado, formas do sonhar em Bion, Winnicott e Freud. Editora 34.

Arreguy, M. E., Freitag, M. B., & Baptista, L. L. (2014). Pesadelo, trauma e reparação em Cidade dos sonhos de David Lynch. Revista Virtual Enfil – Encontros com a Filosofia, 2(4), 32-45. Recuperado de https://periodicos.uff.br/enfil/article/view/45756/26193

Benjamin, W. (1987). Franz Kafka: A propósito do décimo aniversário de sua morte. In W. Benjamin, Magia e técnica, arte e política. Brasiliense. (Trabalho original publicado em 1934)

Benjamin, W. (2012). O anjo da história (J. Barrento, Trad. modificada). Autêntica.

Beradt, C. (2017). Sonhos no Terceiro Reich: com o que sonhavam os alemães depois da ascensão de Hitler. São Paulo: Três Estrelas. (Trabalho original publicado em 1966).

Bion, W. R. (1991). Elementos de psicanálise. Imago. (Trabalho original publicado em 1963)

Bion, W. R. (1994). Estudos psicanalíticos revisados (W. M. de M. Dantas Trad.). Imago. (Trabalho original publicado em 1967)

Bonmarchand, C. (Produtor), & Marnier, S. (Diretor). (2018). O professor substituto. (Título original: L’Heure de la sortie) [Filme]. France: Avenue B Productions

Butler, J. (2017). Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Civilização Brasileira. (Trabalho original publicado em 2009)

Camus, A. (2016). O mito de Sísifo. Best Bolso. (Trabalho original publicado em 1942)

Carreteiro, T. C. (2003). Sofrimentos sociais em debate. Psicologia USP, 14(3), 57-72. Doi: https://doi.org/10.1590/S0103-65642003000300006

Coutinho, L. G. (2009). Adolescência e errancia: destinos do laço social contemporâneo. Nau.

Coutinho, L. G., & Poli, M. C. (2019). Adolescência e o ocupa escola: retorno de uma questão? Educação & Realidade , 44(3), e87596. Doi: https://doi.org/10.1590/2175-623687596

Dunker, C. (2017). O sonho como ficção e o despertar do pesadelo. In C. Beradt, Sonhos no Terceiro Reich: com o que sonhavam os alemães depois da ascensão de Hitler. Três Estrelas.

Ferenczi, S. (1992a). Análises de crianças com adultos (pp. 69-83, Obras completas Sándor Ferenczi, 4). Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1931)

Ferenczi, S. (1992b). Reflexões sobre o trauma (pp.109-117, Obras completas Sándor Ferenczi, 4). Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1934)

Frazen, J. (2018). Tarde demais para salvar o mundo? Revista Serrote, 28, 130-152.

Frazen, J. (2019, out.). E se parássemos de fingir? Revista Piauí, 14, 54-56. Recuperado de https://piaui.folha.uol.com.br/materia/e-se-parassemos-de-fingir/

Freud, S. (2006a). O futuro de uma ilusão, O mal-estar na civilização e outros trabalhos. In S. Freud, Edição standard brasileira das obras completas de Sigmund Freud (vol. XXI). Imago. (Trabalho original publicado em 1930)

Freud, S. (2006b) Por que a guerra? In. S. Freud, Novas conferências introdutórias sobre psicanálise e outros trabalhos, Edição standard brasileira das obras completas de Sigmund Freud (vol. XXII). Imago. (Trabalho original publicado em 1933)

Freud, S. (2010). Além do princípio do prazer (P. C. de Souza Trad.). Companhia das letras. (Trabalho original publicado em 1920)

Freud, S. (2011). Luto e melancolia. (M. Carone Trad.). São Paulo: Cosac Naify. (Trabalho original publicado em 1917)

Freud, S. (2017). A interpretação dos sonhos (R. Zwick Trad.). L&PM. (Trabalho original publicado em 1900)

Friedemann, A., & Narvaez, J. (2020). O impacto da escola na ideação suicida de adolescentes. Estilos da Clínica, 25(3), 471-487. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/estic/article/view/171110

Girard, R. (1990). A violência e o sagrado (M. C. Gambini Trad.). Editora Unesp. (Trabalho original publicado em 1972)

Gondar, J. (2012). Ferenczi como pensador político. Cadernos de psicanálise, 34(27), 193-210. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-62952012000200011&lng=pt&tlng=pt

Gondar, J. (2013). Ferenczi e o sonho. Cadernos de psicanálise, 35(29), 27-39. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-62952013000200002&lng=pt&tlng=pt

Grotstein, J. (2010). Um facho de intensa escuridão. Artmed.

Harari, Y. N. (2016). Homo Deus: uma breve história do amanhã. Companhia das Letras.

Hobsbawm, E. (1995) Era dos extremos: o breve século XX. 1914-1991. Companhia das Letras.

Imbrizi, J. M., & Domingues, A. R. (2021, abr.). Narrativas oníricas e a partilha de experiências (extra)ordinárias. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 25(suppl. 1), e200805. Doi: https://doi.org/10.1590/Interface.200805

Imbrizi, J. M., & Rosa, M. D. (2019, set.). A desconstrução do discurso sobre trauma em dois filmes de Eastwood: uma contribuição das intervenções psicanalíticas clínico-políticas. Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, 22(3), 280-289. Doi: https://doi.org/10.1590/1809-44142019003003

Kehl, M. R. (2011). Melancolia e criação. In S. Freud, Luto e melancolia. (M. Carone Trad.). Cosac Naify.

Klein, M. (1975). O sentimento de solidão. Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1963)

Koselleck, R. (2006). Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Contraponto/PUC-Rio. (Trabalho original publicado em 1979)

Krenak, A. (2019). Ideias para adiar o fim do mundo. Companhia das Letras.

Lacan, J. (2009). O seminario livro 18. De um discurso que não fosse semblante. J. Zahar. (Trabalho original publicado em 1971)

Laplanche, J., & Pontalis, J. B. (2001). Vocabulário da psicanalise. Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1982)

Orlandi, E. P. (1992). As formas do silêncio no movimento dos sentidos. Unicamp.

Ribeiro, S. (2019). O oráculo da noite: a história e a ciência do sonho. Companhia das Letras.

Smith, P., & Kaye, L. (1975). Free Money [Gravado por Patti Smith]. In Horses [Disco]. New York, NY: Arista Records.

Solomon, A. (2018). Lugares distantes: como viajar pode mudar o mundo. Companhia das Letras.

Spinoza, B de. (2010). Ética. Autêntica. (Trabalho original publicado em 1677)

Trilling, L. (2015). Freud e a literatura. In L. Trilling, A imaginação liberal. É Realizações.

Wallace-Wells, D. (2019). A terra inabitável: uma história do futuro. Companhia das Letras.

Winnicott, D. W. (1979). A criança e o seu mundo. J. Zahar.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

Garrido, C., & Imbrizi, J. M. (2022). Melancolia e juventude num mundo sem perspectivas no ambiente onírico do filme "O professor substituto". Estilos Da Clinica, 27(2), 280-296. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v27i2p280-296

Edição

Seção

Artigos