A constituição do sujeito e a alteridade: considerações sobre a psicose e o autismo

Autores

  • Ana Beatriz Freire Universidade Federal do Rio de Janeiro; Instituto de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v7i13p78-91

Palavras-chave:

Psicanálise, sujeito, realidade, alteridade, psicose e autismo

Resumo

O artigo se propõe a pensar a constituição do sujeito a partir do campo do Outro, em particular a partir da relação com os objetos e do que Jacques Lacan nomeou objeto Trataremos da relação com o Outro na constituição da realidade, em especial a relação com a realidade na psicose.. Diferentemente da neurose, constata-se na psicose uma ausência da função paterna e conseqüentemente ausência do que Lacan, em 1966, designou como operação de extração do objeto a. Por fim, pensaremos a relação do autismo com o Outro e algumas possibilidades de direção do tratamento. Observamos que o problema do autista é menos um bloqueio no processo de humanização do que um excesso, sentido como invasão, da relação do sujeito com o Outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-12-01

Como Citar

Freire, A. B. (2002). A constituição do sujeito e a alteridade: considerações sobre a psicose e o autismo. Estilos Da Clinica, 7(13), 78-91. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v7i13p78-91

Edição

Seção

Artigos