Implicações subjetivas da relação mãe-criança nos quadros de obesidade infantil

Autores

  • Fabiana Azeredo de Oliveira Universidade de Fortaleza; Laboratório de Estudos e Intervenções Psicanalíticas na Clínica e no Social
  • Karla Patricia Holanda Martins Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v17i1p122-135

Palavras-chave:

obesidade infantil, psicanálise, relação-mãe-criança

Resumo

O presente estudo partiu do interesse em compreender as implicações da relação mãe-criança na obesidade infantil. A Organização Mundial de Saúde revela a doença como um desafio aos programas de saúde. Considerando-se que a relação da criança com o alimento é mediada, em geral, pela mãe, propõe-se investigar, numa perspectiva psicanalítica, as implicações desta relação na obesidade infantil. Além da pesquisa bibliográfica, foi realizada a escuta de quatro mães de crianças obesas de 7 a 11 anos de idade. Conclui-se que a obesidade infantil pode ser considerada um sintoma da criança em resposta àposição subjetiva da mãe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Como Citar

Oliveira, F. A. de, & Martins, K. P. H. (2012). Implicações subjetivas da relação mãe-criança nos quadros de obesidade infantil. Estilos Da Clinica, 17(1), 122-135. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v17i1p122-135